16 de janeiro de 2011

Teenage Mutant Ninja Turtles II - Back from the sewers

Outra versão americana.
Desenvolvido por: Konami
Publicado por: Konami
Compositor(es): Tsuyoshi Sekito, Yuko Kurahashi
Plataforma: Game Boy
Lançamento: 15-11-1991 (JP), 01-12-1991 (EUA), 21-05-1992 (EU)
Genéro(s): Plataformas, Scrolling Beat 'em up
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Cartucho de 1-megabit
Estado: Completo
Condição: Boa, esta caixa fez algumas viagens comigo
Viciómetro: Acabei-o várias vezes como é de calcular, são as Tartarugas Ninja!

(E com tanto jogo ainda para mostrar eis que me chega a casa mais um. Sinceramente acho que nem em 2012 tenho isto em dia.)

Uma traseira muito informativa.
TMNT. Para muitos esta sigla nada diz, mas para uma grande massa é sinónimo de Teenage Mutant Ninja Turtles, ou como são conhecidas por cá, Tartarugas Ninja. Fizeram parte da febre ninja que se deu nos anos 90 e como é de calcular, fazem parte o imaginário da malta que nasceu em 80 e cresceu em 90. Em qualquer lado estava uma tartaruga à espreita e qualquer coisa que as tivesse, nem que fosse uma caneca para beber o leite, era pretexto para comprar. Obviamente que um videojogo era mais do que desculpa, afinal de contas depois de ver um episódio, ir reviver a aventura na consola era ouro sobre azul. Curiosamente só tenho este, para grande pena minha, pois nesta época fizeram-se os melhores videojogos desta série. Este, por acaso é bastante bom e foi-me oferecido pelo meu pai (uma vez mais), em 93 se a memória não me falha.


Manual, cartucho e plásticos habituais.
Teenage Mutant Ninja Turtles II - Back from the sewers, é o segundo jogo da saga a aterrar no pequeno Game Boy, passando-se depois de Fall of the Foot Clan, seguindo o percurso dos quatro irmãos no rasto de Shredder e do infame Krang que, mais uma vez, andaram a fazer das suas. Típica história, nem preciso ser mais conciso.

O bronco do Bebop.
Back from the sewers ganhou e perdeu um bocado na parte gráfica. Isto porque, a nível cénico, está bastante mais detalhado e variado do que o antecessor mas no que respeita às personagens e inimigos parecem todos enfazadinhos. No primeiro jogo tínhamos sprites bastante grandes e detalhados, que se faziam ver bem no ecrã mas neste segundo título, temos umas tartarugas raquíticas e os inimigos igualmente esquisitos. Mas se ignorarmos isso, temos aqui um bom jogo.

O original ecrã de pausa.
A música de Back from the sewers é algo que consegue ficar na memória, pois a Konami neste departamento é mestre, como já tinha referido noutra entrada aqui no blog. Algumas músicas facilmente reconhecidas da série, outras completamente novas, preenchem esta aventura e dão aquele toquezinho especial característico de qualquer jogo desta companhia. Uma particularidade e que na altura achei a melhor coisa do mundo é quando se mete na pausa. Para além de ter um ecrã especialmente concebido para o efeito, podemos ainda ouvir uma das tartarugas a dizer "Pizza Time" na maior das clarezas! Isto já para não referir o "Cowabunga!" que se ouve no inicio de cada nível. Sinceramente nunca pensei ouvir vozes, perfeitamente perceptíveis num Game Boy mas é possível e naquela época era qualquer coisa de extraordinário.

Uma tartaruga enfezadinha.
Como jogo de porrada em que vamos andando para progredir comporta-se bem. Os movimentos da personagem apesar de não serem muito rápidos são adequados e facilmente se entra na onda. Consegue manter o nível do original e elevá-lo um pouco mais, com mais níveis, mais inimigos e três dificuldades para agradar a todos. A dificuldade, essa, pouco varia mas em Hard os inimigos são em maior quantidade, um nadinha mais lixados e os bosses têm ataques extra. Cuidadinho com eles para não perderem irmãos desnecessariamente. Claro que se isso acontecer sempre os podem resgatar num mini-jogo que ocorre entre níveis. Se não os perderem, o mini-jogo resume-se a apanhar pizzas dentro do tempo limite para maximizarem a vossa pontuação.

Se gostam das Tartarugas Ninja, este jogo é obrigatório. Se não gostam, pelo menos deviam tê-lo jogado na altura, agora talvez vos recomende o excelente Turtles in Time que consegue ser melhor do que muita coisa que se faz actualmente dentro do género. E claro, é um JOGALHÃO DE FORÇA! Tem tudo o que a malta gosta.

Até breve pessoas. :)

MURRALHÕES DE FORÇA:
 

Sem comentários:

Enviar um comentário