12 de junho de 2018

Lara Croft Tomb Raider - Legend

A capa podia ser melhor...
Desenvolvido por: Crystal Dynamics
Publicado por: Eidos Interactive
Director:  Jason Botta
Produtor: Morgan Whitney Gray
Designer: Riley Cooper, Doug Church
Argumentista(s): Toby Gard, Eric Lindstrom, Aaron Vanian, Austin Grossman
Compositor(es): Troels Brun Folmann
Plataforma(s): PlayStation 2, GameCube, PlayStation Portable, Wii, PC, Mace outras tantas
Lançamento: 07-04-2006 (EU), 11-04-2006 (EUA)
Género(s): Acção, Aventura
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (155KB mínimo), Compatível com controlo analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração
Estado: Completo
Condição: Boa
Viciómetro: Acabei-o uma vez.

(Este tempo está a maior caca...)

Oh, yeah! She's back!
Já é conhecida a minha paixão (ou falta dela) pela saga Tomb Raider no que concerne aos jogos clássicos. Sim, aqueles da era da primeira PlayStation em toda a sua glória. Mas isso mudou já na era da PS3, coisa que me levou a explorar os que saíram na PS2 tendo começado pelo Anniversary uma vez que é uma excelente recriação de como tudo começou. Mas as aventuras da senhora Croft não começaram por aí na PS2 uma vez que Angel of Darkness foi o primeiro jogo da saga a aterrar na consola da Sony. Contudo, recuso-me a jogar esse título por saber que é bastante mau e ainda com alguns vestígios dos clássicos agarrados à sua espinha dorsal. O jogo que se seguiu foi uma lufada de ar fresco e é sem dúvida um excelente exemplo de como fazer as coisas mantendo a chama acesa. Este meu exemplar chegou até ao JDF algures entre Novembro e Dezembro de 2016, por 3.95€ oriundo da Play 'N Play.

29 de maio de 2018

Lara Croft Tomb Raider - Anniversary

No more triangle boobs.
Desenvolvido por: Crystal Dynamics
Publicado por: Eidos Interactive
Director:  Jason Botta
Produtor: Lulu LaMer
Designer: Jason Botta
Artista: Andrew Wood
Argumentista(s): Toby Gard, Matt Ragghianti
Compositor(es): Troels Brun Folmann
Plataforma(s): PlayStation 2, GameCube, PlayStation Portable, Wii, PC, Mac
Lançamento: 01-06-2007 (EU), 05-06-2007 (EUA), 07-06-2007 (JP)
Género(s): Acção, Aventura
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (295KB mínimo), Compatível com controlo analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração
Estado: Completo
Condição: Boa
Viciómetro: Acabei-o uma vez.

(Este tempo está todo marado...)

Os autocolantes voaram.
Algumas das sagas que consideramos clássicas hoje em dia começaram na era da PlayStation, essa consola que tanta visibilidade teve e muitas horas de diversão nos proporcionou. E uma das sagas mais conhecidas e adoradas é sem dúvida Tomb Raider. Mas na minha mais modesta opinião, os Tomb Raider clássicos nada me dizem e são jogos que a meu ver não são bons e envelheceram mais. Podem crucificar-me ou deixar de visitar aqui o poiso mas não mudo a minha opinião em relação a estes jogos. Embora goste do conceito e aprecie os puzzles, o certo é que os jogos em si eram aborrecidos e um exercício de frustração no que diz respeito à jogabilidade, combate e movimento da câmara. Só dei uma hipótese a esta série já no tempo da PS3 quando o reboot saiu, jogo esse que me deixou fascinado e me levou a explorar os jogos da PS2, que por motivos óbvios, deixei passarem-me ao lado. Felizmente colmatei essa falha, excluindo o Angel of Darkness que é mau e nem sequer quero saber.  O jogo que trago até aqui hoje foi o primeiro de PS2 que joguei e chegou à colecção algures entre Novembro e Dezembro de 2016 por 4.95€ ou algo parecido.

8 de maio de 2018

Tom Clancy's Splinter Cell Chaos Theory

Binóculos verdes.
Desenvolvido por: Ubisoft Montreal
Publicado por: Ubisoft Entertainment
Designer: Clint Hocking
Compositor(es): Jasper Kyd, Amon Tobin
Motor gráfico: Unreal Engine 2.5
Plataforma(s): PlayStation 2, GameCube
Lançamento: 28-03-2005 (EUA), 01-04-2005 (EU), 17-11-2005 (JP)
Género(s): Acção, Aventura, Stealth
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Modo Co-Op para dois jogadores, Modo online para até 4 jogadores
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (580KB mínimo), Compatível com controlo analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração, Compatível com Adaptador de Rede
Estado: Completo
Condição: Boa, com algumas marcas de uso na caixa
Viciómetro: Acabei-o uma vez.

(Bom tempo!)

Yep, as coisas mudam.
Com a reforma de Solid Snake, a área do stealth (ou do sneaking se assim preferirem) ficou bastante mais pobre mas para preencher este vazio, nem que seja um bocadinho ficou o seu "rival" Sam Fisher que felizmente ainda se mantém no activo embora sem protagonizar uma nova aventura desde 2013. O certo é que para quem gosta deste género, existem vários jogos a explorar, todos eles excelentes no geral e o meu caso, que descurei a saga Splinter Cell no passado, descobrir agora estes títulos tem um gostinho particularmente especial. E é isso mesmo que tenho feito, explorar cada um dos títulos da saga, apreciando assim a sua evolução. Este exemplar foi adquirido entre Setembro e Outubro de 2016 para aí por 3 ou 4 euros numa loja de usados em Lisboa.

3 de maio de 2018

Tom Clancy's Splinter Cell Pandora Tomorrow

Típica capa genérica.
Desenvolvido por: Ubisoft Shanghai, Ubisoft Milan
Publicado por: Ubisoft Entertainment
Compositor(es): Guy Dubuc, Jack Wall, Marc Lessart
Motor gráfico: Unreal Engine 2.0
Plataforma(s): PlayStation 2, GameCube
Lançamento: 11-06-2004 (EU), 16-06-2004 (EUA), 07-04-2005 (JP)
Género(s): Acção, Aventura, Stealth
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Modo online para até 4 jogadores
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (91KB mínimo), Compatível com controlo analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração, Compatível com Adaptador de Rede
Estado: Completo
Condição: Boa, com algumas marcas de uso na caixa
Viciómetro: Acabei-o uma vez.

(Parece que o bom tempo finalmente veio para ficar... assim o espero!)

No stickers!
Já todos sabemos que o nosso saudoso Solid Snake provavelmente nunca mais vai aparecer nos nossos ecrãs para nos presentear com uma nova aventura. Quem diz ele, diz qualquer um dos heróis da saga Metal Gear. Mas houve alguém que ficou seriamente desolado quando soube que era o último do seu ofício ainda no activo. Refiro-me a Sam Fisher, o grande concorrente de Solid Snake que quando soube da notícia (um tributo que a Ubisoft fez recentemente) ficou... desolado. A cara dele disse tudo, aquela expressão de tristeza misturada com uma pitada de confusão ou se preferirem "não acredito no que acabei de ouvir". Foi um momento engraçado mas ao mesmo tempo um reminder de que provavelmente nunca mais veremos nenhum Metal Gear decente. Bom, mas no que toca a Splinter Cell, a probabilidade de uma nova aventura é grande portanto vejamos as aventuras passadas. O jogo de hoje marca o segundo episódio da saga e este exemplar aterrou no JDF algures entre Setembro e Outubro de 2016, por cerca de 3 euros oriundo de uma loja de jogos usados em Lisboa.