20 de janeiro de 2011

God of War - Chains of Olympus

Artwork bonito.
Desenvolvido por: Ready at Dawn Studios
Publicado por: Sony Computer Entertainment, Capcom (JP)
Director: Ru Weerasuriya
Designer: Dana Jan (Desenho de níveis)
Programador: Garrett Foster (Director de programação)
Argumentista(s): Marianne Krawczyk, Ru Weeerasuriya, Cory Barlog
Motor Gráfico: Proprietário 2.0 da "Ready At Dawn"
Plataforma: PlayStation Portable
Lançamento: 04-03-2008 (EUA), 28-03-2008 (EU), 27-04-2008 (AUS)
Género(s): Acção, Aventura, Hack 'n Slash
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Universal Media Disc (1.8GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Stick (656KB mínimo)
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez e limpei os modos extra para desbloquear o que faltava.

(A lista de publicações está feita. Nem me atrevi a contar quantos jogos faltam comentar, são imensos mas pelo menos agora consigo controlar a situação.)

Badass back!
A mitologia grega sem foi motivo de interesse por diversos motivos. Quer seja pelos deuses ou pelas lendárias bestas, existe uma certa mística que nos atrai e que para além de filmes nos deu diversos videojogos baseados na história mas que poderão ser considerados ofensivos para os historiadores ou quem quer que seja que se interesse a sério por esses assuntos. Mas meus amigos, é baseado, não é uma reprodução fiel dos acontecimentos. E temo que seja bem mais interessante que o "original", portanto don't bitch about it. :P Este jogo tem pouco tempo na colecção, tendo aterrado aqui em 2010 no mês de Agosto por cerca de 20 euros, vindo da Axelmusic. Podia ter pago menos, mas não queria nem a versão Platinum europeia, nem a versão normal pelo simples facto da capa ser horrorosa. Agora esta sim, é bonita! :)


Inlay, manual e UMD.
God of War - Chains of Olympus é um jogo de acção onde a palavra de ordem é destruir. Destruir tudo e todos os que se cruzam no caminho de Kratos, um dos filhos bastardos de Zeus. Oops, spoiler!! Que se lixe, já os deviam ter jogado todos! A história deste jogo toma lugar antes dos eventos do primeiro God of War, ou seja, é uma prequela que nos dá a conhecer a história e os motivos de Kratos estar ao serviço dos deuses e o porquê de se revoltar contra os mesmos. Aqui é ordenado a rebentar com a invasão Persa em Attica e posteriormente a procurar por Helios, Deus do Sol uma vez que se encontra desaparecido e Morpheus invadiu tudo com a sua escuridão.

Uma imagem do manual.
Seguindo os standards de qualidade impostos pelos seus "irmãos" na PS2, Chains of Olympus apresenta uma qualidade gráfica muito acima da média para um jogo de PSP e veio a provar que esta pequena portátil é tão boa quanto a PS2 pois hoje em dia é raro o jogo que não nos faz deslumbrar com tamanha qualidade visual. Kratos está tão bem detalhado quanto na PS2 e os cenários não ficam nada atrás, muito antes pelo contrário. Claro que existem algumas imperfeições, como slowdown em partes apinhadas de inimigos e screen tearing, o que se pode tornar irritante mas as limitações técnicas da máquina fazem-nos acalmar os ânimos. Afinal de contas, estamos a jogar numa portátil e esta já está a dar o litro neste campo. O número de inimigos no ecrã também não é em tanta quantidade e noto que mesmo ao longo do jogo não há assim tantos, mas são males menores.

Outra imagem do manual.
Uma das coisas que mais aprecio em God of War, para além da acção claro, é o som. Desde o mais ligeiro rasgar de carne aos embates míticos de metal contra metal, a qualidade sonora é excepcional. Claro que não me esqueci da épica banda sonora por trás a acompanhar toda a acção. Essa sim, é inesquecível e não podia ser melhor. Se antigamente haviam jogos com bandas sonoras que ficaram para sempre, hoje ainda se consegue essa proeza e esta série prima por isso.






Um bicho bonito!
No campo jogável, a adaptação feita dos controlos utilizados na PS2 foi perfeita. À falta de um joystick direito, complementa-se com um combo entre os shoulder buttons e o joystick existente obtendo-se assim o mesmo resultado. O resto mantém-se inalterado, a acção desenrola-se de igual forma sem diferenças aparentes. E o que caracteriza este título é mesmo isso, acção, porrada, trashalhada se preferirem termos mais técnicos e geeks. Está tudo aqui ainda que se tenha reduzido um pouco as partes de puzzle, também características desta saga. Mas o pessoal não se importa.

Kratos resolve uns assuntos.
God of War - Chains of Olympus é um excelente jogo. Nada me dá mais gozo do que um jogo de uma portátil superar em quase tudo os seus "irmãos" mais velhos nas consolas caseiras pois prova duas coisas: que as portáteis têm muito mais potencial do que aparentam e que podem ainda fazer melhor nas consolas caseiras. Neste caso a evolução tem sido boa em ambas as frentes e voltarei a escrever sobre isto, futuramente. Mas por agora este é sem dúvida um JOGALHÃO DE FORÇA! Façam favor de o jogar se puderem...

Cya soon! :)

MURRALHÕES DE FORÇA: 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário