31 de outubro de 2017

Fahrenheit

Arte interessante.
Desenvolvido por: Quantic Dream
Publicado por: Atari, Inc.
Director: David Cage
Produtor: Guillaume de Fondaumière
Argumentista: David Cage
Compositor(es): Angelo Badalamenti, Normand Corbeil
Plataforma(s): PlayStation 2, PC, OSX, iOS, Android, Linux, Xbox, PlayStation 4
Lançamento: Versão PS2/Xbox - 16-09-2005 (EU), 26-09-2005 (EUA)
Género: Quase filme interactivo, Aventura
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (187KB mínimo), Compatível com controlo analógico: todos os botões, Compatível com Função de Vibração
Outros nomes: Indigo Prophecy (EUA)
Estado: Completo
Condição: Boa
Viciómetro: Acabei-o uma vez e não tenciono repetir a experiência a não ser por caridade.

(Inserir rant aleatório aqui... não me apetece.)

Yes, it is.
Halloween. Uma tradição tipicamente americana mas que ganhou algum fôlego ao longo dos anos e chega agora um pouco a todos os cantos do planeta. E nós por aqui não somos excepção apesar da data em si nada me dizer e não a comemorar de todo. Ainda assim, é uma óptima forma de negócio para muitos tal como o Natal. Bom, isto nada interessa e como já vem sido hábito, o jogo que trago até aqui hoje enquadra-se nesta época ainda que a sua escolha não tenha sido de todo propositada (confesso que não foi, apenas estou a seguir a ordem da lista de chegada). Este exemplar aterrou na colecção algures entre Setembro e Outubro de 2015, por cerca de 5 euros se bem me recordo, oriundo da Play n' Play, em muito bom estado de conservação. Apenas troquei a caixa já não sei porque motivo, daí a minha ser branca ao invés da tradicional azul.

26 de outubro de 2017

Bravely Default

Bonita cover art!
Desenvolvido por: Silicon Studio
Publicado por: Square Enix (JP), Nintendo (EU/EUA)
Director: Kensuke Nakahara
Produtor: Tomoya Asano
Designer: Kensuke Nakahara
Artista: Akihiko Yoshida
Argumentista(s): Naotaka Hayashi, Keiichi Ajiro
Compositor: Revo
Plataforma(s): Nintendo 3DS
Lançamento: 05-12-2013 (JP), 07-12-2013 (EU), 07-02-2014 (EUA)
Género: Japanese Role Playing Game
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartão de jogo, Compatível com modo 3D, Modo de jogo Local (2 Jogadores), StreetPass
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Estou bem perto do final mas ainda não me apeteceu acabá-lo.

(Esta análise foi originalmente escrita e publicada no site ruadebaixo.com)


Desde há algum tempo que o género JRPG começou a perder o seu carisma pelos mais diversos motivos. Mais concretamente a saga Final Fantasy, que já dura desde o final dos anos 80 e tem vindo a sofrer constantes mutações. E uma das questões que se levantam é: porquê mudar aquilo que está bem, sempre funcionou e assim é que os fãs gostam?

Longe vão os tempos dos autocolantes.
Bravely Default parece ser a resposta, ou melhor, o jogo pelo qual aguardávamos com alguma expectativa. Um regresso às origens dos JRPG e tudo aquilo que os caracteriza da melhor forma possível, sem recurso a grande tecnologia ou brilharetes técnicos para o destacar dos demais. Sendo um sucessor espiritual de Final Fantasy: The 4 Heroes of Light e partilhando outros elementos com Final Fantasy V, este título leva-nos até ao mundo Luxendarc onde Tiz Arrior, o nosso herói, é vitima do destino quando a sua aldeia, Norende, é envolta num manto de escuridão sendo ele o único sobrevivente. No decorrer da sua demanda, Tiz irá conhecer Agnés Oblige e outros parceiros, estando o destino deste mundo nas suas mãos. E sim, há cristais.

24 de outubro de 2017

Alien Syndrome

Boa cover art!
Desenvolvido por: Totally Games
Publicado por: Sega
Director: Lawrence Holland
Motor gráfico: Vicious Engine
Plataforma(s): NintendoWii, PlayStation Portable
Lançamento: 24-07-2007 (EUA),07-09-2007 (EU)
Género: Action Role Playing Top Down Shooter
Modos de jogo: Modo história para um até quatro jogadores
Media: Wii Optical Disc (8.4GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso na memória interna da consola
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez em Normal e chega.

(Não tenho nada a assinalar sobre o tempo...)

Informação sempre útil.
Quem é conhecedor nestas andanças videojoguísticas (sim, o termo não existe mas passa a existir), sabe que a Nintendo Wii é provavelmente uma das consolas com maior número de shovelware lá metido, sendo apenas batida pela Nintendo DS (actualmente a consola com mais jogos de sempre, segundo consta). Mas no meio da lixarada toda, existem excelentes jogos, bastante conhecidos até, bem como algumas hidden gems, obscuras por sinal e claro, jogos bastante medianos mas altamente incomuns ou ignorados na altura em que saíram. O jogo que vos apresento hoje cai nessa categoria do mediano e ignorado, não sendo particularmente incomum. Este exemplar chegou à colecção algures entre Novembro e Dezembro de 2015, vindo de uma loja online e deve ter custado pouco mais de 10 euros. Novo e selado, claro está.

20 de outubro de 2017

Game Boy Classic Mini - A minha selecção*


Na sequência do que aconteceu com a SNES, eis a minha selecção de clássicos daquela que considero a melhor consola portátil de sempre e que ainda hoje continua a proporcionar bons momentos. A escolha foi difícil, tive de deixar muito jogo que adoro de fora para tentar manter alguma coesão e diversidade de géneros mas também é do conhecimento geral que o Game Boy ficou famoso pelos jogos de plataformas e puzzles pois eram aqueles que melhor se adaptavam ao formato. Ainda assim consegui fazer uma lista diversificada de acordo com os meus gostos mas também incluindo um ou outro jogo que aprecio menos (tentem adivinhar qual ou quais!). Contudo, alguns dos jogos serão certamente improváveis de constar numa lista oficial devido aos copyrights e afins (não esperem ver TMNT por exemplo). E abaixo segue a lista.
  1. Super Mario Land (Nintendo)
  2. Super Mario Land 2: Six Golden Coins (Nintendo)
  3. Wario Land: Super Mario Land 3 (Nintendo)
  4. The Legend of Zelda: Link's Awakening (Nintendo)
  5. Tennis (Nintendo)
  6. Double Dragon (Technos/Nintendo)
  7. Kung Fu Master (Irem)
  8. Metroid II: Return of Samus (Nintendo)
  9. Tetris (Nintendo)
  10. Castlevania: The Adventure (Konami)
  11. Castlevania II: Belmont's Revenge (Konami)
  12. Operation C/Probotector (Konami)
  13. Ninja Gaiden Shadow (Tecmo)
  14. Teenage Mutant Ninja Turtles: Fall of the Foot Clan (Konami)
  15. Teenage Mutant Ninja Turtles: Back from the sewers (Konami)
  16. Final Fantasy Adventure/Mystic Quest (Square)
  17. Gargoyle's Quest (Capcom)
  18. Killer Instinct (Rare/Nintendo)
  19. Donkey Kong (Nintendo)
  20. Kirby's Dream Land (HAL/Nintendo)
  21. Kirby's Dream Land 2 (HAL/Nintendo)
  22. Batman: The Video Game (Sunsoft)
  23. Dr. Mario (Nintendo)
  24. Kwirk (Atlus/Nintendo)
  25. Gradius: The Interstellar Assault (Konami)
  26. Burai Fighter Deluxe (Taito)
  27. F-1 Race (Nintendo)
  28. Pinball: Revenge of the Gator (HAL/Nintendo)
  29. Pokemon Yellow Version: Special Pikachu Edition (Gamefreak/Nintendo)
  30. Disney's DuckTales (Capcom)
E é isto! Concordam com a escolha? Têm sugestões de outros jogos? Façam o favor de opinar!

*Artigo originalmente publicado na página oficial do JDF no Facebook a 21/11/2016.

18 de outubro de 2017

Nintendo 64 Classic Mini - A minha selecção*


Agora que se fala numa possível N64 Classic Mini, e até mesmo num novo Game Boy, nada melhor do que começar a especular que jogos poderão constar nos ditos sistemas. Quanto ao Game Boy, a lista já foi feita há uns meses atrás e aqui mesmo publicada e partilhada com os seguidores. No caso da N64 é agora então partilhada tendo em consideração alguns factores: o número de jogos ter sido reduzido para 20+1, à semelhança do que a Nintendo fez com a SNES sendo que o +1 é um jogo inédito (neste caso apenas inédito no ocidente pois foi lançado somente no Japão) e não incluir jogos com licenças complicadas ou que mudaram de casa (nomeadamente o GoldenEye e outros jogos da Rare que estão agora na XboxOne). Fazer uma lista de jogos N64 é mais complicado do que possa parecer e 90% dos mesmos certamente serão publicados pela própria Nintendo. E vamos a isto (sem ordem de preferência)!
  1. Super Mario 64 (Nintendo)
  2. Mario Kart 64 (Nintendo)
  3. Yoshi’s Story (Nintendo)
  4. Wave Race 64 (Nintendo)
  5. The Legend of Zelda: Ocarina of Time (Nintendo)
  6. The Legend of Zelda: Majora’s Mask (Nintendo)
  7. Donkey Kong 64 (Nintendo/Rare)
  8. Mischief Makers (Treasure) Diddy Kong Racing (Nintendo/Rare)
  9. Castlevania: Legacy of Darkness (Konami)
  10. Turok: Dinosaur Hunter (Acclaim)
  11. Doom 64 (Midway)
  12. Starfox 64 (Nintendo)
  13. F-Zero X (Nintendo)
  14. Dr. Mario 64 (Nintendo)
  15. Kirby 64: The Crystal Shards (HAL/Nintendo)
  16. Super Smash Bros. (HAL/Nintendo)
  17. Mace: The Dark Age (Midway)
  18. Paper Mario (Nintendo)
  19. Ogre Battle 64: Person of Lordly Caliber (Atlus)
  20. Pokemon Puzzle League (Nintendo)
  21. Sin and Punishment (Treasure) (Desbloqueado desde o início ou então após se passar o primeiro nível do Starfox 64... xD)
E é isto! Parece fácil fazer uma lista de N64 mas acho que foi mais complicado do que as anteriores devido à quantidade de jogos licenciados cujas licenças já expiraram ou estão noutras mãos. Esta minha lista tem um ou outro jogo que dificilmente constará numa lista oficial mas sonhar ainda não paga imposto. Que acham? Mudavam algum jogo? Tenho a certeza que sim e quero saber quais!

*Artigo originalmente publicado na página oficial do JDF no Facebook a 13/10/2017. DKR retirado da lista pois contém personagens agora detidas pela Microsoft.

12 de outubro de 2017

New Super Mario Bros.

Uma capa animada.
Desenvolvido por: Nintendo EAD 
Publicado por: Nintendo
Director: Shigeyuki Asuke
Produtor: Hiroyuki Kimura
Designer: Masanao Arimoto
Compositor(es): Asuka Ota, Hajime Wakai
Plataforma: Nintendo DS
Lançamento: 15-05-2006 (EUA), 25-05-2006 (JP), 06-06-2006 (EU)
Género: Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer local até 4 jogadores
Media: Cartão de jogo com 1024Mbit
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartão de jogo, Wireless DS Single Card Download Play, Wireless DS Multi-Card Play.
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Terminei-o várias vezes.
 
(Para quando a próxima Classics Mini? E qual será? Aceitam-se apostas!)
 
Este não trazia autocolantes.
No que concerne ao mundo dos videojogos, Super Mario (ou simplesmente Mario) deve ser a personagem mais famosa de todas. Basta perguntar a qualquer pessoa, mesmo que seja o maior leigo na matéria, a resposta será provavelmente esta. E se perguntarmos o que Mario faz, para além do óbvio que é salvar a princesa, muitos irão responder que é canalizador. O que está certo... ou será que não? Pois, o meu espanto foi mesmo esse quando anunciaram que Mario deixou oficialmente de ser canalizador há uns tempos atrás agora que um novo jogo se aproxima para a Switch. Mas também, tendo em conta que anteriormente era carpinteiro (nos tempos idos de Donkey Kong nas arcadas) e assumiu ainda um rol de outras profissões, ainda que temporariamente (são demasiadas para estar a enumerar), pouco importa o que vai ser futuramente desde que continue a proporcionar-nos boas aventuras. E é isso mesmo que o traz até aqui hoje, uma aventura portátil que tem tudo de bom. Este exemplar chegou ao JDF algures entre Setembro e Outubro de 2015 pela módica quantia de 5 euros, estando em excelente estado embora tivesse sido usado anteriormente por alguém que o estimou.

10 de outubro de 2017

The Elder Scrolls V - Skyrim [Premium Edition]

Uma bonita caixa.
Desenvolvido por: Bethesda Game Studios
Publicado por: Bethesda Softworks
Director: Todd Howard
Produtor(es): Craig Lafferty, Ashley Cheng
Designer(s): Bruce Nesmith, Kurt Kuhlmann, Emil Pagliarulo
Artista: Matthew Carofano
Argumentista: Emil Pagliarulo
Compositor: Jeremy Soule
Motor Gráfico: Creation Engine
Plataforma(s): PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox360, XboxOne, PC, Nintendo Switch
Lançamento: 11-11-2011 (Lançamento Mundial)
Género: Acção, Role Playing Game
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Instalação de 4376MB no disco rígido, Compatível com função de vibração, HD 720p, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o uma vez com umas 100 e tal horas de jogo.

(Parece que o Verão ainda não acabou.)

E respectiva traseira.
RPG. Um acrónimo que nos remete para vários significados mas que para quem anda nestas coisas da jogatana, rapidamente significa uma coisa: Role Playing Game. Ou talvez nos remeta para aquela arma que por norma só dispara uma vez mas faz grandes estragos. Seja como for, este género que possivelmente começou nas mesas das casas de muita gente através de animados jogos de tabuleiro, rapidamente fez a travessia para o meio digital tendo vindo a evoluir ao longo dos anos. E que evolução essa. Seja nos seus primórdios através de aventuras com muito texto, passando pelas variantes oriundas do Japão, o certo é que o género está mais vivo do que nunca e agora proporciona-nos aventuras realmente épicas e com muitas horas de exploração pelo caminho. O jogo que trago até aqui hoje é um brilhante exemplo disso, onde perdemos a noção do tempo assim que começamos a explorar mais uma parte do vasto mundo de Tamriel. Este exemplar, curiosamente, não me lembro de quando o comprei mas creio que foi algures antes de 2014, muito possivelmente até antes de 2013, tendo vindo da Game UK por cerca de 20 e poucos euros. Esta Premium Edition, lançada algum tempo depois do jogo original, inclui seis postais ilustrados, uma t-shirt (de tamanho XL...), um CD interactivo (com material promocional e música) e um livro de nome The Infernal City (que é um de dois livros e cuja história decorre entre Oblivion e Skyrim).