27 de setembro de 2015

Ninja Gaiden 3 - Razor's Edge

Já vi artwork melhor...
Desenvolvido por: Team Ninja 
Publicado por: Tecmo Koei
Director: Fumihiko Yasuda
Produtor: Yosuke Hayashi
Argumentista: Masato Kato
Compositor(es): Takumi Saito, Ryo Koike, Hiroaki Takahashi
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, Nintendo WiiU
Lançamento: 02-04-2013 (EUA, 04-04-2013 (JP), 05-04-2013 (EU) - PS3 & X360
Género(s): Acção, Aventura, Hack 'n Slash
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Modo Multiplayer entre 2 a 8 jogadores
Media: Blu-Ray
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido (6300KB), Compatível com Sixaxis, Compatível com função de vibração do DualShock3, HD 720p, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o várias vezes em Easy, Normal e Hard com as diversas personagens, tendo também gasto algumas horas no Co-Op.

(...)

Autocolantes feios!
Para variar um bocado das tradicionais análises e opiniões, hoje é um bom dia para um Jogalhões Flash visto o jogo que vos apresento ser indicado para o efeito. Começou por sair na PS3 e Xbox360, demasiado alterado para o gosto dos fãs mais acérrimos da saga o que lhe valeu reviews pouco favoráveis e uma recepção menos calorosa ainda. Mais tarde, os produtores decidiram voltar à fórmula antiga, ou pelo menos tentar dentro do possível, para se redimirem do que tinha feito com uma versão actualizada da original, desta vez, exclusiva para uma consola Nintendo. Bom, foi exclusiva até certo ponto pois a que tenho na colecção é a versão de PS3, igualmente boa por sinal. Este exemplar foi adquirido algures em Agosto de 2014 por cerca de 20 euros na Worten do Vasco da Gama.

21 de setembro de 2015

Super Street Fighter IV 3D Edition

Melhor que a capa do original.
Desenvolvido por: Dimps, Capcom
Publicado por: Capcom, Nintendo Australia
Designer: Yoshinori Ono
Artista: Daigo Ikeno
Compositor: Hideyuki Fukasawa
Motor gráfico: MT Framework Mobile
Plataforma: Nintendo 3DS
Lançamento: 26-02-2011 (JP), 25-03-2011 (EU), 27-03-2011 (EUA)
Género: Fighting
Modos de jogo: Modo história/arcade para um jogador, Multiplayer local e online entre dois a oito jogadores.
Media: Cartão de jogo com 4GB
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartão de jogo, StreetPass, SpotPass
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o várias vezes com algumas das minhas personagens favoritas.

(E não é que ontem esteve um belo dia de praia?)

Informação pertinente como sempre.
Quando era mais novo tinha um fascínio enorme por tudo quanto fosse jogo de luta. Fosse beat 'em up ou um contra um, qualquer jogo dentro destes géneros tinha a minha inequívoca atenção desde logo. Talvez um pouco pela quantidade de títulos que inundavam o mercado naquela época. Ainda assim era selectivo nas escolhas que fazia, fosse na hora de meter moeda na máquina ou, mais importante, na altura de comprar um jogo. E apesar de ter deixado passar alguns, consegui arrecadar alguns clássicos mais conhecidos. Bom, mas isto tudo é apenas uma introdução para apresentar o jogo de hoje, que apesar de vir de uma longa linha de clássicos, para mim nunca o vai ser. Este exemplar entrou na colecção algures entre Julho e Agosto de 2014, tendo custado algo na ordem dos 7 euros, tendo sido adquirido novo e selado numa loja nacional.

19 de setembro de 2015

Ducktales -Remastered-

Awesome cover!
Desenvolvido por: Capcom, WayForward Technologies
Publicado por: Capcom, Disney Interactive Studios
Director(es): Austin Ivansmith, Matt Bozon
Produtor: Rey Jimenez
Artista: Tim Curry
Compositor: Jake Kaufman
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC, iOS, Android, Windows Phone
Lançamento: Digital - 13-08-2013 (EUA), 15-08-2013 (EU), Físico - 12-11-2013 (EUA), 11-04-2014 (EU)
Género: Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido (2828KB Mínimo), Compatível com Função de Vibração, HD 720p, 1080i e 1080p.
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez mas lá voltarei daqui a uns tempos.

(Calor outra vez?)

Família feliz...
Se cresceram nos anos 80/90 certamente guardam a memória de muitas e boas séries de animação como por exemplo Transformers, He-Man, Thundercats e por aí fora. E não só estas mas outras, sobretudo da Disney ainda perduram no nosso imaginário como das melhores de sempre, dificilmente igualáveis nos tempos que correm. Uma delas contava as aventuras do pato mais rico e forreta à face da Terra. Sim, esse mesmo, o Tio Patinhas conhecido por Scrooge McDuck lá nas outras bandas. A série, de nome Ducktales ficou para sempre imortalizada em videojogos, bastante bons por sinal, que fizeram a sua aparição nas consolas da Nintendo, mais concretamente na NES e no GameBoy. Mesmo com o passar dos anos, este títulos não foram esquecidos e em 2013, finalmente, a WayFoward que é conhecida por nos trazer excelentes títulos, decidiu presentear-nos com este Ducktales -Remastered- que é uma reinvenção do jogo original mantendo tudo aquilo que o tornou um clássico e adicionando algumas coisas necessárias para o manter fresco e actual. O meu exemplar, edição física como não podia deixar de ser, chegou à colecção algures entre Julho e Agosto de 2014 tendo sido adquirido por cá.

17 de setembro de 2015

Beyond - Two Souls

Miss Ellen Page.
Desenvolvido por: Quantic Dream
Publicado por: Sony Computer Entertainment
Director: David Cage
Produtor: Guillaume de Fondaumière
Designer: Christophe Brusseaux
Argumentista: David Cage
Compositor(es): Lorne Balfe, Hanz Zimmer, Normand Corbeil
Plataforma: PlayStation 3
Lançamento: 08-10-2013 (EU), 11-10-2013 (EU), 17-10-2013 (JP)
Género(s): Interactive drama, Psychological thriller
Modos de jogo: Modo história para um ou dois jogadores
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Instalação no disco rígido (2.8 GB Mínimo), Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Sensor de Movimento Sixaxis, Compatível com Função de Vibração, HD 720p
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez mas hei-de lhe pegar novamente.

(Ora chove, ora faz sol, eis Setembro.)

True story bro.
A linha que separa os filmes dos videojogos é cada vez mais ténue. Nos anos 90, a tecnologia ainda jovem permitia dar os primeiros passos naquilo que conhecemos por experiência interactiva através de jogos em FMV que nos tentavam fascinar e convencer que era o futuro dos videojogos. Felizmente, as coisas evoluíram para algo bem melhor do estes filmes interactivos com actores de segunda categoria e argumentos de arrancar pêlos do bigode com uma pinça. Hoje em dia existem diversos jogos que são verdadeiros filmes, até mesmo na maneira de jogar, pouco convencional e que tenta apelar a todos os jogadores, do mais casual possível fã de Candy Crush, ao mais hardcore. O jogo que trago até aqui hoje é um calor exemplo de evolução na direcção certa. O meu exemplar foi adquirido algures durante o mês de Abril de 2013, por cerca de 17 euros numa loja online.

12 de setembro de 2015

Front Mission Evolved

That's a huge bit**...!
Desenvolvido por: Double Helix Games
Publicado por: Square Enix
Designer: David O. Hall
Produtor(es): Keiji Inafune, Yosuke Hayashi
Designer: Cory Davis
Argumentista(s): Motomu Toriyama, Daisuke Watanabe
Compositor: Garry Schyman
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC
Lançamento: 16-09-2010 (JP), 28-09-2010 (EUA), 08-10-2010 (EU)

Género: Third Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer Online ara até oito jogadores
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido (2554KB mínimo), Compatível com função de vibração, HD 720p
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o um vez em Normal e duvido que lhe pegue novamente.

(Está quase, quase!)

Autocolantes feios...
Muitos dos jogos que conhecemos hoje em dia tiveram as suas origens há uns bons anos atrás na era dos 8 e 16-bit. Alguns deles, remontam ainda a um tempo mais longínquo onde o que interessava não era certamente o grafismo nem tão pouco a banda sonora épica. O certo é que analisando bem a coisa, muitas das sagas que surgiram entre 80 e 90 ainda hoje mantêm um lugar especial no nosso imaginário e continuam a dar cartas. Outras tendem a cair no esquecimento devido a má gestão de quem detém os direitos, licenças e afins. O jogo que trago até aqui hoje é um claro exemplo disto. Uma série que começou nos anos 90, nunca teve grande sucesso mas era suficientemente boa para manter os fãs interessados. Depois começou a perder terreno até que hoje em dia são poucos os que se lembram. Este exemplar foi o mais barato que comprei até hoje em toda a minha vida como jogador e coleccionador, tendo custado apenas 1 euro, novo e selado na Fnac do Almada Fórum algures entre Maio e Junho de 2014.

10 de setembro de 2015

Yaiba - Ninja Gaiden Z [Special Edition]

A capa é badass!
Desenvolvido por: Team Ninja, Spark Unlimited, Comcept
Publicado por: Tecmo Koei
Director(es): Masahiro Yasuma, Toby Gard
Produtor(es): Keiji Inafune, Yosuke Hayashi
Designer: Cory Davis
Compositor: Grant Kirkhope
Motor gráfico: Unreal Engine 3
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC
Lançamento: 18-03-2014 (EUA), 21-03-2014 (EU), 27-03-2014 (JP)

Género(s): Acção, Hack 'n Slash
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Instalação no disco rígido (2.1GB mínimo), Compatível com função de vibração, HD 720p, 1080i e 1080p, Leaderboards Online, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o duas vezes, em Normal e Easy e juro que não lhe toco novamente.

(Estamos quase nas 100 mil visualizações!)

Cyborg, ninja, etc...
Sempre gostei de ninjas. Desde puto que os ninjas fazem parte do meu imaginário, sobretudo porque se deu o grande boom ninja durante os anos 90 e era vê-los por toda a parte. E ainda hoje, qualquer jogo que meta ninjas chama-me logo à atenção, embora muitos deles não sejam grande espingarda, como se diz na gíria. Ainda assim, nada como experimentar para ter uma ideia da coisa mas por vezes as análises são sinceras o suficiente para nos manter afastados. Obviamente, a curiosidade mórbida inerente à minha pessoa leva-me a experimentar estes jogos e foi o que aconteceu com o jogo que trago até aqui hoje. O exemplar em questão foi adquirido algures entre Maio e Junho de 2014 por cerca de 17 euros, oriundo de uma loja online. Trata-se da Special Edition que de especial só tem mesmo uma mini BD a explicar a história da personagem principal antes do jogo. Por acaso até é interessante. Só por acaso...

9 de setembro de 2015

Diablo III

Evil eye!
Desenvolvido por: Blizzard Entertainment
Publicado por: Blizzard Entertainment
Designer(s): Josh Mosqueira, Leonard Boyarsky, Jay Wilson
Compositor(es): Russell Brower, Derek Duke, Glenn Stafford
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC, Mac, PlayStation 4, Xbox One
Lançamento: 15-05-2012 (PC/Mac), 03-09-2013 (PS3/Xbox360), 19-08-2014 (PS4, Xbox One)
Género(s): Action Role Playing Game, Hack 'n Slash, Dungeon Crawler
Modos de jogo: Modo história para entre um a quatro jogadores online e local 
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido (11MB mínimo), Compatível com função de vibração, HD 720p
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o uma vez em cada uma das dificuldades.

(Hoje já há screenshots!)

Em português de Portugal!
Muitos de nós que jogamos temos preferências muito específicas. Alguns preferem jogar no PC, outros nas consolas mas o certo é que os jogos, bem lá no fundo, servem exactamente o mesmo propósito: divertir, entreter e acima de tudo abstrair-nos deste mundo em que vivemos por alguns momentos. Mas os jogadores de PC, não querendo ferir susceptibilidades, são um bocadinho tendenciosos quando se trata de falar de um port de PC para consola pois acham que é sempre inferior. Eu como sou teimoso até à enésima potência, recusei-me inteiramente a jogar no PC o título que trago até aqui hoje a menos que o ganhasse num passatempo ou alguém mo oferecesse. O que aconteceu é que o jogo foi lançado na PS3 e um amigo meu achou por bem em mo oferecer para acabar com a teima. E eu agradeço cordialmente, por dois motivos: as teimas têm de acabar a dada altura e o jogo até é bom. Chegou à colecção no Verão de 2014.

8 de setembro de 2015

Tom Clancy's Splinter Cell - Blacklist [The 5th Freedom Edition]

Mais um caixote...
Desenvolvido por: Ubisoft Toronto, Ubisoft Montreal, Ubisoft Shanghai
Publicado por: Ubisoft
Director(es): Maxime Béland, Patrick Redding, Gunther Galipo
Produtor: Jade Raymond
Designer(s): Laurent Malville, Richard Carrillo, Simon Larouche
Argumentista(s): Richard Dansky, Matt MacLennan
Compositor(es): Mike Zarin, Kaveh Cohen
Motor Gráfico: Unreal Engine 2.5
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC, WiiU
Lançamento: 20-08-2013 (EUA), 22-08-2013 (EU)
Género(s): Acção, Aventura, Stealth 'em up
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Modo co-op para dois jogadores em splitscreen, Modo online para até oito jogadores
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Instalação de 9650MB no disco rígido, Compatível com função de vibração, HD 720p
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o três vezes, o jogo é excelente.

(Bla, bla, bla, yadda, yadda, yadda, hoje não há screenshots!)

Traseira do caixote.
Nunca fui fã de Splinter Cell. Sempre achei, como mega hiper fanboy de Metal Gear que era, que Splinter Cell não era mais do que uma cópia das aventuras do meu querido Snake. Não podia estar mais errado. Tomar partido de algo ou alguém é dos piores erros que se podem cometer. Bom, não é nada que não se remedeie e de facto com este jogo que trago até aqui hoje comecei essa demanda de me redimir. Este exemplar que tem como subtítulo The 5th Freedom Edition vem recheado de coisas boas. Para começar vem numa caixa de cartão como deve ser, resistente e com arte do jogo a condizer. No interior, para além do jogo, traz um bonito steelbook de formato G1 (DVD), uma graphic novel de 96 páginas com outra aventura do nosso herói e claro, uma bonita figura do mesmo com 24 cms, cheia de detalhe. Ah, e traz DLC que se traduz em missões adicionais para single player e co-op. Aterrou aqui na colecção em Março de 2014, por cerca de 40 euros, oriunda de uma loja online portuguesa.

4 de setembro de 2015

E.X. Troopers

Sakura... és tu!?
Desenvolvido por: Capcom, Hexadrive (Versão PS3)
Publicado por: Capcom
Motor gráfico: MT Framework 2.0
Plataforma(s): PlayStation 3, Nintendo 3DS
Lançamento: 22-11-2012 (JP) 
Género(s): Acção, Third Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Modo co-op online para até quatro jogadores
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido (2768KB Mínimo) Compatível com função de vibração, HD 720p
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o uma vez mas não conclui todas as missões co-op pois são difíceis e o matchmaking não é famoso.

(Hoje não tenho nada a declarar...)

Informação perti... imperceptível!
Spinoff é um termo bastante empregue nos dias que correm até porque parece ser moda pegar em elementos de jogos já existentes e transformá-los em algo novo. Não tenho nada contra, se fizerem bem o trabalho e mancharem o bom nome dos originais. Na verdade não tinha assim memória de um spinoff que me tivesse feito gostar assim tanto dele até descobrir o jogo que trago até aqui hoje. Descobri-o na internet, através de notícias, vídeos e por aí fora, pouco antes de ser lançado e aguardava com alguma expectativa que o mesmo tivesse um lançamento ocidental coisa que até à data de hoje não aconteceu (e tenho dúvidas que aconteça). Assim sendo, sabendo que a PS3 não tem region lock lá decidi pedir a um amigo meu para me mandar vir isto do eBay por cerca de 30 euros, novo e selado, algures em 2013 se a memória não me falha. E foi uma boa surpresa...

3 de setembro de 2015

Klonoa

Capa colorida...
Desenvolvido por: Paon
Publicado por: Namco Bandai Games
Designer(s): Hideo Yoshizawa, Tsuyoshi Kobayashi
Plataforma: Nintendo Wii
Lançamento: 04-12-2008 (JP), 05-05-2009 (EUA), 22-05-2009 (EU)
Género: Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Modos extra desbloqueáveis.
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso na memória interna da consola, Compatível com Classic Controller, Compatível com GameCube Controller
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez tendo concluído praticamente tudo.

(Parece que está na altura de dizer adeus ao Verão...)

E o colorido continua.
Remakes. De remakes está o mundo dos videojogos cheio e parece que cada vez mais. Alguns são bons, outros nem por isso mas há sempre os que se destacam mais devido à notoriedade do nome. O jogo que trago até aqui hoje é bom, muito bom mesmo mas não é dos que mais se destaca no meio de tanto outros tendo passado ao lado de muito boa gente e as vendas no geral não terem sido as esperadas por parte de quem publica. Este meu exemplar chegou até à colecção algures em 2014, sendo que se trata de um jogo usado mas em excelente estado de conservação, fruto de um negócio no Collector's Corner com o membro RyoHazuki, que ficou em 20 euros, o qual agradeço imenso pois era jogo que sempre quis ter e jogar.