6 de julho de 2009

Super Probotector - Alien Rebels

Wait... não eram humanos?!
Desenvolvido por: Konami
Publicado por: Konami
Designer(s): Nobuya Nakazato
Compositor(es): Miki Yanagisawa, Masanori Adachi, Tappy Iwase
Plataforma(s): Super Nintendo, Virtual Console, Nintendo Super System (Arcade)
Lançamento: 28-02-1992 (JP), 06-04-1992 (EUA), 19-11-1992 (EU)
Género: Run ‘N Gun
Modos de jogo: Um jogador e Co-Op dois jogadores
Media: Cartucho de 16-megabit
Outros nomes: Contra III – The Alien Wars (EUA), Contra Spirits (魂斗羅スピリッツ) (JP)
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o vezes sem conta. Ainda o jogo actualmente de vez em quando.

(Antes de mais nada, e por motivos óbvios, não menciono as versões de GameBoy Advance e Game Boy devido ao jogos em questão não serem de todo iguais, logo à partida não são versões fieis à de SNES.)

Old school stickers!
Tiros e mais tiros. É como se define qualquer jogo da série Probotector/Contra. No fundo são jogos anti-stress que por vezes têm o efeito oposto devido à sua elevada dificuldade. No caso deste e falando em termos históricos, foi-me oferecido em meados de 1995 pelo meu paizinho logo após eu ter sido um dos felizardos que ganhou uma Super Nintendo num desses concursos que haviam na televisão, aos Sábados logo pela manhã. Se bem me recordo o jogo foi comprado na primeira Toys ‘R Us que abriu em Portugal, que se situava no já extinto Euromarché, em Telheiras. Naquela época deve ter custado uns bons 15 contos… Ah! Foi o meu primeiro jogo de SNES!



Manual, cartucho e afins.
Factos reais aparte, convém dizer que a versão de SNES se passa em 2636, depois dos eventos de Super Contra, onde Bill Rizer e Lance Bean fazem mais uma vez frente aos mostrengos. Oh, esperem, na versão PAL são robotzinhos! RD008 e RC011, respectivamente, tudo graças à política que a Nintendo tinha na altura em censurar a "violência" em grande parte dos jogos (por acaso era por culpa da Alemanha). Alguém se lembra de ver sangue na versão PAL de Super Castlevania IV? Eu não… mas vejam a versão Japonesa...

Este comeu demasiado chili ao almoço.
Bom, o jogo em questão foi uma bomba na altura. Depois de ter jogado o Probotector de NES e o de GB, quando peguei neste foi um choque. Gráficos lindos de morrer, fluidos como se não houvesse amanhã, cores lindíssimas, inimigos gigantescos, enfim, tudo aquilo que um jovem poderia desejar num jogo deste estilo! E falando um pouco mais a sério, graficamente, Super Probotector é um jogo 2D lindíssimo. Tudo se mexe na perfeição, sem solavancos (com se via na NES), com efeitos espectaculares e até o modo 7 cumpre o seu dever plenamente. Continuo a dizer que até hoje é um mimo para os olhos de um fã de 16-bit. Sonoramente também mantém um nível bastante elevado e as músicas são memoráveis, sendo que algumas são as do original e essas nunca se esquecem. Obrigado SNES, pelos teus Sony SPC700 e Sony DSP (Hein! É Sony e não é PS3!) que fazem qualquer Megadrive chorar de inveja por não debitar um som tão bom quanto o teu…

A dois é sempre melhor.
Quando chega à parte de pegarmos no comando e jogarmos, aqui é que realmente vemos a grandeza deste título. Um controlo soberbamente fluido, sem grande margem para combinações complicadas, proporciona uma jogabilidade extremamente fácil, viciante e divertida, especialmente se jogarem em co-op. Esta versão de SNES veio também introduzir algumas novidades como por exemplo armas novas, podermos levar duas dessas armas ao mesmo tempo, bombas para limparmos todos os inimigos no ecrã ao mesmo tempo, níveis top view em mode 7 e claro, o excelente nível 4 onde andamos de mota. Também veio introduzir um desafio: o final do jogo só podia ser visto se acabássemos em Hard (coisa que a Konami tornou standard em muitos dos seus jogos, TMNT IV é um dos exemplos se bem que era facílimo ou então eu é que sou muito bom a jogar *cof*). Claro que em Hard o jogo era mesmo um grande desafio e acabá-lo sozinho podia levar a perder muitas horas em sessões de treino. Em co-op tornava-se bem mais fácil se tivesse a jogar com alguém do mesmo nível e que não vos roubasse vidas depois de ter perdido as suas...

Uma brigada da GNR em acção na A2.
Em suma, Super Probotector - Alien Rebels é um jogo que envelheceu bastante bem na minha opinião como jogador. Ainda hoje é bastante actual, joga-se em qualquer altura e consegue superar muito jogo que por aí anda, dentro do mesmo estilo. Se não o têm, é um crime e tendo uma Wii é só comprá-lo por uma ninharia. Ah! É claramente um JOGALHÃO DE FORÇA por estar na minha modesta colecção… :D

Até breve, minions! (Overlord rula tanto...)

MURRALHÕES DE FORÇA: 

Sem comentários:

Enviar um comentário