17 de abril de 2018

3D Classics Kirby's Adventure

Quando o jogo não tem capa, eu resolvo!
Desenvolvido por: HAL Laboratory (Versão NES), Arika (Versão 3DS)
Publicado por: Nintendo
Director: Masahiro Sakurai
Produtor(es): Satoru Hiwata, Shigeru Miyamoto, Takao Shimizu
Designer: Masahiro Sakurai
Compositor(es): Hirokazu Ando, Jun Ishikawa
Plataforma: Nintendo 3DS (eShop)
Lançamento: 17-11-2011 (EU/EUA), 25-04-2012 (JP)
Género: Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartão SD, Compatível com modo 3D
Outros nomes: 3D Classics Hoshi no Kirby: Yume no Izumi no Monogatari (JP)
Estado: Não se aplica
Condição: Não se aplica
Viciómetro: Acabei-o uma vez.

(Será que é desta que a chuva se foi?)

Mary Kirbins!
Quando a 3DS fez a sua entrada no mercado, uma das promessas era possibilitar imagens 3D sem a utilização de periféricos extra, algo que cumpriu com distinção, apesar do efeito no primeiro modelo da consola não ser de todo perfeito. Com revisões de hardware, a coisa foi ao sítio e hoje em dia proporciona um efeito 3D de muito boa qualidade, sem sofrer com repentinas mudanças de ângulo devido a nos mexermos por algum motivo. E são imensos os jogos que tiram partido do 3D, uns melhores que outros verdade seja dita mas isso é algo que depende inteiramente dos programadores. Com isto surgiram também alguns clássicos das 8-bit e 16-bit, com uma pintura nova por assim dizer a mostrar que o 3D e sprites combinam na perfeição. O jogo que trago até aqui hoje é um desses mesmos, um clássico da NES com uma apresentação idêntica mas a 3D e sem os pequenos problemas da versão original. Este exemplar digital foi adquirido na eShop da 3DS, algures entre Maio e Junho de 2016, numa promoção qualquer visto não me recordar sequer do preço. Mas tenho quase a certeza que foi abaixo dos 5 euros.


O gordo voa e voa.
3D Classics Kirby's Adventure presenteia-nos com o mesmo jogo que existe na NES e agora na NES Classic Mini mas com um efeito 3D a condizer e que a meu ver funciona muitíssimo bem. Este jogo faz parte de um pequeno catálogo lançado apenas digitalmente (podiam ter feito uma edição física com os jogos todos), que contém apenas seis jogos (cinco de NES e um de arcade) e que tiram partido do efeito 3D da consola. A trama de Kirby's Adventure começa com a nossa pequena bola a dormir uma sesta mas com um pequeno senão: ele não consegue sonhar. Não ficando indiferente a tal facto, Kirby decide visitar a Fountain of Dreams, local de onde os sonhos vêm. Ao chegar depara-se com o eterno nemesis King Dedede a banhar-se nas suas águas e repara que o Star Rod, o que dá o poder à fonte, foi partido em sete bocados, tendo estes sido entregues aos amigos de Dedede sendo que um dos bocados ficou com ele. Kirby terá assim de se aventurar à procura dos ditos bocados de volta a restaurar a normalidade à Dream Land.

Uma situação bicuda.
Na parte visual, Kirby's Adventure na 3DS é um jogo bastante bonito e colorido, mantendo os visuais da NES com uma pixel art soberba mas sem o flickering tradicional dessa consola, entre outros artefactos gráficos. A acção decorre toda a uma frame rate bastante estável e o efeito 3D é de uma qualidade muito boa, com uma excelente sensação de profundidade entre as diversas camadas do cenário e sprites. O som é também aquilo que se podia esperar de um jogo de 8-bit, com efeitos sonoros a contrastar com a banda sonora que é bastante catchy e memorável, algo bastante comum a todos os jogos desta saga.

Isto é mais fácil que na vida real.
A jogabilidade de Kirby's Adventure é de uma simplicidade extrema, tal como a série nos habituou onde andamos, saltamos, voamos e engolimos os nossos inimigos. Contudo, este é o primeiro jogo da série onde foram introduzidas a Copy Abilities. A maior parte dos inimigos no jogo tem uma habilidade específica, que Kirby pode copiar ao engoli-los, tirando assim partido da mesma em combate ou para resolver pequenos puzzles nos níveis, que por norma nos conduzem a áreas secretas e itens recompensadores (vidas extra, por exemplo). Isto tornou-se numa norma para os restantes jogos uma vez que as habilidades tornam o jogo mais dinâmico e divertido, sendo que algumas delas até são reminiscentes de outros jogos bastante conhecidos do público em geral. O jogo divide-se em oito mundos, cada qual com diversos níveis de progressão linear e alguns níveis de bónus para ganhar pontos e vidas extra. Existe ainda a Arena onde podemos desafiar um mini boss para ganhar uma recompensa no final. Como é de calcular, um boss aguarda-nos no final de cada mundo. Para navegar mais rapidamente, existe ainda Warp Stars para esse feito.

A dieta de Kirby requer muito ferro.
3D Classics Kirby's Adventure é sem dúvida um excelente jogo para se ter na 3DS se não possuírem o cartucho original ou a NES Classic Mini. Podem ser optar pelo remake no GBA mas mesmo esse actualmente já deve atingir preços menos amigáveis e não é a mesma experiência. É pena que estes 3D Classics não tenham ganho fôlego um pouco pela lista ser composta por jogos desinteressantes (este Kirby é o melhor), algo que não se compreende por parte da Nintendo com um catálogo tão rico em clássicos. Nesse aspecto a Sega foi mais feliz com a sua linha 3D onde constam grandes nomes da era 16-bit. Mas isso é história para outra altura e por agora temos aqui mais um JOGALHÃO DE FORÇA!

Próximo jogo: mais um capítulo na vida de Sam Fisher, na PS2.

MURRALHÕES DE FORÇA:
 

Sem comentários:

Enviar um comentário