24 de fevereiro de 2011

Metroid - Other M

Samus a dobrar na capa.
Desenvolvido por: Project M (Nintendo, Team Ninja e D-Rockets)
Publicado por: Nintendo
Designer(s): Yoshio Sakamoto, Yosuke Hayashi
Argumentista: Yoshio Sakamoto
Compositor: Kuniaki Haishima
Plataforma: Nintendo Wii
Lançamento: 31-08-2010 (EUA), 02-09-2010 (JP, AUS), 03-09-2010 (EU)
Género(s): Acção, Aventura, Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (8.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso na memória interna da Wii
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez mas hei-de pegar nele novamente.

(E entretanto chegou mais um jogo à colecção e já em Março chegará outro. Como vos digo, isto está longe de ter um fim.)

Sem autocolantes, me likes!
A Nintendo é conhecida mundialmente por diversos motivos. Um deles é certamente Super Mario e esse nem sequer se discute. Outro é porque é sinónimo de jogos e entretenimento. E por último mas não menos importante, porque criou algumas das sagas mais icónicas de sempre neste mundo dos videojogos. Seja Mario, Zelda ou Metroid, a Nintendo conseguiu uma legião infindável de fãs com qualquer uma destas sagas que está sempre à espera de mais e melhor. Portanto, existe um pesado fardo a ser carregado por cada um destes três nomes e como já se sabe, com grande poder, grande responsabilidade. No caso de hoje, a saga em questão é das poucas que no âmbito geral, a Nintendo se pode orgulhar de ser praticamente perfeita pois nenhum dos jogos desiludiu os fãs. A imprensa, talvez mas esses são uma cambada de más línguas e não interessam a ninguém. Ainda que hoje em dia, infelizmente a premissa seja agradar todos para que o jogo venda bem, o importante é agradar o público-alvo e isso nunca, mas nunca pode ser descurado. Tenho-o dito e escrito. Bem, mas seguindo em frente, este jogo que aqui hoje apresento, entrou na minha colecção logo um ou dois dias antes do lançamento em Setembro de 2010, por cerca de 49€, tendo sido adquirido na Vobis do Almada Fórum. Podia tê-lo comprado online por menos 10 euros mas não aguentei a espera pois o hype estava instalado... :)


Manual, disco e papelada.
Metroid - Other M, é um jogo de acção e plataformas, em 3D mas que desta vez se joga na terceira pessoa contrariando a trilogia Prime. Esta decisão partiu do co-criador da série, Yoshio Sakamoto, que ao ver os mais recente jogos da série Ninja Gaiden, ficou impressionado com o trabalho da Team Ninja e decidiu abordá-los para desenvolverem esta nova entrega de Metroid na Wii. E assim foi, sendo que o resultado não podia ter sido melhor. A história situa-se entre os eventos de Super Metroid e Metroid Fusion, colmatando assim a lacuna que existia ali no meio e explicando muitos dos porquês que vimos em Fusion. Samus começa por se lembrar da sua batalha final contra Mother Brain e posteriormente relatar os eventos à Galactic Federation. Logo após isto, recebe um pedido de socorro de uma das naves da GF, a Bottle Ship, indo logo em seu auxílio. À chegada depara-se com o Galactic Federation 07th Platoon, e consequentemente com o seu ex-superior Adam Malkovich. Começa assim mais uma aventura para desvendar o que se passou na Bottle Ship...

Desta vez Samus tem ajuda da Federação.
Uma das coisas que mais me agradou na saga Metroid foi a excelente passagem do 2D para o 3D. Inicialmente relutante e até um pouco descrente, rapidamente mudei de opinião quando joguei o primeiro jogo da saga Prime. Depois seguiram-se o segundo e terceiro para cimentarem mais ainda aquilo em que agora acreditava. Este Other M, veio conferir uma nova dinâmica no aspecto gráfico, dinâmica essa que se traduz num jogo 3D na terceira pessoa e que resulta muito bem. Visualmente está ao nível de Metroid Prime 3 - Corruption, ainda que menos detalhado em certos aspectos mas nada que se note descaradamente. É bastante variado em termos de ambientes ainda que passemos o tempo todo dentro de uma nave enorme, por vezes temos a sensação que estamos noutros locais devido às mudanças que ocorrem ao longo da história e que "alteram", de certa forma, o cenário. Os modelos 3D, tanto de Samus como dos inimigos, a maioria velhos conhecidos com especial incidência em certos bosses, estão muito, mas muito bons.  A introdução de cutscenes em CG, a cargo da D-Rockets, foi uma boa aposta e dá-nos um pouco do sabor de como seria um Metroid numa consola HD, mostrando cenas de acção fabulosas. A intro do jogo é sem dúvida memorável e uma das melhores que já vi em todos estes anos como jogador. E é bastante fluido, rápido e frenético, tudo ingredientes fundamentais num jogo deste tipo, que abandonou o esquema FPS para abraçar um esquema próximo de Ninja Gaiden. Posso afirmar que na Wii, é um dos jogos visualmente mais bonitos e bem conseguidos dos últimos tempos.

Bicharocos chatos!
No campo sonoro, Metroid nunca desiludiu e este continua a carregar o legado de qualidade e excelência. A música é um pouco daquilo que já estávamos à espera, ambiente q.b. mas com algumas bem conhecidas da saga, agora remixadas, especialmente durante as batalhas com os bosses. Todo o som em geral é muitíssimo bom e alguns dos efeitos claramente ou foram aproveitados dos Prime ou no mínimo inspirados. Mas se é bom, aproveita-se! Um aspecto que distingue este jogo de todos os outros da saga é que Samus finalmente ganhou uma voz!! Inicialmente poderá parecer estranho mas com o decorrer do jogo, habituamo-nos à ideia de que Samus agora fala e interage com as outras personagens, coisa que acontece com bastante frequência. Neste jogo, o voice-acting está bem conseguido e as imensas cutscenes com o motor de jogo são prova disso.

A visão na 1ª pessoa é apenas de recurso.
Na jogabilidade, Metroid - Other M ganha todos os prémios que houverem para ganhar. Para terem uma ideia, é pegar na jogabilidade tradicional dos 2D e misturá-la um pouco com a lógica FPS dos 3D. O resultado? Other M! Samus movimenta-se em ambientes completamente 3D, na terceira pessoa ainda que por vezes o jogo nos remeta para o passado devido à orientação da câmara fazendo com que estejamos a ver a acção de lado. Noutras alturas estamos a caminhar de frente ou de trás para câmara, podendo alternar entre a 3ª e a 1ª pessoa para analisar o meio envolvente à procura de pistas ou simplesmente para destruir certos inimigos, ou pontos fracos, que só podem ser visíveis nesta perspectiva. No fundo, esta mistura resultou muito bem. Por outro lado, o combate, ainda que seja essencialmente feito na 3ª pessoa e a despejar rajadas de tiros e mísseis nos inimigos, agora podemos optar por uma aproximação mais pessoal e usar melee attacks (golpes corpo a corpo) nos inimigos. Basta esperar pelo momento exacto ou até mesmo num contra-ataque depois de ter esquivado uma investida. E sendo este um jogo com o dedinho da Team Ninja, esquivar de ataques é imperativo para se triunfar, fazendo com que seja um Metroid bastante diferente daquilo a que estávamos habituados. Mas é bom, é novo, é divertido e funciona bem.

Computadores, os nossos melhores amigos.
Ainda neste patamar, o jogo mudou noutros aspectos. Apesar de termos o nosso arsenal todo à disposição (desta vez Samus não sofreu nenhum infortúnio que a levasse a perder todos os seus itens), só os podemos utilizar com a autorização de Adam Malkovich. Quer isto dizer que à medida que vamos progredindo, vamos tendo ordens para usar misseis e outros ataques ou habilidade cruciais. Contudo ainda há bastante exploração a fazer, nomeadamente para fazer upgrade aos tanques de energia e afins, como seria de esperar. O mapa continua a ser uma ajuda preciosa neste campo, bem como em termos de progressão. O grande defeito deste jogo é que por vezes podemos ficar encalhados em certas partes onde temos de analisar o cenários na 1ª pessoa. Em algumas dessas partes a nossa personagem fica completamente imóvel nesta perspectiva, levando-nos a crer que o jogo simplesmente crashou! É verdade, aconteceu-me e ao pesquisar na net verifiquei que não fui o único a passar pela experiência. Enfim, nada que afecte o jogo o geral após descobrir a solução.

Para concluir esta já extensa análise, Metroid - Other M é um excelente jogo a ter na Wii, especialmente se forem fãs da série pois vão ter muitas surpresas, especialmente nos bosses! ;) Mesmo que não sejam, é algo a considerar por ser um jogo que mistura várias fórmulas numa só e proporciona uma agradável aventura. Por isso mesmo, é um JOGALHÃO DE FORÇA e espero que façam mais!

Amanhã, vamos ter mais... vampiros. :P

MURRALHÕES DE FORÇA:
 

Sem comentários:

Enviar um comentário