22 de julho de 2011

inFamous

Cole a dar choque.
Desenvolvido por: Sucker Punch Productions
Publicado por: Sony Computer Entertainment
Designer: Nate Fox
Plataforma: PlayStation 3
Lançamento: 26-05-2009 (EUA), 29-05-209 (EU), 05-11-2009 (JP)
Género: Sandbox, Acção, Aventura
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Instalação no disco rígido (1.2GB), Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Sensor de Movimento, HD 720p, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez, comecei a segunda mas ainda não terminei.

(Finalmente apanhei o Mortal Kombat e o Crysis 2 em promoção!)

Sem necessidade de autocolantes.
Os super-heróis sempre fizeram parte do nosso imaginário, com todos os seus poderes adquiridos à nascença ou noutras circunstâncias. Mas todo o super-herói antes de o ser, teve de optar como usar os seus poderes e é isso que o define para o resto da vida. Como tal, é por isso que existem também os super-vilões, que optaram por pensar somente neles e usar os seus poderes para o mal e para a sua própria satisfação. O jogo que aqui trago hoje deixa-nos optar pelos dois caminhos, apelando ao nosso bom senso ou à nossa maldade. Este exemplar foi adquirido na Fnac do Almada Fórum por cerca de 30 euros.


inFamous coloca-nos na pele de Cole MacGrath, um simples estafeta que durante a sua hora de expediente se encontrava no epicentro de uma enorme explosão que devastou parte da Empire City. Sem saber bem como, Cole sobreviveu mas vê-se agora com efeitos resultantes deste evento que se traduzem no poder de controlar a electricidade. Cole conta agora com a ajuda do seu amigo Zeke e da recém conhecida agente do FBI, Moya, para desvendar o que realmente se passou, ao longo de uma série de eventos, descobrindo pelo meio, mais pessoas com poderes resultantes desta explosão.

Manual e disco.
Não sendo dos jogos mais vistosos que me passaram pela PS3, inFamous é no entanto agradável visualmente, até um certo ponto. Empire City é uma cidade rica em movimento, com os seus veículos e pedestres a moverem-se por todo o lado, bem como bastante iluminada, fazendo um bom uso desta componente. Ainda assim, torna-se rapidamente monótona pelo facto dos edifícios serem quase todos iguais, usando e abusando dos cinzentos e castanhos. Existem contundo partes da cidade diferentes, onde a arquitectura muda substancialmente mas os contraste continuam no mesmo nível. Isto cria sem dúvida uma boa atmosfera, bastante dark mas ao mesmo tempo aborrecida, a longo prazo. As personagens estão bastante bem conseguidas, com animações consistentes e a física permite grandes acrobacias, especialmente ao usarmos e abusarmos dos poderes de Cole contra tudo o que virmos no ecrã. Um dos pormenores que mais gostei foram as cutscenes, com uma apresentação estilo BD, que conferem um bom ambiente no geral ao jogo.

Cole prende alguém, por algum motivo.
Uma das partes que sinceramente me passou ao lado foi mesmo a banda sonora, que apesar de existir, mal a ouvi ao longo do jogo talvez por estar demasiado embrenhado na acção. O certo é que durante grande parte do tempo estamos com atenção ao som ambiente, que numa cidade é mais do que importante. Desde o som dos veículos, às reacções e conversas das pessoas que habitam Empire City, o som em inFamous está muito bom, com especial destaque para os diálogos entre as personagens. Não vou comentar o voice-acting original pois joguei-o completamente em Português e por preguiça não mudei a linguagem da consola para inglês, para o áudio do jogo mudar também. Isto a meu ver é uma falha, pois devia ter essa opção dentro do jogo e não ser preciso mudar a linguagem da consola. As vozes em Português ouvem-se, não as achei nada por aí além pois nem sempre são consistentes nos diálogos, onde se consegue notar que por vezes foram gravados em separado. Ah, e o Zeke é irritante.

O Cole bonzinho protege a cidade.
O ponto forte de inFamous é mesmo a jogabilidade. Controlar Cole é impecável e a panóplia de poderes à escolha é mais que muita para podermos fazer as mais diversas proezas e tornar os combates divertidos, especialmente quando há bastante inimigos para despachar. Obviamente, apesar de ser um "super", herói ou vilão, Cole não é Deus e como tal, de vez em quando tem de se esconder, pelo que o sistema de cover se torna útil apesar de não ser dos melhores que já vi. Os poderes em si, vão desde o combate corpo-a-corpo, a combate à distância onde podemos utilizar desde granadas eléctricas com a propriedade de ficarem coladas, até tiros de precisão, como se estivéssemos a utilizar uma espingarda de sniper. Também podemos "voar", até um certo ponto mas o facto é que Cole consegue escalar praticamente tudo com uma agilidade incrível, bem como controlar certos veículos e tudo o que tenha electricidade. A telekinesis é outro dos seus atributos, ideal para afastar grandes multidões ou destroços que se encontrem pelo caminho.

O Cole mauzão está-se nas tintas e destrói tudo!
Isto tudo parece divertido mas rapidamente se torna enfadonho devido ao sistema de missões, que vão desde as de história às side missions que se resumem a salvar pessoas, evitar desastres, limpar o sebo a bandidos, defender pontos estratégicos de ataques inimigos e afins. A explosão também libertou imensos fragmentos que se espalharam por toda a cidade e que Cole deve recolher para ter uma "surpresa". Se o jogo fosse mais orientado para a acção, teria sido mais divertido na minha opinião. Ainda assim o sistema de Karma torna as coisas interessantes ao deixar-nos optar pelo bem ou pelo mal, algo que se reflecte nas pessoas e acima de tudo nas personagens com quem interagimos durante o jogo. Os poderes de Cole também mudam um pouco consoante a nossa escolha.

Apesar de ser um jogo com potencial, inFamous perde por se tornar repetitivo e pela monotonia visual, embora consiga ser divertido se gostarem do género. Pessoalmente esperava algo ligeiramente diferente mas não se pode ter tudo. O segundo, cheira-me que vai pelo mesmo caminho mas pelo menos já tem algumas melhorias, do pouco que pude jogar na demo. Mas com esta conversa toda, já se sabe que é um JOGALHÃO DE FORÇA!

Amanhã no Jogalhões, naves espaciais e tiros. :)

MURRALHÕES DE FORÇA:
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário