28 de outubro de 2014

Super Castlevania IV

Esta boxart é fabulosa!
Desenvolvido por: Konami
Publicado por: Konami
Director: Masahiro Ueno
Produtor: Kazumi Kitaue
Compositor(es): Masanori Adachi, Taro Kudo
Plataforma(s): Super Nintendo, Virtual Console
Lançamento: 31-10-1991 (JP), 04-12-1991 (EUA), 23-11-1992 (EU)
Género(s): Acção, Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Cartucho de 16-megabit
Funcionalidades: Sistema de passwords
Outros nomes: Akumajō Dorakyura - Devil's Castle Dracula ( 悪魔城ドラキュラ) (JP)
Estado: Completo
Condição: Boa, a caixa tem algum desgaste.
Viciómetro: Acabei-o muitas vezes desde a primeira, algures em 93.

(Parece que o Verão se foi de vez...)

Belo do autocolante à antiga.
Agora que o Halloween está aí à porta, nada como entrar no espírito da coisa e trazer até ao blog um jogo que captura essa atmosfera na perfeição. Tem esqueletos, lobisomens, morcegos, zombies, corvos, aranhas, múmias, fantasmas e todas essas abominações características. Ah, e claro... tem vampiros, ou melhor ainda, o maior deles todos que é conhecido por vários nomes mas só um o identifica na perfeição: Drácula! Não é muito difícil de adivinhar que é um jogo de uma saga bem conhecida e uma das minhas favoritas, que dá pelo nome de Super Castlevania IV. Provavelmente o melhor Castlevania clássico de sempre. O exemplar em questão chegou-me à colecção algures em 2013, tendo sido adquirido ao meu amigo Ricardo Mateus, conhecido por Dark Vash nas internetes. Custou cerca de 15 euros, com caixa mas não tinha manual, coisa que facilmente resolvi pois eu guardei o manual deste jogo desde que me emprestaram o dito, em 1993.

25 de outubro de 2014

Batman - Arkham Origins Blackgate

Bonita cover art.
Desenvolvido por: Armature Studio
Publicado por: Warner Bros. Interactive Entertainment
Director: Mark Pacini
Artista: Todd Keller
Argumentista: Adam Beechen
Motor de jogo: Bluepoint Engine
Plataforma(s): Nintendo 3DS, PlayStation Vita, PlayStation 3, WiiU, PC, Xbox360
Lançamento: 25-10-2013 (Lançamento Mundial - 3DS/Vita), 01-04-2014 (EUA), 02-04-2014 (EU)
Género(s): Acção, Plataformas, Steath 'em up, Beat 'em up
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Cartão de jogo com 2GB
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartão de jogo
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez mas hei-de lá voltar.

(Tempinho bom!)

Screenshots é o que se quer.
Batman é sem dúvida o meu herói favorito. O facto de não ter super poderes como todos os outros torna-o especial e único. E é também um dos poucos heróis, senão o único, que tem sido abonado no que diz respeito a adaptação para filmes, séries e claro, videojogos. Lembro-me de ter jogado alguns no tempo das 8-bit e por aí fora, e eram bons jogos dadas as limitações técnicas. Passados alguns anos, a saga Arkham veio provar como se fazem excelentes jogos de heróis e o certo é que está para durar. O jogo de hoje é um dos episódios dessa saga, se bem que menor que todos os outros. O exemplar em questão foi adquirido pouco tempo depois do seu lançamento, na Fnac, ao preço normal de um jogo de 3DS por terras lusas. Não é muito normal fazer isto mas a resposta a dar é... It's BATMAN!

21 de outubro de 2014

Bioshock Infinite [Premium Edition]


As respectivas caixas.
Desenvolvido por: Irrational Games
Publicado por: 2K Games
Director: Ken Levine
Produtor: Adrian Murphy
Argumentista: Ken Levine
Compositor(es): Garry Schyman, Jim Bonney
Motor Gráfico: Unreal Engine 3
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC, Mac
Lançamento: 16-03-2013 (Lançamento Mundial)
Género: First Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Blu-Ray
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido, Suporte HD 720p, Compatível com Função de Vibração, Compatível com PlayStation Move, Funções de Rede, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o três vezes, nas várias dificuldades, alcançando a Platina.

(Parece que o Verão está de regresso!)

Fartou-se de ganhar prémios.
Longe vão os tempos em que os videojogos eram coisa de crianças. Actualmente, são mais do que tudo um modelo de negócio que sustenta muito boa gente para além de serem o passatempo de tantos muitos. E alguns, atingem valores de produção tão ou mais elevados do que os blockbusters de Hollywood. O jogo que trago até aqui hoje, é um bom exemplo disso. Uma saga que sempre primou pela sua qualidade e que teve sempre muito dinheiro envolvido na sua produção. Refiro-me portanto a Bioshock, neste caso concreto a Bioshock Infinite, o mais recente jogo da série. Esta versão que figura na colecção dá pelo nome de Premium Edition e contém um art book bastante bonito por sinal, a banda sonora em formato digital, conteúdo digital para uso no jogo, um porta-chaves alusivo aos Vigors do jogo, uma miniatura (mesmo mini) de um Handyman, temas para a PS3 e ainda um postal ilustrado de arte do jogo. Não é de todo a melhor edição de sempre em termos de conteúdo mas foi o que se arranjou, algures em 2013, por cerca de 30 euros oriunda de uma loja online.

16 de outubro de 2014

Contra 4 [20th Anniversary]

Que capa tão kickass!
Desenvolvido por: WayFoward Technologies
Publicado por: Konami 
Director: Matt Bozon
Produtor(es): William Oertel, Christopher Watson
Compositor: Jake Kaufman 
Plataforma: Nintendo DS 
Lançamento: 12-12-2007 (EUA), 13-03-2008 (JP) 
Género: Run 'n Gun 
Modos de jogo: Modo história para um jogador ou dois jogadores, Modo Challenge para um jogador
Media: Cartão de jogo com 256Mbit 
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartão de jogo
Outros nomes: Contra - Dual Spirits (JP) 
Estado: Completo 
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o várias vezes em Easy e Normal mas apenas uma em Hard.

(So many games, so little time...)

"Carnage" é a palavra certa.
Quando nos anos 90 descobri um pequeno jogo de Game Boy, que pouco depois descobri existir na NES e na SNES, chamado Probotector estava longe de saber que iria tornar-se no meu Run 'n Gun favorito. Mesmo tendo jogado outros tantos do género, há qualquer coisa nesta saga que me faz sempre voltar a jogar quase todos os jogos que a compõem novamente. Mas a Konami deixou-a cair um bocado no esquecimento depois dos flops de PlayStation, ainda que já na era da PlayStation 2 tenha tentado voltar às origens com Shattered Soldier. Mas não era de todo a mesma coisa. Foi preciso a Nintendo DS sair para termos uma verdadeira sequela de Contra III e, para todos os efeitos, prequela de Contra Hardcorps. Contra 4 chegou com toda a força dos clássicos e é sem dúvida o melhor de todos. Dúvidas? Já vão ficar esclarecidas. Este exemplar foi adquirido na Amazon, a um vendedor particular, novo e selado por cerca de 18 euros em Outubro de 2013. Curiosamente o jogo nunca saiu na Europa, sabe-se lá porquê...

13 de outubro de 2014

Final Fantasy XIII-2 [Limited Collector's Edition]

Branco mais branco não há!
Desenvolvido por: Square Enix, tri-Ace
Publicado por: Square Enix
Director: Motomu Toriyama
Produtor: Yoshinori Kitase
Artista(s): Isamu Kamikokuryo
Argumentista(s): Daisuke Watanabe, Kazuhiko Yajima, Nanako Saitoh
Compositor(es): Masashi Hamauzu, Naoshi Mizuta, Mitsuto Suzuki
Motor gráfico: Crystal Tools
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, Microsoft Windows
Lançamento:  15-12-2 11 (JP), 31-01-2012 (EUA), 03-02-2012 (EU)
Género: Role Playing Game
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: BluRay
Funcionalidades: Instalação no disco rígido, Gravação de progresso no disco rígido da consola (30.7MB minímo), Compatível com Função de Vibração, Suporte HD 720p, 1080i e 1080p, DLC adicional.
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o várias vezes para ver todos os finais. Platina alcançada.

(Desta vez não há screenshots, só fotos!)

As respectivas traseiras.
Final Fantasy. Um nome que não nos é estranho de forma alguma. Mas o curioso é a sua origem, que remonta aos anos 80 quando Hironobu Sakaguchi planeava abandonar a indústria dos videojogos e decidiu dar este nome àquele que seria o seu último jogo, a sua última aventura. Longe estava ele de adivinhar que esse nome se tornaria numa saga lendária que haveria de ter milhões de fãs por esse mundo fora, mas com os seus altos e baixos. E embora o senhor não tenha quase nada a ver com o título que trago até aqui hoje, o certo é que se não fosse ele, nenhum dos jogos existiria. Nem mesmo os que são maus. Este Final Fantasy XIII-2 é uma espécie de "pedido de desculpas" por parte de Square Enix, devido ao tremendo fracasso que o título anterior mostrou ser. E de facto, com este, conseguiram melhorar tudo o que o anterior tinha de mau mas já lá vamos. Esta Limited Collector's Edition inclui um CD com algumas faixas escolhidas pelos compositores, um artbook com artwork diverso, 6 postais ilustrados e ainda um postal lenticular da Lightining. Adicionei-lhe mais tarde o steelbook da pre-order que vinha com um pequeno prelúdio da história em papel, três postais e ainda um DLC para termos o Omega de FFVI na nossa equipa. Esta edição custou cerca de 27 euros, algures em 2012, oriunda de uma loja online e o steelbook veio a custo zero, da Game do Almada Fórum.

1 de outubro de 2014

Skate or Die - Bad 'N Rad

Estas capas da Konami são bestiais.
Desenvolvido por: Konami
Publicado por: Konami (EUA), Palcom Software (EU)
Compositor: Hidehiro Funauchi
Plataforma: Game Boy
Lançamento: Setembro de 1990 (EUA), Algures em 1990 (EU)
Género: Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Cartucho de 1-megabit
Funcionalidades: Nenhuma
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o bastantes vezes após conseguir dominar o controlo.

(Este tempo africano dá cabo de qualquer pessoa...)

Informação sempre útil.
Nos anos 90 qualquer coisa que envolve skate era fixe. Se soubéssemos andar de skate éramos os maiores da escola, da rua e até quem sabe, do mundo. Eu bem tentei andar de skate mas aquilo não era para mim por isso, dediquei-me à patinagem. Pelo menos com quatro rodas extra apanhei-lhe os jeito e safava-me lindamente. Porém, não era suficientemente fixe o que me levou a jogar jogos de skate, os poucos que existiam na época. E depois de experimentar um pouco, lá encontrei um em que me tornei bom e passei a ser fixe. Esta história toda, ainda que um pouco exagerada da minha parte para divertimento de quem lê, serve para introduzir o jogo de hoje: Skate or Die - Bad 'N Rad. Um jogo diferente do que estava à espera mas que ficou eternamente na memória por vários motivos. Embora o tivesse jogado imenso em puto, este exemplar só chegou à minha colecção em 2013, oriundo do eBay por menos de 20 euros, completo e em muito bom estado.