13 de julho de 2011

Tetris Attack

Repro baseada nas caixas PAL e NTSC.
Desenvolvido por: Intelligent Systems, Nintendo R&D1
Publicado por: Nintendo
Plataforma(s): Super Nintendo, Game Boy
Lançamento: Agosto de 1996 (EUA), 03-11-1996 (JP), 28-11-1996 (EU)
Género: Puzzle
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Vários modos para dois jogadores
Media: Cartucho de 8-megabit
Funcionalidades: Sistema de passwords para gravação de progresso
Outros nomes: Yoshi no Panepon (ヨッシーのパネポン) (JP)
Estado: Incompleto, falta a caixa
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o muitas e muitas vezes.

(Meco, aqui vou eu!)

Parte traseira com o mesmo tratamento.
Para fazer uma pequena pausa nos jogos violentos que fazem parte desta minha colecção, nada melhor do que um jogo de puzzles, onde a simplicidade impera em todos os campos. E é assim que os jogos de puzzles se querem pois são certamente os melhores de todos para descontrair um bocado enquanto se dá um certo uso ao cérebro, uso este bastante benéfico. Este meu exemplar chegou-me aqui de pára-quedas, por volta de 1997, muito provavelmente emprestado por alguém fazendo-se acompanhar do manual. Só é pena não ter vindo também a caixa e era um exemplar completo.


Não há caixa mas há cartucho.
Tetris Attack é um jogo de puzzles baseado noutro chamado Panel de Pon, que foi apenas lançado no Japão. Na tentativa de ocidentalizar a coisa, meteram Tetris no nome como chamariz, substituíram as personagens saídas de um anime moe por personagens de Super Mario World 2, alteraram a história e lançaram o jogo. E por falar em história, esta resume-se a que os Magikoopa amaldiçoaram todos os amigos de Yoshi e este agora tem de "lutar" com cada um deles numa guerra acesa de puzzles para os libertar da maldição. Depois seguem-se os mauzões.

Sendo um jogo simples, o grafismo é igualmente simples mas altamente funcional. Colorido, com imensos bichinhos fofos e outros menos fofos, Tetris Attack resume-se apenas aos puzzles e isso é que interessa. As peças aparecem em várias cores mas todas com o mesmo formato. Aqui não nos interessam os "altes gráfiques" mas sim o jogo em si e é isso que faz. Ainda assim, as personagens estão dotadas de imensas animações e movimento não falta no ecrã.

Manual e papelito informativo.
Curiosamente a música é quase toda ela aproveitada do original Panel de Pon, sendo que algumas das novas faixas são aproveitadas de Super Mario World 2. Como seria de esperar, temos uma banda sonora muito a condizer com o aspecto visual do jogo, que mais parece saída de uma série para miúdos. Não deixa de ser audível e agradável, até certo ponto. O som no geral é bom, com destaque para algumas personagens que passam a vida a fazer barulho sempre que fazem combos para lixar o adversário. Aliás todas fazem mas algumas são mais notórias.

Lakitu, uma personagem castiça.
Mas indo realmente ao que interessa, a jogabilidade em Tetris Attack resume-se basicamente a fazer combinações de três ou mais peças iguais, podendo apenas trocá-las na horizontal. A tarefa é de facto fácil mas o desafio está em fazer vários combos e chains seguidas, que resultam em ataques devastadores para o adversário, enchendo-lhe o ecrã de jogo com lixo. Para evitar perder, tem de o limpar rapidamente com as peças que lhe restam, pois se chegar ao topo do ecrã, perde. A beleza e divertimento do jogo está mesmo aqui, em conseguir ser mais rápido e fazer o maior número de encadeamentos possível, com muitos combos à mistura. O jogo apresenta vários modos com o habitual Story Mode, onde jogamos com Yoshi e temos de ir derrotando os nossos amigos até chegar a Bowser, podendo eleger várias dificuldades. No Endless Mode, somos desafiados a jogar até perdermos, onde a velocidade e altura dos blocos vai aumentando progressivamente. No Timed Mode temos dois minutos para alcançar a maior pontuação possível, existindo ainda um Stage Clear Mode, onde temos de limpar blocos até uma linha que aparece no ecrã e finalmente o Puzzle Mode, onde temos um certo número de movimentos para limpar todos os blocos presentes no ecrã.

Encher o ecrã com porcaria faz parte do jogo.
A juntar a todos estes, existem vários modos para dois jogadores, alguns sendo variações dos modos individuais. Estes podem ser jogados com um amigo ou mesmo contra um adversário controlado pelo computador. Aqui podemos eleger a personagem que mais gostarmos, até porque a disposição dos blocos varia consoante a personagem que elegermos. Os bosses também estão presentes mediante um código que podemos introduzir no menu de single player. As diferenças para Panel de Pon são essencialmente a nível de visuais, algumas músicas e sobretudo a IA das personagens, que em Tetris Attack são bem mais agressivas e inteligentes.

Alguém tem de perder.
Apesar de ter Tetris no nome, nada partilha com este clássico a não ser o facto de serem do mesmo género. No entanto Tetris Attack é um jogo divertidíssimo, acessível a todos os jogadores e que pode muito bem proporcionar imensas horas de vício. Por estas razões e mais algumas, é um JOGALHÃO DE FORÇA!

Amanhã no Jogalhões, um jogo de futebol, por incrível que pareça. :P

MURRALHÕES DE FORÇA: 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário