19 de agosto de 2019

Metal Gear Solid HD Collection [Limited Edition]

Not Snake, Snake and Snake.
Desenvolvido por: Kojima Productions (originais), Bluepoint Games (MGS2/MGS3), Genki (MGS: Peace Walker), Aspect Co. (Metal Gear/Metal Gear 2: Solid Snake)
Publicado por: Konami
Director: Hideo Kojima
Produtor: Hideo Kojima
Artista: Yoji Shinkawa
Argumentista(s): Hideo Kojima
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PlayStation Vita, NVIDIA Shield TV
Lançamento: 08-11-2011 (EUA), 23-11-2011 (JP), 03-02-2012 (EU)
Género: Acção, Stealth
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Co-op para dois a quatro jogadores online, Multiplayer online até seis jogadores
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Função de Vibração, HD 720p
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei o Peace Walker uma vez com mais de 120 horas de jogo, Metal Gear e Metal Gear 2: Solid Snake. Ainda não joguei os ports do 2 e 3.

Esta caixa é grande.
Hoje para algo completamente diferente, não venho aqui apresentar mais um jogo e uma análise pessoal ao mesmo (até porque neste momento não tenho nada para analisar e ainda estou a jogar outros tantos). Em vez disso, decidi apresentar um formato diferente onde analiso uma edição de um jogo (ou neste caso, uma colectânea) mostrando assim o conteúdo que inclui e se vale ou não a pena o investimento de acordo com a relação qualidade/preço. E isto é algo que a longo prazo posso vir a fazer com outras edições, mesmo que os jogos já tenham sido analisados por aqui. Para a estreia desta formato, escolhi um peso pesado dos videojogos: Metal Gear Solid, mais concretamente a Limited Edition de Metal Gear Solid HD Collection, que na Europa teve direito a alguns goodies que os americanos nem sequer cheiraram. Os japoneses tiveram uma edição parecida com a de Vita onde  Peace Walker foi omitido mas neste caso vendido em separado para PS3 e Xbox360. Para compensar a versão de PS3 da HD Collection incluía um código de download de Metal Gear Solid na PSN e a versão standalone de Peace Walker incluí um código de download da versão de PSP. Na Xbox360 foi tudo presenteado com... avatares da saga para o Xbox Live. Este exemplar veio da Zavvi pois era a única loja na Europa que vendia isto exclusivamente por cerca de 90 euros no lançamento. Arrisquei esperar uns meses e o preço baixou para metade, tendo custado 45 euros com portes incluídos.


Caixa normal e steelbook.
Metal Gear Solid HD Collection apresenta-se como uma simpática colectânea que alberga alguns dos melhores títulos da série, com um notório upgrade em termos visuais onde as coisas agora se podem ver a 720p/60 frames, com alguns dos problemas dos originais corrigidos e melhorias em termos de jogabilidade como é o caso de Peace Walker que parece ter sido o jogo que mais beneficiou disto. Embora o marketing deste jogo diga que apenas inclui três jogos, na verdade inclui mais dois: Metal Gear e Metal Gear 2: Solid Snake, ambos de MSX e que fazem parte dos extras de Metal Gear Solid 3: Subsistence, a segunda versão deste clássico. O mesmo se passa com Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty que aqui se apresenta na sua versão Substance com os devidos extras dessa mesma. O packaging desta edição podia de facto ser melhor, uma vez que muitas pessoas se queixaram da caixa vir danificada devido a mau acondicionamento por parte da Zavvi, coisa que não me queixo pois só tinha uma pequena marca no topo da caixa. O material usado tem praticamente a mesma espessura de uma caixa de SNES, ou seja, é frágil e facilmente se danifica.

Vista traseira das caixas.
Quanto à arte utilizada é sem dúvida soberba, reflectindo o ambiente de cada jogo mesmo através do jogo de cores utilizado: azul, amarelo e verde, usando renders da cada personagem para ilustrar a mesma. Pessoalmente preferia que fossem ilustrações de Yoji Shinkawa como nos jogos anteriores pois têm aquele estilo característico com a qual a saga está associada mas ainda assim não aponto defeitos ao trabalho aqui efectuado. O modo de abertura da caixa é de fácil acesso sem ser preciso forçar ou danificar nenhuma parte como acontece em certas embalagens. O interior é algo desapontante pois incluí apenas suportes brancos em cartão não muito mais espesso que a caixa em si para suportar os itens. Isto faz como que os dois suportes do artbook facilmente fiquem danificados nas extremidades devido ao peso deste.

Manual, disco e ilustração interior.
Em termos de conteúdo temos então o jogo numa normalíssima caixa de PS3, com o dito disco e manual de instruções e ainda uma ilustração no interior da capa no lado esquerdo, o que é sempre simpático ver. A capa em si adopta o formato dos Classics HD da PS3 que a meu ver funciona visualmente embora não prime pela beleza em si. Já o steelbook incluído adopta o esquema de cores da caixa de cartão, com a mesma arte na frente sendo que na traseira temos a arte das edições originais de cada jogo. O interior do steelbook não tem rigorosamente arte nenhuma, algo bastante desapontante na minha opinião. Ah, e este é daqueles steelbooks que atraem dedadas como se não houvesse amanhã. Pessoalmente prefiro que sejam baços pois impedem isso mesmo.

Capa do artbook.
O artbook é sem dúvida um dos motivos pelos quais adquiri esta edição pois são cerca de 250 páginas de coisas boas para regalar a vista, especialmente se forem fãs não só da saga mas também da arte de Yoji Shinkawa que a meu ver é sem dúvida um génio na área. A capa e contracapa apresentam desde logo esta arte, sem nenhum título na frente, estando este apenas na lombada. O material usado no artbook é bastante bom em termos de qualidade com capa dura e papel glossy. Para rematar, esta edição incluí ainda uma t-shirt de tamanho M (curiosamente assenta-me que nem uma luva, o que é raro com edições de jogos), cor cinza e com uma ilustração colorida de Snake pelo mestre Shinkawa.

Contracapa do artbook.
A história desta edição na Europa não deixa de ser um desastre de comboio devido não só à Zavvi mas também por culpa da comunicação da Konami que nem sempre foi a melhor. Inicialmente, o jogo era para ser limitado a 4000 unidades e a edição chamar-se-ia Ultimate HD Collection. Os seu conteúdo iria incluir não só a HD Collection mas também Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots, um código de download de Metal Gear Solid na PSN e cinco art cards, tudo isto apenas num steelbook. Quem fez pre-order disto teve uma má surpresa quando viu a edição a desaparecer do site para mais tarde ressurgir com o nome Ultimate HD Edition, contendo apenas o conteúdo desta Limited Edition. Para compensar, estes clientes iriam receber a versão platinum de MGS4. Mais tarde a Zavvi alterou o nome da edição para o actual que conhecemos e relevou os números das edições: 6000 na PS3 e 4000 na Xbox360 para pre-order de um total de 8000 na PS3 e 5000 na Xbox360, fazendo com que a edição em si seja um nada mais rara nesta consola.

T-shirt máscula com Snake.
Actualmente esta edição ainda se encontra com frequência no eBay e outros locais do género, com preços que flutuam entre os dois e três dígitos, consoante o estado e consola. Na Xbox360 os preços são ligeiramente mais baratos mas ainda assim, quem quiser arranjar esta edição, com alguma paciência consegue um bom negócio, sobretudo se não for para os "selados" pois apesar de vir selada de origem, não era o habitual invólucro com a tira da Sony, embora o jogo tivesse esse. Se vale a pena ter esta edição em 2019? Sem dúvida, sem forem fãs ainda mais pois é a única maneira (legal, note-se) de jogar estes clássicos em HD pois esta edição nunca saiu nas consolas actuais, em PC e provavelmente não irá sair para mais nada. E quem é que tem uma NVIDIA Shield TV? Além do mais, aí é só mesmo digital. Portanto, com isto tudo, termino aqui esta exposição e esta Limited Edition de Metal Gear Solid HD Collection, apesar dos pequenos defeitos apontados é uma EDIÇÃO DE FORÇA! (Já esperavam que escrevesse isto, não é?)

Sem comentários:

Publicar um comentário