24 de dezembro de 2010

Mortal Kombat II

Logo mítico!
Desenvolvido por: Midway, Probe Entertainment
Publicado por: Acclaim
Designer(s): Ed Boon, John Tobias
Plataforma(s): Game Boy e todas as que se conseguirem lembrar...
Lançamento: 20-01-1992 (EUA), 21-01-1992 (JP), 21-05-1992 (EU)
Género: 2D Fighting
Modos de jogo: Modo torneio e modo Versus através de Game Link
Media: Cartucho de 2-megabit (Penso eu de que.)
Funcionalidades: Permite ligação através de Game Link para dois jogadores em simultâneo
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o muitas vezes quando era puto. Os jogos de porrada corriam-me nas veias...

(Agora que o blog está bonito, quero tentar ser mais assíduo nas publicações, ainda que sei que não o vou ser. Mas tentar não custa portanto vamos lá ao trabalho!)

Poliglota este MKII...
"Round 1, Fight!" é daquelas frases que se tornaram míticas ao longo dos tempos e que de certo modo são intemporais. E se há um tipo de jogo que não passa de moda são mesmo os jogos de luta, que se tornaram mais bonitos, mais fluidos e de certo modo mais apelativos para certos tipos de audiência que não pegavam neles devido, por vezes, à sua dificuldade ou inaptidão. Mas como eu sou um tipo que cresceu a jogar os que eram difíceis e simples, com os seus gráficos 2D funcionais e sem grandes alaridos é natural que continue a preferi-los assim. Este Mortal Kombat II veio aqui parar através de uma troca qualquer por outro jogo, que não me lembro qual era. Nem sei ao certo quando foi mas lembro-me que estava para aí no 9º ano do secundário...


O material habitual.
Mortal Kombat II dispensa apresentações. Foi um marco na história dos videojogos, fazendo mais furor do que o seu antecessor, que desde já era estupidamente famoso não por ser um bom jogo mas sim pela sua violência desenfreada, gráficos digitalizados (isto na época era tecnologia de ponta), pela sua censura nas consolas e claro, por ser diferente de Street Fighter II. E claro, foi adaptado a todas as máquinas possíveis e imaginárias (ok, quase todas), sendo que a versão de Game Boy se revelou surpreendentemente boa, depois da m**** que foi a primeira. Mas isso é "conversa" para quando o apresentar aqui.

Incha Pacheco!!
Sendo um jogo que ocupava um considerável espaço, Mortal Kombat II no Game Boy sofreu cortes. Assim, um pouco como o governo Português tem feito no nosso país. Graficamente, não prima pelo detalhe mas dá atenção à funcionalidade e conseguem-se reconhecer os 8 guerreiros dos originais doze (Raiden, Baraka, Johnny Cage e Kung Lao ficaram pelo caminho). A nível de cenários, o corte foi monumental, sobrando apenas três dos dez cenários originais, sendo que um deles, Goro's Lair, apenas é utilizado para combates contra os dois guerreiros secretos (Smoke e Jade, não utilizáveis). Curiosamente, Kintaro foi removido, sendo o boss final Shao Kahn na mesma ainda que, o código da personagem Kintaro esteja inserido na ROM do jogo. Não perguntem porquê pois não faço puto de ideia...

São apenas oito mas chegam.
Tal como todos os jogos de luta que se prezem, a jogabilidade é o ponto forte deste título que retém quase todos os elementos da versão original, ou seja, golpes especiais, Fatalities e Babalities. Os Friendships ficaram a ver navios mas também quem é que quer ser amiguinho do inimigo quando lhe pode arrancar a cabeça ou os bracinhos? A versão de Game Boy conseguiu reter a acção, sem atrasos em relação aos inputs do jogador e tudo isto com apenas 3 botões de comando (B, A e Start), fazendo com que seja um dos melhores jogos do género nesta pequena e bela máquina. As partidas com o Game Link eram o normal, tal como se jogassem numa consola caseira, sem cor e com menos margem de selecção. A parte sonora é o pior, na minha mais sincera opinião. As músicas são estupidamente repetitivas e os efeitos sonoros parece que vão fazer com que o Game Boy rebente! Cada uppercut parece o fim do mundo, um som do pior que possam imaginar e o Game Boy até tem capacidade para excelentes e memoráveis composições sonoras. Basta lembrar-me de Zelda, Mario, Metroid, Kirby, Castlevania, Probotector (Contra) e um sem fim de outros pequenos grandes títulos que ainda hoje ecoam na minha cabeça de vez em quando...

Ice, Ice, Baby!
Concluindo, Mortal Kombat II no Game Boy é um jogo divertido q.b., tem os ingredientes certos de um jogo deste género, funciona bem na pequena máquina e manteve-me quieto durante muitas horas, visto ter sido um puto bastante hiperactivo. E que melhor razão senão esta para considerá-lo um JOGALHÃO DE FORÇA? Não me ocorre mais nenhuma... :D

Be back soon!

MURRALHÕES DE FORÇA: 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário