30 de abril de 2015

Dragon's Dogma - Dark Arisen

Epicness begins!
Desenvolvido por: Capcom
Publicado por: Capcom
Director: Hideaki Itsuno
Produtor: Hiroyuki Kobayashi
Artista: Daigo Ikeno
Argumentista(s): Bingo Morihashi, Haruo Murata
Compositor(es): Tadayoshi Makino, Rei Kondoh, Inon Zur, Masayoshi Ishi
Motor gráfico: MT Framework
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox 360
Lançamento: 02-10-2012 (EUA/EU/JP) 
Género: Action Role Playing Game, Open World
Modos de jogo: Modo história para um jogador com funcionalidades online
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido (10MB mínimo), Compatível com Função de Vibração, HD 720p
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o várias vezes para ver os diversos finais com mais de 100 horas de jogo e praticamente todas as quests concluídas. Platina alcançada.

(Será que é desta que o tempo melhora?)

É exactamente isso!
Sempre gostei de RPG's mas nos últimos anos esse gostinho tem vindo a decrescer, talvez um pouco pela abundância de jogos do género que existem no mercado actualmente. Posso dizer que ainda sou do tempo em que este género era um pequeno nicho e os jogos disponíveis eram poucos, pelo que por vezes tínhamos de recorrer a meios pouco ortodoxos para jogar aqueles que não saíam na Europa. E o facto é que os jogos tinham mais qualidade do que os de hoje em dia. Agora há RPG's ao pontapé, alguns demasiado asiáticos para o meu gosto mas felizmente há aqueles com um ar mais ocidental, os quais tenho vindo a tomar um gosto especial. Curiosamente os melhores têm sido feitos por japoneses e não por ocidentais pelo que acho que os nossos amigos da terra do sol nascente têm vindo a aprender umas coisinhas. E sem mais demora, este meu exemplar foi adquirido em conjunto com outros jogos, numa loja online, tendo custado cerca de 12 euros, algures no início de 2014. Novo, está claro.

27 de abril de 2015

Yoshi's New Island

Que grande ovo!
Desenvolvido por: Arzest
Publicado por: Nintendo
Director: Masahide Kobayashi
Produtor: Takashi Tezuka
Artista: Masamichi Harada
Compositor: Masayoshi Ishi
Plataforma: Nintendo 3DS
Lançamento: 14-03-2014 (EU, EUA), 24-07-2014 (JP)
Género: Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer
Media: Versão Digital
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartão SD.
Estado: Não se aplica
Condição: Não se aplica
Viciómetro: Acabei-o uma vez tendo completado quase tudo o que havia para completar.

(Raisparta este tempo de treta...)

Para fugir um pouco à regra, e também porque o trabalho de escrever já estava feito, hoje publico uma análise que fiz para o site Rua de Baixo acerca de Yoshi's New Island, o sucessor de Super Mario World 2 - Yoshi's Island que já foi aqui analisado anteriormente. Assim sendo não existe cópia física do jogo, apenas a digital cedida para a referida análise que chegou até aqui algures em 2014. Mas passemos ao que interessa.

24 de abril de 2015

Call of Duty - Ghosts [Hardened Edition]

Mais um caixotinho.
Desenvolvido por: Infinity Ward, Raven Software, Neversoft, Certain Affinity
Publicado por: Activision
Argumentista: Stephen Gaghan
Compositor: David Buckley
Motor Gráfico: IW6, Havok, Umbra
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC, WiiU, Xbox One, PlayStation 4
Lançamento: 05-11-2013 (Mundial)
Género: First Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer online (para até 12 jogadores) e offline (com bots), Modo Invasion para até 4 jogadores.
Media: Blu-Ray
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido da consola (25MB mínimo), Suporte HD 720p, 1080i e 1080p, Compatível com Função de Vibração, DLC de mapas adicionais.
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o duas vezes em Normal e Veteran. Imensas horas no multiplayer nos vários modos disponíveis, tendo atingido Prestige com a personagem principal. Ainda o jogo de vez em quando.

(Este tempo não se decide)

Informação visual.
Call of Duty dispensa apresentações. Todos os anos sai um novo, que deixa muitos a torcer o nariz e outros tantos na expectativa que vem aí alto jogão. E eu? Bom, ando algures ali no meio desses dois grupos, mas sempre um bocado de pé atrás, desde o Black Ops II que foi jogo que não me deixou saudades algumas, apesar de ser tido com um dos melhores segundo a crítica. Pois bem, não é, não acreditem nesses vendidos mas podem sempre ler a minha opinião acerca do jogo aqui no JDF. Bom, mas vamos ao que interessa, nada mais do que o jogo que trago até aqui hoje e é mais um desta saga anual de tiro neles. Este exemplar que se trata da Hardened Edition, foi adquirido numa loja online em Fevereiro de 2014, por cerca de 45 euros. Diria que foi dos melhores negócios que fiz em 2014 pois, para além de trazer o jogo num bonito steelbook, traz ainda uma pulseira/corda toda xpto e o season pass para o DLC todo que saiu, no valor de 60 euros. E sim, usei os DLC's todos pois são mapas para o multiplayer e valeu bem o investimento.

19 de abril de 2015

Jogalhões de Força - O 6º aniversário!

Mais um aninho, mais um bolinho!
Ainda parece que foi ontem mas de facto passaram seis anos desde que este pequeno projecto de mostrar a minha colecção de videojogos começou. A evolução foi notória, com algumas modificações ao longo do percurso mas sem se desviar muito daquilo que é, e sempre foi, o objectivo: mostrar a colecção através de fotos, fazer umas análises e comentários mais pessoais aos jogos em questão, e claro, partilhar com o mundo. Muitos jogos entraram aqui no cantinho desde que tudo começou e certamente muitos mais irão entrar futuramente, agora que já andam por aí as consolas de nova geração, já começam a aparecer alguns da minha wishlist assim a preços em conta e eu já comecei a tirar partido disso. Ainda não tenho é nenhuma consola nova mas a seu tempo virão. Primeiro os jogos, as consolas podem esperar. Os seguidores certamente deram conta de que o JDF se alargou até ao YouTube, agora com um canal onde podem ver alguns vídeos, sobretudo de aquisições (ainda só publiquei um) mas de futuro e com tempo, talvez de jogatanas e rating geral pois é sempre bom dar e ouvir opiniões acerca do mundo dos videojogos. Não é um projecto como o blog mas sim algo numa escala mais reduzida. Também já tinha alargado isto até ao Facebook, onde estão as fotos todas e mais algumas, sendo as análises mais recentes divulgadas por lá. E é isto, sem mais cerimónias, o JDF está de parabéns por mais um aniversário e que muitos mais venham, o que é desde já bom sinal! Ah, e obviamente um grande agradecimento aos leitores, seguidores e demais visitantes que nos têm acompanhado ao longo destes anos.

Um grande bem haja! :D

18 de abril de 2015

Mortal Kombat Arcade Kollection

O novo ecrã de título.
Desenvolvido por: Other Ocean Interactive
Publicado por: Warner Bros. Games
Designer(s): Ed Boon, John Tobias
Compositor: Dan Forden
Plataforma(s): PlayStation 3 (PSN) Xbox360 (XBLA), PC (Steam)
Lançamento: 31-11-2011 (PSN, XBLA), 01-02-2012 (Steam)
Género: Fighting
Modos de jogo: Modo torneio para um jogador, Modo Vs. para dois jogadores local e online
Media: Suporte Digital
Funcionalidades: Instalação de 222MB no disco rígido, Gravação de progresso no disco rígido, HD 720p, Scoreboards online
Estado: Não se aplica
Condição: Não se aplica
Viciómetro: Acabei o modo arcade uma vez em cada jogo.

(Parece um dia de Inverno...)

Sub-Zero, sempre discreto...
Porrada, porrada, porrada, um homem não pode viver sem porrada (salvo seja)! E que melhor do que um jogo de porrada para descarregar algum stress? Bom, muitas outras coisas mas essas não interessam para o caso. Jogos de porrada existem para todos os gostos e idades desde os mais soft aos mais violentos, agradando assim a todos os públicos e em alguns casos, aos progenitores. O jogo de hoje não é um mas sim três jogos, controversos no seu tempo mas que hoje se assumem como clássicos inconfundíveis. Adquiri-o recentemente numa promoção da PSN por €2.50.

17 de abril de 2015

Dead Island - Riptide

Hmm... zombie! :D
Desenvolvido por: Techland
Publicado por: Deep Silver (EU), Square Enix (EUA), Spike Chunsoft (JP)
Director: Paweł Marchewka
Produtor(es): Jacek Brzeziński, Marek Soból
Compositor(es): Pawel Blaszczak, Giles Lamb
Motor gráfico: Chrome Engine 5
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC
Lançamento: 23-04-2013 (EUA), 26-04-2013 (EU), 11-07-2013 (JP)
Género: Survival Horror, Open-world First  Person Shooter, Role Playing Game, Sandbox
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer online co-op até 4 jogadores
Media: BluRay
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido da consola (5MB mínimo), Suporte HD 720p, Compatível com DualShock 3, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez tendo completado tudo o que havia para completar, com cerca de 30~35 horas de jogo.

(Quero sol e calor...)

Yap, afogou-se mesmo!
"Mais do mesmo" é sem dúvida uma expressão que se aplica a quase tudo na vida. Obviamente aplica-se também aos videojogos, bem mais do que seria de esperar mas nos dias que correm. Não quero com isto dizer que seja algo negativo, em certos casos até é algo bastante positivo e o caminho mais indicado a seguir. Se uma coisa está boa e funciona porque razão mudar? A mudança nem sempre é algo bom. Mas adiante. No caso do jogo de hoje, pode-se dizer que é sem dúvida mais do mesmo, com poucas ou nenhumas diferenças. Este exemplar foi adquirido em Janeiro de 2014, por cerca de 15 euros numa loja online, como já é hábito por estas bandas.

6 de abril de 2015

Heroes of Ruin

Cover art interessante.
Desenvolvido por: n-Space
Publicado por: Square Enix
Plataforma: Nintendo 3DS
Lançamento: 15-06-2012 (EU), 17-07-2012 (EUA) 
Género(s): Role Playing Game, Dungeon Crawler
Modos de jogo: Modo história para um jogador ou co-op até quatro jogadores online
Media: Cartão de jogo com 2GB
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartão de jogo, StreetPass com outros jogadores
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez e cheira-me que não lhe pego outra vez.

(Bom, parece que é Inverno novamente...)

Só um screenshot? Miseráveis!
Nunca fui grande fã de RPG's com um misto de dungeon crawler. Andar por masmorras a matar inimigos e recolher loot nunca me pareceu uma actividade interessante quando se pode ter uma boa história a seguir. Mas, tal como tudo na vida, os gostos vão mudando e aos poucos fui-me habituando à monotonia viciante deste género de jogo pois no fundo, embora a história nestes jogos não seja de todo apelativa (pelo menos as dos jogos que joguei), a recompensa que nos pode esperar de andarmos a espalhar o caos enquanto exploramos os níveis é no mínimo aliciante. E sem mais demoras, o jogo de hoje é o Heroes of Ruin para a 3DS, um título que vai buscar muito à saga Diablo e se introduz no mundo portátil de forma mais ou menos convincente. Este exemplar custou-me 5 euros, novo tendo sido adquirido algures em 2014 por um amigo e coleccionador.

4 de abril de 2015

Medal of Honor - Warfighter

Capa genérica até mais não.
Desenvolvido por: Danger Close Games
Publicado por: Electronic Arts
Produtor: Greg Goodrich
Compositor: Ramin Djawadi, Mike Shinoda
Motor gráfico:  Frostbite 2
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC
Lançamento: 23-10-2012 (EUA), 26-10-2010 (EU), 15-11-2012 (JP)
Género: First Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer online até 20 jogadores
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Instalação no disco rígido (1.7GB), Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Função de Vibração, HD 720p, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez em Normal e não lhe toquei mais.

(Hoje não tenho nada a declarar.)

Tanta nação...
Medal of Honor é certamente um nome bem conhecido para quem é fã de First Person Shooters e sem dúvida um dos jogos responsáveis por ter colocado o tema da Segunda Guerra Mundial na ribalta no que concerne a videojogos. E tudo começou na velhinha PlayStation, com os seus 32-bit de glória 3D pixelizada até mais não, coisa que na altura teve um sucesso tremendo e foi sem dúvida um dos melhores jogos do género que se podia ter na consola. Mas os tempos avançam e com eles os jogos, que vão sofrendo alterações e nem sempre para melhor. Tendo o tema estagnado, séries como Call of Duty decidiram enveredar por outros caminhos como a actualidade, coisa que Medal of Honor decidiu fazer em 2010. Até teve algum impacto positivo mas quando a sequela saiu, o caso mudou de figura e não foi das melhores. Este exemplar foi adquirido numa loja online por cerca de 10 euros mais coisa menos coisa, algures em 2013.