31 de julho de 2011

Lost Planet 2

Bichos gigantes na capa!
Desenvolvido por: Capcom
Publicado por: Capcom
Director: Kenji Oguro
Produtor: Jun Takeuchi
Motor gráfico: MT Framework 2.0
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox 360, PC
Lançamento: Versão PS3 - 11-05-2010 (EUA/EU), 20-05-2010 (JP)
Género: Third Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador e co-op local/online até quatro jogadores, Multiplayer online para até 16 jogadores
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Instalação no disco rígido (4.6GB), Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Função de Vibração, HD 720p, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o várias vezes

(Tenho de estudar uma solução para conseguir meter aqui uns vídeos sem estragar muito o layout.)

Kill big! Sim, são todos enormes!
Ainda há uns dias atrás, trouxe até aqui um jogo desta actual geração que se for bem explorado pode dar origem a várias sequelas e até spin-offs. Refiro-me obviamente a Lost Planet, uma das mais recentes obras da Capcom. O conceito do jogo em si pode não ser muito original mas, a meu ver, acho que qualquer fã de ficção científica adora poder rebentar com insectos gigantes e certamente este jogo é bom nesse campo. Hoje trago até aqui a sequela deste jogo, que aguardei com alguma expectativa e felizmente não me desiludiu apesar da critica ter tido opiniões muito heterogéneas, umas boas, outras nem por isso. Este exemplar foi adquirido numa loja online, por cerca de 20 e pouco euros. Como fiz pré-reserva devido ao preço convidativo, tive ainda direito a uma réplica de um dos bosses em tamanho miniatura, como podem ver na foto. :)

30 de julho de 2011

Tekken 2

Esta capa é só gente bonita...
Desenvolvido por: Namco
Publicado por: Namco
Plataforma(s): PlayStation, Arcade, PlayStation 2, PlayStation Network, Zeebo, Mobile
Lançamento: Versão PS - 29-03-1996 (JP), 27-08-1996 (EUA), Outubro de 1996 (EU)
Género: 3D Fighting
Modos de jogo: Modo história e outros modos adicionais para um jogador, Modo Vs. para dois jogadores
Media: CD-ROM (650MB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (256KB mínimo), Inclui a demo de Point Blank
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei com todas as personagens e desbloqueei tudo o que havia.

(Fim de semana, nada a dizer.)

Aqueles símbolos estranhos são letras.
É impossível no meio de tanta consola não existir um jogo de pancada, a menos que não se goste do género. Mas como não é o meu caso, todas, ou quase todas, as consolas têm pelo menos um jogo destes para desanuviar dos restantes. E como é de calcular, tento seguir várias sagas abrangendo diversos sub géneros e afins para vaiar ainda mais. O jogo de hoje faz parte daqueles jogos de luta 3D com jogabilidade 2D e é um excelente exemplo daquilo que a velhinha PlayStation era capaz de fazer no seu tempo. Este exemplar foi-me oferecido por um amigo meu, num aniversário, creio que em 1998. Descobri mais tarde dentro da caixa, a demo de Point Blank, convenientemente escondida.

29 de julho de 2011

Rogue Galaxy

Barcos voadores no espaço...
Desenvolvido por: Level-5, SCE Japan Studio
Publicado por: Sony Computer Entertainment
Director: Akihiro Hino
Produtor(es): Akihiro Hino, Yasuhide Kobayashi
Artista(s): Takeshi Majima, Keiji Nagao, Jiro Morinaga
Argumentista(s): Akihiro Hino, Koji Mori
Compositor: Tomohito Nishiura
Plataforma(s): PlayStation 2, PlayStation 4 (PSN)
Lançamento: 08-12-2005 (JP), 30-01-2007 (EUA), 05-09-2007 (EU)
Género: Role Playing Game
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM Double Layer (8.5GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (130KB mínimo), Compatível com Controlo Analógico: apenas joysticks.
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez com cerca de 60 horas de jogo.

(Parece que o Verão se anda a esconder novamente.)

Confesso que já gostei mais de JRPG's do que actualmente gosto pelo simples facto ter terem estagnado como género. Os RPG's ocidentais por outro lado evoluíram e estão sempre surpreender-nos com coisas novas ou inovações em certas áreas mas os de origem japonesa simplesmente já não são o que eram no tempo da SNES, da PlayStation e até mesmo da PlayStation 2 que teve alguns bastante bons. O jogo que aqui trago hoje é um dos poucos que realmente merece destaque e foi dos últimos que joguei. Este meu exemplar comprei-o numa loja online, novo, por cerca de 7 euros. Mandei vir dois, um para mim e outro para um amigo que partilha o gosto por este género.

28 de julho de 2011

Lost Planet - Extreme Condition

Starship Troopers na neve.
Desenvolvido por: Capcom, K2 LLC (PS3)
Publicado por: Capcom
Director: Kenji Oguro
Produtor: Keiji Inafune
Compositor: Jamie Christopherson
Motor gráfico: MT Framework
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox 360, PC
Lançamento: Versão PS3 - 21-02-2008 (JP), 26-02-2008 (EUA), 29-02-2008 (EU)
Género: Third Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer online para até 16 jogadores
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Instalação no disco rígido (5GB), Gravação de progresso no disco rígido, HD 720p
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o três vezes.

(Agora sim, parece que é Verão.)

Grr... malditos!
A Capcom deve ser uma das empresas que mais dinheiro me fez gastar em jogos até hoje simplesmente por ter criado algumas das minhas séries favoritos. Como se isso não bastasse, continuaram a criar mais algumas novas que me despertaram o interesse e como tal, não as pude deixar passar ao lado. Mas em alguns casos isso só aconteceu quando apareceram na PS3, pois até uma certa data, era exclusivos de Xbox360 e não me apetecia ter outra consola só para os jogar. Eventualmente lá se fizeram uns ports e a coisa ficou resolvida. O jogo de hoje é um claro exemplo disso, tendo saído um ano e tal mais tarde na PS3. Este exemplar foi adquirido a 08-03-2008 na Fnac do Almada Fórum por 39.90€. Não é um preço do outro mundo mas é mais simpático do que os 69.90€.

27 de julho de 2011

Resident Evil - Outbreak File #2

Este já não se safa!
Desenvolvido por: Capcom
Publicado por: Capcom
Director: Eiichiro Sasaki
Produtor: Tsuyoshi Tanaka
Artista: Yoshihiro Ono
Argumentista(s): Yuji Matsumoto, Koichi Okada, Kazunori Kadoi, Yasunori Ichinose, Haruo Murata
Compositor(es): Akihiko Matsumoto, Tetsuya Shibata, Etsuko Yoneda, Mitsuhiko Takano, Kento Hasegawa
Plataforma: PlayStation 2
Lançamento: 09-09-2004 (JP), 26-04-2005 (EUA), 26-08-2005 (EU)
Género: Online Survival Horror
Modos de jogo: Modo história para um jogador offline, Modo história para até quatro jogadores online
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (348KB), Compatível com Controlo Analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração, Compatível com Network Adaptor (Ethernet)
Outros nomes: バイオハザード アウトブレイク FILE2 - Biohazard Outbreak File 2 (JP)
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o duas vezes offline e bastou.

(Calorzinho...)

Os belos dos autocolantes...
Existem jogos que nos quais nem sequer devíamos tocar mas a curiosidade humana é demasiado grande para nos limitar. Assim, de vez em quando, lá nos deparamos com determinados jogos que nos deixam a pensar porque razão o fizemos. Mas o que está feito, está feito e não há volta a dar, a não ser tirar o melhor partido da situação. Em certos casos se "espremermos" bem o jogo até se consegue tirar algum conteúdo ainda que não seja muito. O jogo que trago aqui hoje ilustra na perfeição este cenário, para grande pena minha pois faz parte de uma das minhas saga favoritas. Este exemplar foi adquirido na Fnac da Baixa-Chiado, por cerca de 49 euros, algures em 2005. Se soubesse o que sei hoje...

26 de julho de 2011

Street Fighter EX2 Plus

Dois conhecidos na capa.
Desenvolvido por: Arika
Publicado por: Capcom
Artista: Minato Koio
Compositor: Motoi Sakuraba
Plataforma(s): PlayStation, Arcade
Lançamento: 22-12-1999 (JP), 30-12-1999 (EUA), Algures em 1999 (EU)
Género: 3D Fighting
Modos de jogo: Modo Arcade para um jogador, Modo Vs. para dois jogadores, Outros modos de jogo
Media: CD-ROM (650MB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (1~8 Blocos)
Estado: Completo
Condição: Mediana, apresenta marcas de uso
Viciómetro: Joguei-o muito pouco, acabei apenas com duas ou três personagens.

(Ainda esta semana, novos jogos deverão chegar, espero eu!)

Nem um autocolante.
Hoje é dia de Jogalhões Flash, que é o mesmo que dizer, uma coisa assim muito rápida até porque não joguei muito o título que trago até aqui hoje. Este faz parte da longa série Street Fighter que deu origem a várias sub-séries, desde os Alpha até aos EX. O jogo de hoje é um dos que faz parte da curta série EX e este exemplar aterrou-me literalmente na colecção, tendo sido doado por um amigo que o tinha e nem sabia de quem era. Agora é meu! :P

25 de julho de 2011

Resident Evil - Dead Aim

Esta capa é meh...
Desenvolvido por: Capcom Production Studio 3
Publicado por: Capcom
Director(es): Eiro Shirahama, Takuya Iwasaki
Produtor(es): Tatsuya Minami, Kouji Nakajima, Hideshi Tatsuno
Argumentista(s): Noboru Sugimura, Junichi Miyashita, Toyokazu Sakamoto
Compositor(es): Nobuyoshi Sano, RIZE
Plataforma: PlayStation 2
Lançamento: 13-02-2003 (JP), 17-06-2003 (EUA), 09-07-2003 (EU)
Género(s): Light Gun Shooter, Survival Horror
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (127KB), Compatível com Controlo Analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração, Compatível com G-Con 2 (SLEH-00007)
Outros nomes: ガンサバイバー4 バイオハザード ヒーローズ・ネバー・ダイ - Gun Survivor 4 Biohazard Heroes Never Die (JP)
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o várias vezes, desbloqueei quase tudo.

(Se porventura virem algum erro nos textos, avisem que é para eu "arranjar".)

A saga Resident Evil sempre se destacou por ser na terceira pessoa, apinhada de mortos vivos e sempre com muito mistério por desvendar mas a dada altura, parece que houve uma certa necessidade em tentar inovar e ideias novas foram postas em prática. Assim, deixou-se a perspectiva de terceira pessoa de lado e optou-se por uma perspectiva muito mais pessoal, na primeira pessoa. Obviamente a única maneira de fazer isto era sob a forma de um jogo que utilizasse uma Light Gun pois um FPS iria parecer no mínimo estranho. O jogo resultante não foi dos melhores mas a ideia era boa e o exemplo de hoje aperfeiçoou as falhas da primeira tentativa. Este meu exemplar foi adquirido na Media Markt do Estádio do Benfica, por 9.90€, não sabendo precisar a data.

24 de julho de 2011

Killzone 2 [Limited Edition Collector's Box]

Caixinha metálica!
Desenvolvido por: Guerrilla Games
Publicado por: Sony Computer Entertainment
Director: Mathijs de Jonge
Designer: Neil Alphonso
Compositor: Joris de Man
Motor gráfico: In-house engine, Havok (física)
Plataforma: PlayStation 3
Lançamento: 27-02-2009 (EUA/EU), 23-04-2009 (JP)
Género: First Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer online para até 32 jogadores
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Sensor de Movimento, Compatível com Função de Vibração, HD 720p, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o quatro vezes.

(É Domingo, nada a declarar como é costume.)

Sim, vamos enfrentar a fúria.
Os FPS são um género que sigo desde sempre, ainda que se tenham tornado demasiado lineares e curtos, face aos clássicos de PC, que demoravam imenso tempo a acabar com muitos mapas para explorar e segredos para descobrir. Hoje em dia, muito por culpa do chamado "realismo", os FPS têm 8 horas de duração, na melhor das hipóteses, com umas quantas cutscenes metidas pelo meio e sem grandes desvios da história. Por um lado é bom, por outro é mau mas isto é uma eterna batalha que o género irá continuar a travar. O facto é que mesmo com os prós e contras, eu continuo a ter gosto em jogá-los e penso que isso é o que realmente interessa. O jogo de hoje é um exemplo de um FPS relativamente curto, com um nível de produção bastante elevado, tal como tantos outros da sua época. Este meu exemplar foi adquirido na DVD.co.uk, por cerca de 50 euros já com portes, logo no seu lançamento. Cá custava uns 80 euros...

23 de julho de 2011

Super Stardust HD

Aquilo é a nossa nave.
Desenvolvido por: Housemarque
Publicado por: Sony Computer Entertainment
Director: Harri Tikkanen
Produtor: Ivan Davies
Designer: Harri Tikkanen
Plataforma(s): PlayStation 3 (PSN), PlayStation Portable (PSN)
Lançamento: 28-06-2007 (EUA), 29-06-2007 (EU)
Género: Shoot 'em up
Modos de jogo: Modo Arcade e Planet Mode para um jogador. DLC's adicionais com mais modos de jogos e suporte para dois jogadores em co-op local e online.
Media: Suporte Digital
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido da consola, HD 720p, 1080i, 1080p
Outros nomes: Star Strike HD (JP), Super Stardust Portable (PSP)
Estado: Não se aplica
Condição: Não se aplica
Viciómetro: Acabei-o duas vezes.

(Parece que o tempo arrebitou.)

Este jogo parece o 24 de Julho.
Desde os primórdios dos videojogos que os shoot 'em up, também conhecidos actualmente por shmups, são um dos géneros mais famosos e apreciados por todo o tipo de jogadores, com alguns bastante acessíveis em termos de dificuldade e outros ridiculamente difíceis, indicados para seres humanos com habilidades especiais tais como destreza manual super humana. Ainda assim, é um género divertido, intemporal e que dá para jogar muitas vezes, mesmo depois de já o termos batido vezes sem conta, ou não. Este jogo que aqui trago hoje é um bom exemplo disso e não paguei nada por ele, bastando-me um download da conta de um amigo meu, na PSN. Pena não ter os extras todos, mas a cavalo dado não se olha o dente.

22 de julho de 2011

inFamous

Cole a dar choque.
Desenvolvido por: Sucker Punch Productions
Publicado por: Sony Computer Entertainment
Designer: Nate Fox
Plataforma: PlayStation 3
Lançamento: 26-05-2009 (EUA), 29-05-209 (EU), 05-11-2009 (JP)
Género: Sandbox, Acção, Aventura
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Instalação no disco rígido (1.2GB), Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Sensor de Movimento, HD 720p, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez, comecei a segunda mas ainda não terminei.

(Finalmente apanhei o Mortal Kombat e o Crysis 2 em promoção!)

Sem necessidade de autocolantes.
Os super-heróis sempre fizeram parte do nosso imaginário, com todos os seus poderes adquiridos à nascença ou noutras circunstâncias. Mas todo o super-herói antes de o ser, teve de optar como usar os seus poderes e é isso que o define para o resto da vida. Como tal, é por isso que existem também os super-vilões, que optaram por pensar somente neles e usar os seus poderes para o mal e para a sua própria satisfação. O jogo que aqui trago hoje deixa-nos optar pelos dois caminhos, apelando ao nosso bom senso ou à nossa maldade. Este exemplar foi adquirido na Fnac do Almada Fórum por cerca de 30 euros.

21 de julho de 2011

Resident Evil - Code: Veronica X

Miúda na capa impõe respeito!
Desenvolvido por: Capcom Production Studio 4, Nextech, Sega
Publicado por: Capcom
Director: Hiroki Kato
Produtor: Shinji Mikami
Argumentista(s): Noboru Sugimura, Hirohisa Soda, Junichi Miyashita, Akira Asaka, Hideyuki Ishizeki, Yasuyuki Suzuki
Compositor(es): Takeshi Miura, Hijiri Anze, Sanae Kasahara
Plataforma(s): PlayStation 2, Dreamcast, Nintendo GameCube, PlayStation 3, Xbox 360
Lançamento: Versão PS2 - 22-03-2001 (JP), 21-08-2001 (EUA), 14-09-2001 (EU)
Género: Survival Horror
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (105KB mínimo), Compatível com Função de Vibração.
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o três vezes.

(E os jogos que eu quero não baixam de preço...)

Sem nada agarrado e colado!
Se são seguidores assíduos do blog já devem ter reparado na quantidade de jogos da saga Resident Evil que já apareçam por estas bandas. Alguns deles até "repetidos". Não é de estranhar quando eu sou fanático pela saga e tento jogá-los quase todos. Digo "quase todos" porque há uns quantos que são mesmo mauzinhos e nem sequer os tenho. Obviamente isto não quer dizer que não os arranje, eventualmente. Mas até esse dia chegar o que interessa são os que aqui aparecem. Este exemplar foi-me oferecido pela minha mãe, por um motivo especial qualquer, aniversário, Natal ou algo do género. Não me lembro ao certo.

20 de julho de 2011

Street Fighter Alpha 3

O Ryu está ali a mais.
Desenvolvido por: Capcom
Publicado por: Capcom
Compositor(es): Takayuki Iwai, Yuki Iwai, Isao Abe, Hideki Okugawa, Tetsuya Shibata
Plataforma(s): PlayStation, Arcade, Sega Dreamcast, Game Boy Advance, PocketStation, PlayStation 2, PlayStation Portable, Sega Saturn
Lançamento: 23-12-2008 (JP), 30-04-1999 (EUA), Algures em 2000 (EU)
Género: 2D Fighting
Modos de jogo: Modo história para um jogador, diversos modos para um ou dois jogadores
Media: CD-ROM (650MB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (256KB mínimo)
Outros nomes: Street Fighter Zero 3 (JP)
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Muitas e muitas horas de vício até acabar tudo.

(Hoje o sol lembrou-se de aparecer.)

Os autocolantes perseguem-me!
Confesso que tenho uma mania em particular que se traduz muito simplesmente em comprar jogos que já tenho mas para diversos sistemas. Faço isto meramente por curiosidade pois quando gosto realmente de um jogo, gosto de ver que diferenças existem entre as várias versões do jogo. Ainda que não seja algo que faça com frequência, felizmente, já o fiz com vários jogos e o exemplo que trago aqui hoje foi provavelmente por onde comecei. Este exemplar foi adquirido numa loja aqui em Almada, que já não existe mas não é aquela à qual me refiro N vezes. Na altura, custou-me cerca de 12 contos, preço normal para um jogo de PlayStation.

19 de julho de 2011

The Legend of Zelda - Wind Waker [Limited Edition]

Link na capa.
Desenvolvido por: Nintendo EAD
Publicado por: Nintendo
Director: Eiji Aonuma
Produtor(es): Shigeru Miyamoto, Takashi Tezuka
Argumentista(s): Mitsuhiro Takano, Hajime Takahashi, Eiji Aonuma
Compositor(es): Kenta Nagata, Hajime Wakai, Toru Minegishi, Koji Kondo
Plataforma: Nintendo GameCube
Lançamento: 13-02-2002 (JP), 24-03-2003 (EUA), 02-05-2003 (EU)
Género: Action Role Playing Game
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Nintendo Optical Disc (1.4GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (12 Blocos), Compatível com Game Boy Advance
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez e chega.

(Mais um dia de "Inverno".)

Autocolantes... pfft!
Todos nós que seguimos determinadas sagas desde há muitos anos atrás, sabemos que um dos problemas é a inconsistência da timeline entre outros pormenores mais minuciosos. Cada jogo que aparece tem sempre tendência a tornar as coisas ainda mais confusas, especialmente para as pessoas que não seguem religiosamente a história mas apreciam saber o que se passa em concreto. São muitos os exemplos de sagas que sofrem desse mal e a de hoje é um dos melhores exemplos na minha opinião. The Legend of Zelda começou por ser um jogo, depois dois, três e por aí fora até Ocarina of Time, "instituir" duas timelines separadas. Numa seguimos o Young Link, noutra seguimos o Adult Link e os diversos jogos que existem são prova disso mesmo. O de hoje é tido como uma sequela do Ocarina of Time, portanto irá fazer parte da timeline onde o Young Link existe. Este meu exemplar foi adquirido novo e selado no miau.pt por cerca de 25 euros, sendo a Limited Edition que inclui ainda o Ocarina of Time. Foi a minha última compra lá, pois voltei a comprá-lo novamente a 9.90€, tendo vendido o mesmo a 30. Também sei ser cigano... :P

18 de julho de 2011

Star Ocean - The Second Story

Uma capa bastante azul.
Desenvolvido por: tri-Ace
Publicado por: Sony Computer Entertainment (EUA/EU), Enix (JP)
Artista: Minato Koio
Compositor: Motoi Sakuraba
Plataforma(s): PlayStation, PlayStation Portable
Lançamento: 30-07-1998 (JP), 31-05-1999 (EUA), 12-04-2000 (EU)
Género: Role Playing Game
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: 2x CD-ROM (650MB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (1 Bloco), Compatível com Controlo Analógico, Compatível com Função de Vibração
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Muitas horas de jogo mas não o terminei.

(Este Verão está a deixar muito a desejar...)

Só o selo do IGAC, até escapa.
Já é do conhecimento de todos os que seguem este passatempo que há uns anos atrás, muitos jogos não viam a luz do dia no ocidente. Aos poucos esse panorama alterou-se e alguns começaram a ser publicados, um ou dois anos mais tarde após o seu lançamento no Japão. Mas como diz o ditado, mais vale tarde do que nunca e assim os RPG's japoneses começaram a massificar-se no ocidente, culminando no que se vê hoje e que se resume a muito RPG mas pouca qualidade. Poderei parecer um pouco tendencioso mas tenho saudades dos tempos da opressão oriental face aos RPG's. Pelo menos os que apareciam eram porreiros, grande parte. Este que aqui trago hoje encaixa-se na categoria do mediano, mas ainda assim agradável para quem gosta do género. Este meu exemplar foi adquirido pouco tempo depois de ter saído, em 2000, na Fnac da Baixa Chiado por cerca de 25 euros.

17 de julho de 2011

Resident Evil 4

A capa de GC está melhor.
Desenvolvido por: Capcom
Publicado por: Capcom
Director: Shinji Mikami
Produtor: Hiroyuki Kobayashi
Argumentista(s): Shinji Mikami, Haruo Murata
Compositor(es): Misao Senbongi, Shusaku Uchiyama
Plataforma(s): PlayStation 2, Nintendo GameCube, Nintendo Wii, PC, iPod/Phone/Pad
Lançamento: 25-10-2005 (EUA), 04-11-2005 (EU), 01-12-2005 (JP)
Género(s): Acção, Survival Horror
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Modos extra desbloqueáveis.
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (127KB), Compatível com Controlo Analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração, Compatível com o modo 480p
Outros nomes: バイオハザード4 - Biohazard 4 (JP)
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o duas vezes, desbloqueei tudo.

(Mais um dia com ar de Inverno...)

Autocolantes para não variar.
Já todos nós sabemos que a Capcom é conhecida por inúmeros títulos que a popularizaram ao longo de todos estes anos e em tantas plataformas, sendo que alguns dos mais conhecidos nos vêm logo à memória. Street Fighter, Mega Man e Devil May Cry são alguns dos mais famosos mas há um que nos remete logo para uma saga sem fim aparente e que dá pelo nome de... Resident Evil. Se forem leitores assíduos aqui do espaço, já sabem que a minha paixão por esta saga é interminável também e continuo a querer sempre jogar mais, nem que sejam versões do mesmo jogo em diferentes plataformas como é o caso de hoje. Este meu exemplar foi-me oferecido pela minha irmã que é uma fofa. Foi prenda de Natal em 2005 e serviu para me manter quietinho até ao final do ano.

16 de julho de 2011

Super Rub 'a' Dub

Patos Vs. Tubarões.
Desenvolvido por: Sumo Digital
Publicado por: Sony Computer Entertainment
Plataforma: PlayStation 3 (PSN) 
Lançamento: 05-04-2007 (EU), 19-04-2007 (EUA), 25-04-2007 (JP)
Género: Puzzle. Arcade
Modos de jogo: Modo Banheira para um ou dois jogadores
Media: Suporte Digital
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Sensor de Movimento
Estado: Não se aplica
Condição: Não se aplica
Viciómetro: Nunca o terminei e pouco o joguei.

(Sábado, dia de nada fazer.)

Uma banheira diferente.
Visto existirem certos jogos que provavelmente não joguei, joguei pouquíssimo ou são demasiado simples e pequenos, vou introduzir um novo conceito ao qual vou chamar Jogalhões Flash. Não, não são jogos em flash mas si análises bastante resumidas, sem pormenores técnicos nem grandes abordagens, isto pelo facto de tais jogos não darem para muito. Não quer dizer que seja maus, apenas não têm muito sumo para serem espremidos. O jogo de hoje marca esta inauguração e o tamanho do texto será o factor de diferenciação. Este exemplar digital fui sacá-lo à conta de um amigo, só mesmo por curiosidade pois não tinha intenção de gastar dinheiro no mesmo.

15 de julho de 2011

Gran Theft Auto IV

As capas de GTA são sempre boas.
Desenvolvido por: Rockstar North 
Publicado por: Rockstar Games 
Director(es): Aaron Garbut, Adam Fowler, Alexander Roger
Produtor(es): Leslie Benzies, Imran Sarwar, William Mills
Argumentista(s): Dan Houser, Rupert Humphries
Motor gráfico: RAGE, Euphoria
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox 360, PC
Lançamento: 29-04-2008 (Lançamento mundial)
Género: Sandbox, Acção, Aventura, Third Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer online para até 16 jogadores
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Instalação no disco rígido (3.3GB), Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Sensor de Movimento, HD 720p, 1080i, 1080p, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez.

(I really need new games!)

Em Português!
A série Grand Theft Auto é sobejamente conhecida pelo seu alto teor em violência e conteúdo menos próprio para menores mas também por ter sempre uma história minimamente interessante, ainda que seja sempre acerca de bandidos e banditismo com todos os derivados a que tem direito. E por pouca que seja a inovação feita neste sentido, o facto é que os jogadores continuam a gostar da série, sempre com surpresas e muitas coisas baseadas em filmes que tiveram sucesso no passado, muitos deles sendo agora verdadeiros clássicos. Escusado será dizer que esta geração não estaria "completa" sem um GTA à altura e creio que o jogo de hoje já conseguiu essa proeza. Este meu exemplar comprei-o no seu lançamento em 2008 e custou-me o preço de um jogo normal em terras lusas. Foi adquirido na Game do Almada Fórum, depois de o ter reservado. Se soubesse o que sei hoje...

14 de julho de 2011

Pro Evolution Soccer 2

Amor à camisola.
Desenvolvido por: Konami Computer Entertainment Tokyo
Publicado por: Konami
Compositor(es): Michiru Yamane, Sota Fujimori
Plataforma: PlayStation 2
Lançamento: 25-03-2002 (JP), 25-10-2002 (EU), 11-03-2003 (EUA)
Género: Futebol
Modos de jogo: Vários modos para um ou mais jogadores
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (586KB mínimo), Compatível com controlo analógico: todos os botões, Compatível com Multitap para jogos até 8 jogadores (requer dois Multitap)
Outros nomes: World Soccer: Winning Eleven 6 (EUA), Winning Eleven 6 (JP)
Estado: Completo
Condição: Mediana, apresenta diversas marcas de uso na caixa e no disco.
Viciometro: As poucas vezes que o joguei foi quase sempre contra amigos.

(E já estou de volta, infelizmente... a praia e a piscina estavam tão boas.)

Autocolante foleiro... check!
Se seguem o blog com frequência já devem ter reparado que não tenho muitos jogos de futebol porque sinceramente não é um desporto que goste, ou pelo menos aprecie ao mesmo nível que a maioria dos Portugueses. E não é de estranhar pois o futebol no nosso país é muito mauzinho, assemelhando-se mais a uma telenovela (da más) do que a desporto. Ainda assim tenho um ou outro jogo do desporto-rei e não me impeço de futuramente ter mais. Há que estar aberto a novos panoramas. Mas voltando ao que interessa, este exemplar caiu-me aqui de pára-quedas, pois era de um amigo meu que entretanto vendeu a PS2 mas esqueceu-se do jogo. Quando o achou, lá achou por bem que eu tomasse conta dele.

13 de julho de 2011

Tetris Attack

Não há caixa mas há cartucho.
Desenvolvido por: Intelligent Systems, Nintendo R&D1
Publicado por: Nintendo
Plataforma(s): Super Nintendo, Game Boy
Lançamento: Agosto de 1996 (EUA), 03-11-1996 (JP), 28-11-1996 (EU)
Género: Puzzle
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Vários modos para dois jogadores
Media: Cartucho de 8-megabit
Funcionalidades: Sistema de passwords para gravação de progresso
Outros nomes: Yoshi no Panepon (ヨッシーのパネポン) (JP)
Estado: Incompleto, falta a caixa
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o muitas e muitas vezes.

(Meco, aqui vou eu!)

Para fazer uma pequena pausa nos jogos violentos que fazem parte desta minha colecção, nada melhor do que um jogo de puzzles, onde a simplicidade impera em todos os campos. E é assim que os jogos de puzzles se querem pois são certamente os melhores de todos para descontrair um bocado enquanto se dá um certo uso ao cérebro, uso este bastante benéfico. Este meu exemplar chegou-me aqui de pára-quedas, por volta de 1997, muito provavelmente emprestado por alguém fazendo-se acompanhar do manual. Só é pena não ter vindo também a caixa e era um exemplar completo.

12 de julho de 2011

Soul Blade

Marilyn Manson? Não, apenas Voldo.
Desenvolvido por: Project Soul
Publicado por: Namco
Designer: Hiroaki Yotoriyama
Plataforma(s): PlayStation, Arcade
Lançamento: 20-12-1996 (JP), Janeiro de 1997 (EU), Maio de 1997(EU)
Género: Fighting
Modos de jogo: Modo história para um jogador entre outros, Modo Vs. para dois jogadores
Media: CD-ROM (650MB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (1 Bloco), Compatível com controlo NegCon (SLEH-0003), Compatível com Namco Arcade Stick (SLEH-0004)
Outros nomes: Soul Edge (Arcade e Japão)
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o tantas vezes que nem posso precisar.

(Estou quase, quase a terminar o Oblivion, após mais de 80 horas de jogo...)

Sem autocolantes... milagre!
No final da década de 90, muitos eram os jogos de arcada que mais cedo ou mais tarde, viriam a receber uma conversão para uma das várias consolas caseiras, existentes. Isto era visto com entusiasmo pois ter jogos de arcada em casa era algo do outro mundo naqueles tempos e só a ideia de os poder jogar até nos cansarmos mas sem gastarmos moedas na máquina, era suficiente para nos deixar felizes da vida. Claro que se pensarmos no custo do jogo em si, na volta iríamos gastar menos moedas. O jogo de hoje começou por aparecer nas máquinas e uns mesitos mais tarde fez o seu debut na PlayStation, com montes de extras e novidades. Este meu exemplar foi-me "oferecido" por um colega de escola. Na realidade ofereceu-me o Micro Machines V3 mas como não gostei, troquei com outro amigo por este, novo e selado. Melhor troca de sempre!

11 de julho de 2011

Wizards & Warriors X - Fortress of Fear

Esta capa é má mas era um chamariz.
Desenvolvido por: Rare Ltd.
Publicado por: Acclaim
Plataforma: Nintendo Game Boy
Lançamento: Janeiro de 1990 (EUA, EU)
Género: Aventura, Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Cartucho de 0.5-megabit
Funcionalidades: Não tem
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Nunca o acabei, é impossível. Mais difícil que o Battletoads da SNES!

(O Mortal Kombat e o Crysis 2 já baixavam de preço...)

Um autocolante muito feio.
Os anos 90 foram sem dúvida bons por diversos motivos, fossem os filme de acção que apareciam em quantidades industriais ou até mesmo os desenhos animados que eram excelentes e nada tinham a ver com a porcaria que os putos hoje em dia "consomem". Ah, e os videojogos, claro está! A eterna rivalidade entre Nintendo e Sega a competir em todas as frentes, sempre taco a taco, tornando complicada a escolha do consumidor. Mas visto os grandes consumidores serem miúdos, ao contrário do que acontece hoje, a escolha não era muito difícil, pois entre Mario e Sonic era uma questão de gostos. Eu optei claramente por aquela que ainda hoje se mantém de pedra e cal neste negócio, a Nintendo. E tendo começado pelos 8-bit, mais concretamente pelo Game Boy, o jogo de hoje foi o primeiro que tive para a pequena portátil, tendo sido uma prenda de aniversário da minha mãe, algo que deve datar de 1992 ou 1993 e ainda guardo aqui na minha colecção.

10 de julho de 2011

Prince of Persia Classic

Havendo falta de imagens da versão de PS3...
Desenvolvido por: Gameloft
Publicado por: Ubisoft
Designer: Jordan Mechner (Versão original)
Plataforma(s): PlayStation 3 (PSN), Xbox Live Arcade
Lançamento: 13/06/2007 (XBLA), 23/10/2008 (PSN)
Género: Plataformas
Modos de jogo: Vários modos para um jogador (Normal, Time Attack, Survival)
Media: Suporte Digital
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido, Scoreboards online
Estado: Não se aplica
Condição: Não se aplica
Viciómetro: Acabei-o umas três vezes.

(Já começo a ver a meta após tantos jogos.)

Todo o fã de videojogos que se assuma como tal, só o pode ser se tiver jogado o clássico dos clássicos entre os jogos de plataformas. É óbvio que me refiro à obra prima de Jordan Mechner datada de 1989 e que dá pelo nome de Prince of Persia, presente em mais de 20 sistemas diferentes, sendo a versão de PC a mais popular de todas. Este meu exemplar digital foi adquirido na PlayStation Store americana pois não existia na portuguesa, tendo custado cerca de 7 euros, com a conversão.

9 de julho de 2011

God of War III [Ultimate Trilogy Edition]

O grande caixote.
Desenvolvido por: Santa Monica Studio
Publicado por: Sony Computer Entertainment
Director: Stig Asmussen
Argumentista(s): Marianne Krawcyzk, Stig Asmussen, Ariel Lawrence, William Weissbaum
Motor gráfico: Santa Monica's God of War III Engine
Plataforma: PlayStation 3
Lançamento: 16-03-2010 (EUA), 19-03-2010 (EU)
Género: Acção, Aventura, Hack 'n Slash
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Função de Vibração, Compatível com Sensor de Movimento, HD 720p, 1080i, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o três vezes.

(Detesto perder promoções...)

A caixa de Pandora em versão reduzida.
Uma vez por outra, é normal aparecerem por aqui algumas edições especiais de determinados jogos, uma vez que gosto bastante de coleccionáveis, extras e afins. Contudo nem todas merecem o dinheiro que pedem por elas mas isso é algo que cada um deve analisar consoante os seus gostos e necessidades, pois no fundo, o jogo continua a ser o mesmo, com ou sem extras. Mas estes extras por vezes compensam, especialmente quando revelam ser outros jogos. O jogo de hoje faz parte de uma edição especial digna de ser considerada como tal e que dá pelo nome de God of War III - Ultimate Trilogy Edition. Esta mesma inclui: God of War III, God of War Collection, que se traduz em duas versões HD de God of War e God of War II, as bandas sonoras em CD para cada um destes jogos, postais ilustrados com algumas das criaturas do jogo e ainda conteúdo DLC com modos extras e skins para Kratos, tudo isto dentro de uma réplica da Pandora's Box. Só peca por esta ser em plástico e pelo jogo em si não vir num steelbook. Foi adquirida na Game do Almada Fórum, à data de lançamento em Março de 2010 e custou cerca de 149€. Valeu a pena.

8 de julho de 2011

Onimusha - Dawn of Dreams

Soki em grande.
Desenvolvido por: Capcom
Publicado por: Capcom
Director: Koichi Kimura
Produtor: Yoshinori Ono
Argumentista: Hiroshi Yamashita
Compositor(es): Hideyuki Fukasawa, Jamie Christopherson
Plataforma: PlayStation 2
Lançamento: 26-01-2006 (JP), 08-03-2006 (EUA), 18-03-2006 (EU)
Género: Acção, Aventura, Hack 'n Slash
Modos de jogo: Modo história para um jogador (ou dois jogadores, se souberem como)
Media: 2x DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (311KB mínimo), Compatível com controlo analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração.
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o três vezes.

(Confesso que este tempo me começa a afectar a boa disposição seriamente...)

Autocolantes, pfft!
A PlayStation 2 foi responsável por algumas das sagas mais conhecidas de hoje em dia, que se popularizaram por diversos motivos, desde o género de jogo até à jogabilidade viciante e desafio que o próprio jogo proporcionava. Tristemente nem todas estas sagas tiveram direito a continuidade nesta actual geração de consolas. Bom, pelo menos até agora, nunca se sabe se não virá para aí alguma boa notícia. Mas ainda assim, temos de nos conformar que por enquanto não há nada de novo. Um bom exemplo disso é a saga Onimusha que teve direito a quatro jogos na PS2, vulgo, quatro excelentes jogos. Hoje trago aqui o quatro e último a aterrar nesta plataforma, que se despede em grande e com uma qualidade acima da média. Este meu exemplar comprei-o novo, no Jumbo do Almada Fórum por 9.90€, juntamente com o Killer7 (já aqui analisado).

7 de julho de 2011

Silent Hill

Capa tenebrosa!
Desenvolvido por: Konami Computer Entertainment Tokyo
Publicado por: Konami
Director: Keiichiro Toyama
Produtor: Gozo Kitao
Argumentista: Keiichiro Toyama
Compositor: Akira Yamaoka
Plataforma(s): PlayStation, PlayStation Network
Lançamento: 31-01-1999 (EUA), 04-03-1999 (JP), 01-08-1999 (EU)
Género: Survival Horror
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: CD-ROM (650MB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (1 Bloco), Compatível com Controlo Analógico, Compatível com Função de Vibração
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o cinco vezes.

(A lista de jogatana começa a diminuir, felizmente!)

Três autocolantes estúpidos.
Já é hábito encontrarem por aqui diversos jogos do género Survival Horror, até porque é um dos meus favoritos. Porém, nem todos se resumem à saga Resident Evil pois existem muito mais do que isso, felizmente. O próprio género em questão também não significa que tenhamos de levar sempre com zombies e aberrações, fruto de experiências que correram muitíssimo mal. Depois de Resident Evil, apareceram outros jogos do género que fazem abordagens diferentes, apostando no terror psicológico e em situações paranormais, o que a meu ver é sempre uma lufada de ar fresco. O jogo de hoje começou uma saga que ainda perdura nos dias de hoje, tendo-se espalhado por várias plataformas, com sequelas, prequelas e até spin-offs e remakes. Este meu exemplar foi comprado há uns bons anos, numa loja aqui em Almada que já não existe mas não é aquela que estou sempre a referir. Lembro-me vagamente que o comprei em Agosto de 1999, pouco tempo depois de ser lançado, tendo custado cerca de 12 mil escudos. Um balúrdio mas não me arrependo.

6 de julho de 2011

Wave Race 64

Jet Skis, what else?
Desenvolvido por: Nintendo EAD
Publicado por: Nintendo
Designer: Shigeru Miyamoto
Compositor: Kazumi Totaka
Plataforma(s): Nintendo 64, iQue, Virtual Console
Lançamento: 27-09-1996 (JP), 05-11-1996 (EUA), 29-04-1997 (JP)
Género: Corridas
Modos de jogo: Modo Championship, Warm Up, Time Trial e Stunt para um jogador , Modo Vs. em splitscreen para dois jogadores
Media: Cartucho de 64-megabit
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Pak, Compatível com Rumble Pak, Compatível com Expansion Pak
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o várias vezes.

(Este Verão anda muito murcho.)

Esta está limpinha!
A Nintendo 64 foi sem dúvida uma das consolas que me fez criar mais expectativas até hoje, não só por ser Nintendo mas também pelos jogos que iria ter, futuramente. Quando finalmente foi lançada, fiquei surpreendido com os títulos desde o soberbo Super Mario 64, a Turok, um dos primeiros FPS que apareceram na consola, passando por outros títulos como o excelente Blast Corps que não se enquadra em nada e o jogo de hoje, que é um simples jogo de corridas com uma particularidade: tem muita água. E se calhar foi mesmo isso que me chamou à atenção. Este meu exemplar veio em boa altura, pois foi-me cedido pelo meu contacto na Concentra. Muito dinheiro poupei nesta altura, só em jogos. :)

5 de julho de 2011

The Legend of Zelda - Ocarina of Time [Master Quest]

O logo em azul também fica giro.
Desenvolvido por: Nintendo EAD
Publicado por: Nintendo
Director(es): Shigeru Miyamoto, Yoichi Yamada, Eiji Aonuma, Yoshiaki Koizumi
Produtor: Shigeru Miyamoto
Artista: Yusuke Nakano
Argumentista(s): Toru Osawa, Shigeru Miyamoto,Yoshiaki Koizumi
Compositor: Koji Kondo
Plataforma(s): Nintendo 64, Nintendo GameCube, iQue Player, Virtual Console, Nintendo 3DS
Lançamento: Versão GameCube- 28-11-2002 (JP), 18-02-2003 (EUA), 03-05-2003 (EU)
Género: Action Role Playing Game
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Nintendo Optical Disc (1.4GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (15 Blocos), Suporta apenas o modo 60Hz
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Esta versão ainda não a acabei mas já joguei o suficiente.

(Já tenho saudades do AVGN.)

Hoje vou fazer uma abordagem mais breve visto o jogo em questão já ter sido na sua versão N64 e esta que aqui trago hoje ser um port da mesma, com um bónus. E é sobre esse mesmo bónus que me vou debruçar pois tem algumas diferenças ainda que poucas. Esta versão do jogo vinha como extra da edição especial de The Legend of Zelda - Wind Waker (a analisar futuramente). Obviamente não podia deixar escapar uma pérola destas.

4 de julho de 2011

Resident Evil - Survivor

Há capas piores, há capas melhores.
Desenvolvido por: Capcom
Publicado por: Capcom (EUA/JP), Eidos Interactive (EUA)
Director: Hiroyuki Kai
Produtor: Tatsuya Minami
Argumentista(s): Noboru Sugimura, Naoyuki Sakai
Compositor: Shiro Kohmoto
Plataforma(s): PlayStation, PC
Lançamento: 27-01-2000 (JP), 31-03-2000 (EU), 30-08-2000 (EU)
Género: Off-Rails Survival Horror, Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: CD-ROM (650MB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (1 Bloco), Compatível com G-Con 45 (SLEH-00007), Compatível com Controlo Analógico
Outros nomes: Biohazard Gun Survivor (バイオハザード ガンサバイバ) (JP)
Estado: Completo
Condição: Boa, apresenta marcas de uso
Viciómetro: Acabei-o duas vezes.

(Qual será o próximo jogo a adquirir? Decisions, decisions...)

Pelo menos não tem autocolantes.
Parece que os zombies já se tornaram uma presença habitual aqui no blog devido à quantidade de jogos onde fazem aparições em massa. Não é de estranhar, no entanto, pois sendo eu fã deles e de tudo o que se passa em torno dos mesmos é natural que mais jogos com zombies apareçam futuramente. Apesar de estarem intrinsecamente ligados ao género Survival Horror na 3ª pessoa, fazem aparições em outros estilos e o jogo de hoje é um claro exemplo disso pois trata-se de um jogo concebido para ser usado com Light Gun, na primeira pessoa. Também não é On-Rails Shooter embora tenha aspecto disso. Este meu exemplar foi adquirido ao meu velho conhecido Ricardo Mateus, conhecido por Dark-Vash nas internetes, por um preço simpático, do qual não me recordo. Comprei-o mesmo só por ser Resident Evil e estar em boas condições.