13 de fevereiro de 2019

Return to Castle Wolfenstein - Operation Resurrection

Não se parece com o BJ de agora.
Desenvolvido por: Gray Matter Interactive, Raster Productions (PlayStation 2)
Publicado por: Activision
Director: Drew Markham
Produtor: Greg Goodrich
Designer(s): Mal Blackwell, Richard Farrelly
Artista: Michael Kaufman
Argumentista: Steve Goldberg
Compositor: Bill Brown
Plataforma(s): PlayStation 2, Xbox
Lançamento: 27-05-2003 (EUA),06-06-2003 (EU) (PS2)
Género: First Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (300KB mínimo), Compatível com controlo analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração.
Estado: Completo
Condição: Boa
Viciómetro: Acabei-o uma vez.

(Fun fact: o primeiro disco rígido criado em 1979 só tinha capacidade de 5MB.)

Tinha autocolantes mas tirei-os.
Wolfenstein. Um nome que para todos nós é sinónimo de muitas tardes em frente ao computador a percorrer os corredores labirínticos de um castelo, enquanto atirávamos em tudo quanto era inimigo. No entanto, a história é bem mais antiga do que este clássico FPS apelidado de "avô de todos os FPS". Na verdade as coisas começaram em 1981 com Castle Wolfenstein a ser lançado no Apple II e era somente um jogo de stealth onde o objectivo era escapar do castelo usando todos os meios necessários. Mas após Wolfenstein 3D, a série fincou as suas raízes neste género e aí permaneceu até aos dias de hoje, tentando reintroduzir alguns dos conceitos do verdadeiro jogo original. O exemplar que vos apresento hoje foi adquirido algures entre Julho e Agosto de 2017, por 4.95€ na Play N' Play.


Manual e disco.
Return to Castle Wolfenstein - Operation Resurrection é um port do jogo que tinha sido lançado anteriormente em PC e que fez um sucesso imenso na altura, não só pela acção em si mas pelo multiplayer que ainda hoje é jogado pelos fãs mais saudosistas. Este até ganhou notoriedade quando lançaram gratuitamente Enemy Territory, que como se sabe, era um vício tremendo. Contudo, a versão de consola não tem multiplayer mas não deixa de ser uma óptima experiência em single player até porque conta com algumas novidades. A trama decorre em torno de William "B.J." Blazkowicz, já nosso conhecido, que tem em mãos uma missão especial: investigar o que andam os nazis a fazer no Egipto to que concerne a actividade paranormal, um campo pelo qual sempre existiu um fascínio imenso. Obviamente isto não vai ser tão fácil como parece e rapidamente a coisa vai começar a escalar.

Este vem todo lançado.
Visualmente, Return to Castle Wolfenstein é um jogo bastante competente, com uma frame rate estável onde a acção oscila entre o calmo e o frenético, dependendo da nossa abordagem e com uma vasta variedade de cenários que vão desde os tons quentes de uma cidade em pleno deserto, ao próprio Castle Wolfenstein com toda a sua arquitectura medieval, não esquecendo fábricas, depósitos, bunkers, bases militares e até florestas. Embora não seja particularmente minucioso com detalhes, existe alguma interactividade com os cenários, quanto não seja para descobrirmos áreas secretas. A animação no geral é decente sem grandes pormenores que mereçam ser discutidos.

Nope, não vamos andar de mota.
A banda sonora faz-me lembrar outros jogos deste género com esta temática de Segunda Guerra, onde as faixas são todas muito a tirar para o heróico, se tiver de a descrever, transmitindo-nos assim aquela sensação de estarmos a fazer algo deveras importante para o destino da humanidade. Se tiver de resumir, é a típica banda sonora de filme ou série da época, onde as faixas são agradáveis e adequam-se a cada momento da acção. O som e demais efeitos sonoros são bons embora não estejam ao nível de Medal of Honor se tiver de comparar. O jogo conta ainda com voice-acting durante as cutscenes e este é convincente q.b. para que as coisas resultem.

Morram diabos!!
Em termos de jogabilidade, Return to Castle Wolfenstein é um jogo bastante fácil de se começar, com esquemas de controlo adequados ao comando da PS2 e a possibilidade de personalizarmos os mesmos ao nosso gosto, algo que é sempre um bónus. O controlo da personagem é bastante sólido e podemos não só utilizar uma diversa panóplia de armas da época (e outras tantas fictícias) bem como granadas para controlo de pestes e a nossa fiável faca, que é particularmente útil para partes onde o stealth é quase imperativo para termos sucesso. O jogo estrutura-se em diversas missões com objectivos específicos para se avançar onde as coisas nem sempre se resolvem ao tiro mas com calma e ponderação, nomeadamente se for caso de armadilhar alguma coisa que está a ser protegida pelo inimigo. Pelo caminho podemos indo recolhendo itens de cura pois aqui não há health regen, armadura e tesouro, mantendo assim o espírito da série.

Vamos sangrar o porco...
Embora não exista multiplayer nesta versão, o primeiro nível é inteiramente novo e exclusivo não existindo sequer na versão original de PC, pelo que já é um motivo para experimentarem o jogo. Outra diferença é o facto de todos os segredos que vamos encontrando serem convertidos em pontos bónus para no final de cada nível os distribuirmos por vários atributos que vão desde aumentar a nossa vida, armadura, quantidade de munição bem como começarmos com itens de reserva como Flak Patches e Wine Bottles. Também os podemos trocar por Full Health ou Full Armor. Não sendo um jogo propriamente fácil, podemos gravar em qualquer parte da acção o que nos pode ajudar imenso a vida em certas partes mais complicadas pois alguns inimigos tendem a ser bem resistentes. E por falar nestes, a variedade é também vasta começando com simples humanos a cumprir o seu dever mas culminando em coisas oriundas do oculto, lá bem para a frente.

Actividade paranormal!
Return to Castle Wolfenstein - Operation Resurrection é sem dúvida um bom port deste título que vai certamente agradar aos fãs da série e deste género em particular. Pode não ter multiplayer mas a campanha é longa o suficiente para justificar esta aventura e assim é mais que motivo para ser um JOGALHÃO DE FORÇA!

Próximo jogo: pancadaria na N64.

MURRALHÕES DE FORÇA:
 

Sem comentários:

Enviar um comentário