13 de janeiro de 2013

Super Mario Advance 4 - Super Mario Bros. 3


Repro da caixa original.
Desenvolvido por: Nintendo EAD
Publicado por: Nintendo
Designer: Shigeru Miyamoto
Plataforma: Game Boy Advance
Lançamento: 11-07-2003 (JP), 17-10-2003 (EU), 23-10-2003 (EUA)
Género: Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer para até 4 jogadores
Media: Cartucho de 32-megabit
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartucho
Estado: Incompleto (sem caixa nem manual)
Condição: Excelente
Viciómetro: Acabei-o uma vez e daqui a uns tempos volto à carga.

(Quero sol e calor.)

E a parte de trás.
Hoje, só assim para variar um bocado é dia de Jogalhões Flash, aquela pequena rubrica onde trago um jogo que já analisei uma ou mais vezes noutras plataformas e faço apenas uma breve análise a outra versão. Coube a vez a Super Mario Advance 4 - Super Mario Bros. 3, um jogo que desde já dispensa apresentações mas que nesta versão para Game Boy Advance inclui algumas diferenças, upgrades e até melhorias. Este exemplar foi-me cedido por um amigo que o arranjou num negócio no OLX juntamente com um GBA e mais uns jogos para o dito. Só é pena não estar completo mas por agora serve para o efeito.


O solitário cartucho.
Super Mario Advance 4 é a quarta aventura reeditada do famoso canalizador no GBA, uma vez que esta consola teve direito a versões actualizadas de imensos jogos da era NES/SNES, alguma boas, outras nem por isso. Esta versão em concreto de Super Mario Bros. 3, é uma das boas com algumas novidades. O grafismo pede muito emprestado à versão All-Stars da SNES, com uns visuais bem agradáveis e fluidos, mas também alguns sprites novos ou refeitos, face ao anterior.

A música é também ela a mesma, com algumas faixas ligeiramente alteradas, coisa que se nota de imediato e que na minha opinião é inferior à versão de SNES. Por outro lado, Mario e Luigi ganharam agora a voz de Charles Martinet, dando uma nova dinâmica à ambiência sonora.

Mario a "assapar"...
Não se afastando da raízes, Super Mario Advance 4 conta com uma jogabilidade excelente e que em pouco ou nada difere das versões anteriores. Contudo existem novidades neste campo onde podemos optar por jogar com o Luigi sem sermos o segundo jogador, novos itens nos mini-jogos e a possibilidade de gravar o jogo onde bem nos apetecer sem perder progresso algum. Isto já existia anteriormente mas um bocado mais limitado. O Original Mario Bros. continua a fazer parte do pack, possibilitando animadas partidas em multiplayer, até quatro jogadores em simultâneo com um único cartucho.

O velhinho mapa mundo.
Curiosidades acerca deste título incluem o Nintendo e-Reader, um dispositivo lançado no Japão e Estados Unidos, que permitia ao GBA ler cartões de papel com dados próprios para o efeito, que podiam ser adquiridos em lojas. Isto, no caso deste jogo, desbloqueava até 32 níveis extra, novos power-ups como bolas de fogo que transformam os inimigos em moedas e a famosa pena de Super Mario World. Pensem nisto com uma espécie de avôzinho dos DLC. Como é de calcular, na Europa nem chegou a sair e nos Estados Unidos teve pouco sucesso, sendo descontinuado em 2004. No Japão lá se aguentou por uns tempos.

O que o e-Reader proporcionava.
E Super Mario Advance 4 - Super Mario Bros. 3 é isto. Um jogo actualizado, que mantém a genialidade do original e restantes versões com uma benesse: ser portátil. Penso que só por isso já merece o título de JOGALHÃO DE FORÇA!

Mais um Mario, daqui a uns dias. :)

MURRALHÕES DE FORÇA: 
 

2 comentários:

  1. Bom jogo!! Costumava jogar esse jogo na minha SNES com o Super Mario All Stars, e era sem dúvida o meu preferido do cartucho! Engraçado ver na imagem o Mario com a capa como no Super Mario World, a versão original não tinha isso. Ultimamente tenho jogado o Super Mario Brothers da Wii e é engraçado que ele foram buscar muita inspiração a este Mario.
    Fico a aguardar o próximo então ;)

    ResponderEliminar
  2. Bem lembrado as referências ao e-reader! A quantidade de coisas que deixaram bloqueadas no jogo é impressionante. Mas ainda assim, por motivos de nostalgia continuo a preferir a versão SNES.

    ResponderEliminar