19 de outubro de 2015

The Legend of Zelda - Link's Awakening DX

Gosto mais da capa dourada...
Desenvolvido por: Nintendo EAD
Publicado por: Nintendo
Director: Takashi Tezuka
Produtor: Shigeru Miyamoto
Artista: Yoichi Kotabe
Argumentista(s): Yoshiaki Koizumi, Kensuke Tanabe
Compositor(es): Kazumi Totaka, Minako Hamano, Kozue Ishikawa, Koji Kondo
Plataforma(s): Nintendo Game Boy Color, Virtual Console
Lançamento: 12-12-1998 (JP), 18-12-1998 (EUA), 01-01-1999 (EU), 07-05-2011 (VC)
Género: Action Role Playing Game
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Não se aplica
Funcionalidades: 3 slots para gravação de progresso no cartão de memória
Outros nomes: Zeruda no Densetsu: Yume o Miru Shima DX (ゼルダの伝説 夢をみる島 DX que se traduz em "The Legend of Zelda: The Dreamed-Up Island DX") (JP)
Estado: Não se aplica
Condição: Não se aplica
Viciómetro: Acabei-o duas vezes e mais virão.

(Está de chuva...)

Esta miúda passa a vida nas cantorias.
Hoje para variar (ou não) um bocado é dia de Jogalhões Flash! Isto porque o jogo que trago até aqui hoje, já o dei a conhecer na sua versão original a preto e branco (ou preto e verde, se preferirem) e esta versão é apenas uma actualização do mesmo que saiu posteriormente já no Game Boy Color em 1998/1999. Esta versão digital foi adquirida na eShop da 3DS algures entre Setembro e Outubro de 2014, numa promoção por cerca de 3.99€. Preferia ter a versão original física mas como queria jogar isto novamente e o meu original ficou sem pilha para gravar (sendo eu preguiçoso não a mudei pois isso implica desmontar o cartucho), lá me decidi por esta opção mais simples (e barata).


Um dos bosses da nova masmorra.
The Legend of Zelda - Link's Awakening DX é uma actualização do jogo original, saído em 1993 para o saudoso Game Boy. Sendo um dos meus jogos favoritos de todos os tempos (e um dos meus Zelda's de eleição), não podia deixar passar a oportunidade de voltar novamente a esta excelente aventura na ilha de Koholint, onde Link naufragou depois de uma atribulada viagem pelo oceano. O resto da história já vocês sabem (ou deviam saber pois é crime não ter jogado isto). Esta versão inclui diversas novidades que abordarei mais adiante.

Link, ainda não és o He-man...
Graficamente o jogo é muito parecido ao original, existindo algumas diferenças meramente cosméticas como por exemplo as Stone Slabs serem substituídas pelas Owl Statues, fazendo assim alusão ao mocho que nos ajuda ao longo da aventura. Por outro lado, agora temos cor, ou melhor, cores! O jogo fica assim com um aspecto bem melhor e sobretudo mais rico em termos visuais. Em termos audíveis, as coisas mantêm-se na mesma, com a mesma musicalidade e efeitos sonoros, que continuam a ser excelentes provando assim que o Game Boy é uma excelente máquina neste departamento.

A foto que prova o crime!!
Pouco ou nada mudou no que toca à parte da jogabilidade deste título. O controlo é idêntico em toda a sua extensão, sendo escusado dizer que continua a ser impecável. Mas, como seria de esperar, existem novidades. O facto de ter cor, trouxe por si só uma nova masmorra baseada nesta premissa que após completa nos dá a escolher uma de duas túnicas, sendo que estas se traduzem em mais ataque ou mais defesa permanentemente. Se se lembram daqueles itens que de vez em quando apanhávamos durante as batalhas, uma bolota e um triângulo, o efeito é igual mas indefinidamente.

Parece uma boa altura para fazer uma omelete.
Por outro lado, existe agora uma loja nova que se traduz num estúdio fotográfico e que nos permite ver alguns dos momentos mais icónicos deste jogo sob a forma de fotografias. Estas podem ser obtidas em pontos específicos e se quisermos (e tivermos o hardware para o efeito), podemos usar a Game Boy Printer e assim imprimir o momento. Para além destas novidades, pequenos ajustes foram feitos na dificuldade de alguns bosses bem como corrigido aquele famoso bug que nos permitia fazer sequence breaking com o botão Select enquanto fazíamos a transição de um quadro para outro e assim obter itens que supostamente só seriam obtidos muito mais à frente na aventura, bem como ultrapassar a maioria do jogo se ter de fazer muito. Adeus speedruns...

Se ainda não jogaram este Link's Awakening, esta versão DX é a que actualmente recomendo por todos estes motivos. E já não há desculpa para não jogar este JOGALHÃO DE FORÇA!

Próximo jogo: um anime famosérrimo, em jogo na PSP.
 
MURRALHÕES DE FORÇA: 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário