26 de agosto de 2019

Street Fighter EX Plus α

Podiam ter usado a arte do CD.
Desenvolvido por: Arika
Publicado por: Capcom, Virgin Interactive (EU)
Designer(s): Junichi Ono, Akira Nishitani, Noritaka Funamizu, Kazuko Kawanaka, Masashi Tanaka
Artista(s): Jun Matsumura, Alien Pole, Masaaki Tanaka, Kazuko Kawanaka
Compositor(es): Takayuki Aihara, Shinji Hosoe, Ayako Saso
Plataforma(s): PlayStation, Arcade
Lançamento: 17-07-1997 (JP), 30-09-1997 (EUA), 28-11-1997 (EU)
Género: 3D Fighting
Modos de jogo: Modo Arcade para um jogador, Modo Vs. para dois jogadores, Outros modos de jogo
Media: CD-ROM (650MB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (1 Bloco)
Estado: Completo
Condição: Razoável, o CD apresenta marcas de uso e a caixa tem rachas um pouco por todo o lado.
Viciómetro: Acabei-o imensas vezes, tendo desbloqueado tudo o que havia para desbloquear.

Informação pertinente.
Muitos dos jogos que tenho na colecção, foram compras normalíssimas, sem nenhuma história por trás, algo que é bastante comum a quem colecciona. Contudo, outra parte destes jogos têm sempre histórias associadas, algumas mais caricatas do que outras, e até tramas que adensam em complexidade. O jogo que apresento aqui hoje encaixa perfeitamente nesta descrição pois tem uma história curiosa associada. Inicialmente tive este jogo algures em 1998, uma altura em que andava fervorosamente a experimentar qualquer jogo que aparecesse na consola, pedindo emprestado a amigos quando tinha dúvidas acerca da qualidade do mesmo ou simplesmente comprando assim que pudesse fazê-lo. E claro, as demos da revista oficial PlayStation eram uma dádiva divina. Mas este jogo em particular chegou-me à mãos através de um amigo que mo vendeu juntamente com o Gran Turismo, visto precisar de dinheiro e não ter mais interesse em ambos os jogos. O estado deles não era pristino mas estavam em condições minimamente aceitáveis. E por cerca de 5 contos, mais coisa menos coisa, fiquei com os dois. Algum tempo mais tarde, já depois de ter jogado ambos os jogos até à exaustão, continuei a jogar este de vez em quando pelo que um dia, depois de uma tarde de jogatana com pessoal amigo dei conta que o jogo tinha desaparecido. Ficou apenas a caixa com as respectivas capas e manuais. Sempre desconfiei quem tivesse sido mas sem provas era difícil apontar o dedo e como não era pessoa que visse com frequência mais complicado era confrontá-la. Mas como o que é nosso, à nossas mãos virá ter, em Agosto de 2019 lá apareceu um exemplar do jogo que foi doado pelo Gonçalo Gonçalves do St1ka's Retro Corner, no YouTube.

19 de agosto de 2019

Metal Gear Solid HD Collection [Limited Edition]

Not Snake, Snake and Snake.
Desenvolvido por: Kojima Productions (originais), Bluepoint Games (MGS2/MGS3), Genki (MGS: Peace Walker), Aspect Co. (Metal Gear/Metal Gear 2: Solid Snake)
Publicado por: Konami
Director: Hideo Kojima
Produtor: Hideo Kojima
Artista: Yoji Shinkawa
Argumentista(s): Hideo Kojima
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PlayStation Vita, NVIDIA Shield TV
Lançamento: 08-11-2011 (EUA), 23-11-2011 (JP), 03-02-2012 (EU)
Género: Acção, Stealth
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Co-op para dois a quatro jogadores online, Multiplayer online até seis jogadores
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Função de Vibração, HD 720p
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei o Peace Walker uma vez com mais de 120 horas de jogo, Metal Gear e Metal Gear 2: Solid Snake. Ainda não joguei os ports do 2 e 3.

Esta caixa é grande.
Hoje para algo completamente diferente, não venho aqui apresentar mais um jogo e uma análise pessoal ao mesmo (até porque neste momento não tenho nada para analisar e ainda estou a jogar outros tantos). Em vez disso, decidi apresentar um formato diferente onde analiso uma edição de um jogo (ou neste caso, uma colectânea) mostrando assim o conteúdo que inclui e se vale ou não a pena o investimento de acordo com a relação qualidade/preço. E isto é algo que a longo prazo posso vir a fazer com outras edições, mesmo que os jogos já tenham sido analisados por aqui. Para a estreia desta formato, escolhi um peso pesado dos videojogos: Metal Gear Solid, mais concretamente a Limited Edition de Metal Gear Solid HD Collection, que na Europa teve direito a alguns goodies que os americanos nem sequer cheiraram. Os japoneses tiveram uma edição parecida com a de Vita onde  Peace Walker foi omitido mas neste caso vendido em separado para PS3 e Xbox360. Para compensar a versão de PS3 da HD Collection incluía um código de download de Metal Gear Solid na PSN e a versão standalone de Peace Walker incluí um código de download da versão de PSP. Na Xbox360 foi tudo presenteado com... avatares da saga para o Xbox Live. Este exemplar veio da Zavvi pois era a única loja na Europa que vendia isto exclusivamente por cerca de 90 euros no lançamento. Arrisquei esperar uns meses e o preço baixou para metade, tendo custado 45 euros com portes incluídos.

12 de agosto de 2019

Half-Life

Alguém gosta muito de laranja...
Desenvolvido por: Gearbox Software
Publicado por: Sierra Entertainment
Director: Antoine Villette
Produtor: Florian Desforges
Designer: Nicholas Castaing
Artista(s): Arnaud Barros, Frédéric Michel
Argumentista: Marc Laidlaw
Compositor(es): Kelly Bailey, Ben Houge
Plataforma(s): PlayStation 2, PC, OSX
Lançamento: 11-11-2001 (EUA), 30-11-2001 (EU) 
Género: First Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Modo Co-Op para dois jogadores em splitscreen, Multiplayer local para dois jogadores
Media: CD-ROM (650MB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (500KB mínimo), Compatível com controlo analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração, Compatível com rato e teclado USB
Estado: Completo
Condição: Muito boa, poucas marcas de utilização
Viciómetro: Acabei-o o modo história e o modo co-op uma vez cada.


Yep, este vem em CD.
A "guerra" entre PC e consola sempre foi motivo de conversa por imensos motivos ao longo dos anos. Se inicialmente os PCs eram fracos e tinham jogos de qualidade dúbia quando comparados a uma Super Nintendo ou MegaDrive, o panorama alterou-se com o passar dos anos onde o PC ganhou uma posição privilegiada. Muitos jogos tornaram-se obrigatórios de serem jogados em PC, com as versões de consola a serem motivo de escárnio por estarem numa consola e não serem de perto fieis aos originais. Contudo, muitas dessas versões são ports verdadeiramente bem conseguidos, alguns com certas concessões devido ao hardware mas outros tecnicamente superiores aos originais em praticamente todos os aspectos. O jogo que trago até aqui hoje é um óptimo exemplo disto. Um port que começou a ser desenvolvido para a Dreamcast e depois passou para a PS2 devido ao facto da Dreamcast estar a morrer nessa fase. Este meu exemplar chegou à colecção algures no final de Julho de 2019, por €7.95, oriundo do local habitual, a Play N' Play.

5 de agosto de 2019

Metal Gear 2 - Solid Snake

Mais uma capa personalizada.
Desenvolvido por: Konami
Publicado por: Konami
Director: Hideo Kojima
Designer: Hideo Kojima
Artista(s): Shuko Iwamoto, Tae Yabu, Tomohiro Nishio
Argumentista: Hideo Kojima
Compositor(es): Tsuyoshi Sekito, Masahiro Ikariko, Mutsuhiko Izumi, Yuko Kurahashi, Tomoya Tomita, Kazuhiko Uehara, Yuji Takenouchi
Plataforma(s): PlayStation 3, PlayStation 2, MSX2
Lançamento: 20-07-1990 (JP/MSX), 08-11-2011 (EUA), 23-11-2011 (JP), 03-02-2012 (EU)
Género(s): Acção, Aventura, Stealth
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido
Estado: Não se aplica
Condição: Não se aplica
Viciómetro: Acabei-o uma vez.

A rastejar para não alertar o bicho...
Metal Gear Solid é provavelmente um dos jogos mais bem sucedidos de sempre que quando aterrou na PlayStation foi um estrondo tremendo. Desde a história complexa, passando pela tecnologia visual e claro, sem esquecer a excelente parte audível, este jogo foi sem dúvida um marco importante na história dos videojogos. Mas é preciso conhecer as origens a que se deveu este sucesso e no caso deste jogo, que foi o primeiro da série para quase todos os que se tornaram fãs ao longo destes anos, muitas das coisas presentes na sua concepção, não são de todo originais mas sim, uma espécie de remake de ideias previamente utilizadas noutro jogo da saga. De um modo geral podemos dizer que foi a concretização de tudo aquilo que Hideo Kojima já tinha concebido previamente mas agora num glorioso mundo 3D. Este jogo lançado para a MSX2 em 1990, fez uma viagem até à PS2 e PS3 mais tarde, na versão Subsistence de MGS3 como extra e é essa versão que vamos aqui analisar.