22 de agosto de 2011

Tenchu - Wrath of Heaven

Ninjas e vermelho, existe um padrão.
Desenvolvido por: K2 LLC
Publicado por: Activision, From Software (JP)
Plataforma(s): PlayStation 2, Xbox, PlayStation Portable
Lançamento: Versão PS2 - 03-03-2003 (EUA), 07-03-2003 (EU), 24-04-2003 (JP)
Género: Stealth Action
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (40KB mínimo), Compatível com controlo analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração.
Outros nomes: Tenchu 3 (JP)
Estado: Completo
Condição: Boa, o disco original apresenta ligeiras marcas de uso, a versão promo está como nova.
Viciómetro: Acabei-o umas quatro vezes. É excelente.

(Adicionei uma lista completa da colecção, ali ao lado direito e ando a actualizar os posts antigos. Check it out! :D)

Mais ninjas e vermelho.
No seguimento dos jogos de PlayStation, é natural que surgissem por estas bandas as sequelas dos Tenchu antigos, ou não gostasse eu de ninjas e afins. Mas comecemos então pela sequela do primeiro, que foi também o primeiro jogo da saga a aterrar na PlayStation 2, com direito a todos os devidos tratamentos que o hardware podia oferecer. Este meu exemplar é uma versão promocional, daquelas que são enviadas para as redacções das revistas da especialidade para serem analisadas. Quando não as querem, sorteiam-nas em concursos e esta foi ganha num desses concursos. A única coisa que tive de fazer foi escrever uma pequena análise sobre um jogo de PS2, neste caso para a PSM. Ganhei este exemplar, que se encontra em excelentes condições, com uma análise a Gungrave (que irei trazer aqui futuramente). Posteriormente adquiri a versão normal (que se vê nas fotos), por cerca de 8 euros no eBay.


Manual e disco.
Tenchu - Wrath of Heaven é a verdadeira sequela para Tenchu - Stealth Assassins, depois daquele final duvidoso que nos deixou a pensar. Assim, depois de todo aquele aparato, um ano depois Rikimaru volta a aparecer e informa Lord Gohda que está de regresso. Contudo, o verdadeiro Rikimaru encontra-se preso no século XX. A história deste episódio gira em torno das Three Jewels que dizem dar um poder infinito a quem as possua, o que faz com que desperte o interesse de Tenrai, um malvado feiticeiro. Este por sua vez ao dar de caras com Rikimaru fica mais interessado no seu poder do que propriamente nas jóias mas mesmo com uma oferta choruda, Rikimaru recusa. Porém não deixa de sentir algum interesse em saber mais acerca deste Tenrai até porque vai encontrar alguns velhos conhecidos como Onikage e Tatsumaru, no lado oposto.

O disco na sua vertente promocional.
Sendo o primeiro Tenchu na PS2, tinha de causar boa impressão e no campo visual não deixou os créditos por mãos alheias. Graficamente é um jogo bastante polidinho, contando com um excelente ambiente fruto dos cenários que variam entre aldeias, fortalezas, florestas, grutas e até templos, pormenorizados q.b. e onde as personagens fazem as suas vidinhas, estando estas bastantes detalhadas e bem caracterizadas. Toda a acção se desenrola a uns estáveis 60 frames por segundo, sem quebras aparentes e o controlo de câmara é inteiramente manual e bastante intuitivo, permitindo ter um controlo absoluto sobre a acção, sem complicações.

A componente sonora é impecável, a começar pela banda sonora, reminiscente dos títulos anteriores mas com temas novos, que se fazem sempre sentir durante o jogo inteiro, conferindo na maior parte do tempo, aquele clima de mistério e tensão, característico da saga. O som no geral está também muito bem conseguido, desde os passos dos inimigos, aos monólogos idiotas dos mesmos, sons das armas e claro, o voice-acting que felizmente podemos mudar para japonês, para assim apreciar o jogo como deve ser.

Em Tenchu também há zombies.
A jogabilidade foi bastante melhorada face aos jogos anteriores, aproveitando a maior parte das ideias, reciclando-as e adicionando algumas novidades. Controlar Rikimaru e Ayame é praticamente idêntico, sendo ele mais forte e ela mais rápida, onde as únicas diferenças são as stealth kills e algumas partes da história que acabam por culminar no final. Podemos ainda jogar com uma terceira personagem chamada Tesshu Fujioka, o médico da aldeia que é assassino à noite. Diria que das três é a melhor personagem pois usa força bruta e alguns gadgets interessantes para a matança, isto para não referir que tem as stealth kills mais brutais de sempre, na série. A história dele é um aparte dentro do jogo. A acção atenta no costume, temos vários níveis, com vários layouts e o objectivo por norma é sempre chegar do ponto A ao ponto B e ocasionalmente limpar o sebo a um boss. Tenchu sempre foi isto e espero que não mudem muito pois esta fórmula resulta. A ideia de não sermos vista continua a ser a palavra de ordem, com imensos gadgets ninja à nossa disposição e alguns movimentos novos bem como outros já conhecidos, como por exemplo esconder os corpos dos mortos para não "dar cana". Este título conta ainda com um modo multiplayer local onde podemos defrontar um amigo ou passar alguns níveis em Co-Op, resultando numa excelente experiência se forem ambos bons jogadores, pois o jogo permite stealth kills conjuntas, bastante interessantes, por sinal.

Onikage, o irmão perdido de Orochimaru.
Este jogo fez também a sua aparição na Xbox com o subtítulo Return from Darkness que enfatiza ainda mais os eventos da história, mas contando com muitos extras como por exemplo personagens novas, níveis novos, movimentos especiais novos e ainda a possibilidade de jogar online em Versus ou Co-Op. Outra versão do jogo foi lançada para PSP, retendo os extras da versão Xbox como por exemplo esconder os corpos ainda que limitações a nível de performance e visuais.

Acção a dobrar, double the fun!
Finalizando esta pequena exposição, Tenchu - Wrath of Heaven é um excelente jogo para quem gosta de andar escondido a fazer as coisas, sem se meter em confusões. Se jogaram e gostaram dos antigos, vão adorar este sem sombra de dúvidas. Como tal, é um JOGALHÃO DE FORÇA!

Amanhã, trago até aqui uma versão actualizada de um jogo já analisado. :)

MURRALHÕES DE FORÇA: 
 

5 comentários:

  1. Em relação a este jogo não há muito a dizer porque nunca joguei a série, embora sempre me tenha despertado interesse. Estou é curioso com essa análise ao Gungrave, um dos primeiros jogos que a Sega publicou desde que deixou o mercado de hardware.

    ResponderEliminar
  2. dá pra esconder corpos no tenchu 3 psp se não me engano...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. chama-se tenchu san portable, mas bela análise e belo blog/site

      Eliminar
    2. chama-se tenchu san portable, mas bela análise e belo blog/site

      Eliminar
    3. Obrigado pela visita e pelo comentário. Tem toda a razão, a versão de PSP baseada na de Xbox dá de facto para esconder corpos e eu fiz uma tremenda confusão na altura que escrevi isto e nem me apercebi do erro.

      Eliminar