12 de outubro de 2017

New Super Mario Bros.

Uma capa animada.
Desenvolvido por: Nintendo EAD 
Publicado por: Nintendo
Director: Shigeyuki Asuke
Produtor: Hiroyuki Kimura
Designer: Masanao Arimoto
Compositor(es): Asuka Ota, Hajime Wakai
Plataforma: Nintendo DS
Lançamento: 15-05-2006 (EUA), 25-05-2006 (JP), 06-06-2006 (EU)
Género: Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer local até 4 jogadores
Media: Cartão de jogo com 1024Mbit
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartão de jogo, Wireless DS Single Card Download Play, Wireless DS Multi-Card Play.
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Terminei-o várias vezes.
 
(Para quando a próxima Classics Mini? E qual será? Aceitam-se apostas!)
 
Este não trazia autocolantes.
No que concerne ao mundo dos videojogos, Super Mario (ou simplesmente Mario) deve ser a personagem mais famosa de todas. Basta perguntar a qualquer pessoa, mesmo que seja o maior leigo na matéria, a resposta será provavelmente esta. E se perguntarmos o que Mario faz, para além do óbvio que é salvar a princesa, muitos irão responder que é canalizador. O que está certo... ou será que não? Pois, o meu espanto foi mesmo esse quando anunciaram que Mario deixou oficialmente de ser canalizador há uns tempos atrás agora que um novo jogo se aproxima para a Switch. Mas também, tendo em conta que anteriormente era carpinteiro (nos tempos idos de Donkey Kong nas arcadas) e assumiu ainda um rol de outras profissões, ainda que temporariamente (são demasiadas para estar a enumerar), pouco importa o que vai ser futuramente desde que continue a proporcionar-nos boas aventuras. E é isso mesmo que o traz até aqui hoje, uma aventura portátil que tem tudo de bom. Este exemplar chegou ao JDF algures entre Setembro e Outubro de 2015 pela módica quantia de 5 euros, estando em excelente estado embora tivesse sido usado anteriormente por alguém que o estimou.


Manual, papelada, inlay e cartão de jogo.
New Super Mario Bros. marca assim o regresso do nosso amigo, agora ex-canalizador, à DS para mais uma aventura que não se afasta muito das tantas outras que já conhecemos. Desta vez Mario tem de salvar a princesa, como se isso fosse novidade, das garras de Bowser e Bowser Jr. que voltaram a cometer a atrocidade do costume (como se isso lhes fosse valer de alguma coisa). Mas como todo o jogo precisa de um pretexto para existir, esta é apenas uma das formas mais comuns de se começar.

É isso, dá o passo em frente!
Ao contrário do que se poderia esperar, NSMB opta por visuais 2.5D onde temos modelos 3D num plano bidimensional, mantendo assim o espírito dos jogos antigos mas com uns visuais mais modernos. Pessoalmente já apreciei mais este estilo visual pelo que acho que este jogo em especial iria ficar muito melhor se fosse todo a 2D. Mas como não se pode ter tudo, o que aqui se apresenta está muito bom, com bastante diversidade cénica algo que é bastante comum nos jogos da série e acima de tudo com excelentes animações. Desde o nosso herói, aos inimigos, tudo se mexe impecavelmente e com ritmo, algo que é particularmente agradável de se ver sobretudo porque o jogo corre a 60 frames constantes e sem quebras que me tivesse apercebido.

It's a-me! Koooopa!
Aproveitando muitos daquilo que se fez anteriormente, a componente sonora está recheada de sons e efeitos já bem conhecidos bem como outros completamente originais que assentam que nem uma luva ao jogo. O mesmo se pode dizer da banda sonora, que apesar de conter algumas faixas novas e originais, contém também vários remixes de faixas bem conhecidas dos fãs de Mario e que proporcionam assim o ambiente esperado deste jogo. A única coisa que não aprecio muito é Mario ter de dizer algo sempre que executa um movimento (seja um gritinho, uma palavra ou pequena frase) mas isto já se tornou algo standard nos jogos da série desde Super Mario 64 e até mesmo em alguns dos remakes de GBA (que a meu ver era completamente desnecessário).

Gotta catch 'em all! Oh wait...
No plano da jogabilidade, NSMB é um verdadeiro mimo. O controlo é perfeito e muito reminiscente de outros jogos da série com os habituais movimentos bem como alguns que foram introduzidos aqui, oriundos de Super Mario 64 como o Ground Stomp, Triple Jump e Wall Jump. O mesmo se pode dizer dos power-ups, com os tradicionais Fire Flower, Super Mushroom e Starman bem como algumas novidades que se traduzem no Mega Mushroom, Mini Mushroom e Blue Koopa Shell. Estes permitem (por esta ordem), Mario ficar gigantesco, minúsculo e esconder-se de ataques inimigos por debaixo da carapaça. Por outro lado recuperou-se uma das mecânicas de Super Mario World, manter um item de reserva que pode ser utilizado quanto bem entendermos e isto é particularmente útil para levarmos itens de um nível para outro.

The eel came out to play!
O jogo assenta na tradicional base de 8 mundos divididos em 10 níveis cada (com os seus segredos por desvendar e 3 Star Coins para apanhar em cada) num mapa ao bom estilo de Super Mario Bros. 3 (que tanto aprecio). O touchscreen pode ser utilizado para navegar de mundo em mundo bem como usar itens quando estamos nos níveis. Para além do single player, o jogo apresenta ainda multiplayer local e alguns mini jogos oriundos de Super Mario 64 DS agora com capacidade para até 4 jogadores. Mas como seria de esperar de mim, não testei estes modos embora ainda hoje seja possível pois basta ter um cartão de jogo para um deles ou quatro para os restantes, não havendo online de espécie alguma.

Mesmo depois de morto é chato.
Embora não seja o melhor jogo da série, New Super Mario Bros. é sem dúvida bastante bom e divertido, funcionando de forma excelente como jogo portátil. Eu também sou suspeito pois prefiro de longe o look e carisma dos antigos mas este é sem dúvida um JOGALHÃO DE FORÇA.

Próximo jogo: um remake (ou reboot) de um jogo com aliens pela mão da Sega, na Wii. 



MURRALHÕES DE FORÇA:

Sem comentários:

Publicar um comentário