10 de janeiro de 2011

Onimusha - Warlords

Platinum, foi o que se arranjou.
Desenvolvido por: Capcom
Publicado por: Capcom
Director: Jun Takeuchi
Produtor: Keiji Inafune
Argumentista(s): Noboru Sugimura, Hirohisa Soda, Shin Yoshida, Naoyuki Sakai
Compositor: Mamoru Samuragoch
Plataforma(s): PlayStation 2, Xbox e PC
Lançamento: 25-01-2001 (JP), 13-03-2001 (EUA), 06-07-2001 (EU)
Genéro(s): Acção, Aventura, Slash 'em up
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (420KB no mínimo), Compatível com função de vibração
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o pelo menos 3 vezes, desbloqueando tudo o que havia para desbloquear.

(Domingo é dia de descanso mas à Segunda faz-se alguma coisa, quanto muito não seja uma publicação aqui no nosso sítio.)

Muito prateado tem isto.
Samurais. Leiais, devotos ao seu amo e honrados até ao final dos seus dias. E claro, têm espadas, brilhantes e bonitas, nunca hesitando em cortar seja o que for que se ponha no seu caminho. Será que existe uma razão melhor para gostar deles? Acho que não. Onimusha - Warlords tem samurais, ou pelo menos, tem um. Tem demónios, ninjas e muito mais. No fundo tem o que o pessoal gosta, acção. Este jogo em concreto, aterrou na minha colecção em 2002, sendo que não me lembro como. Acho que fui eu que o comprei na Fnac da Baixa Chiado mas não tenho bem a certeza. Amnésia? Não creio mas a minha memória nem sempre toma nota destas coisas.


Manual, DVD feio e papelito.
Onimusha - Warlords é um jogo com uma história curiosa, ou interessante, se preferirem. De inicio era para ter sido lançado na PlayStation, até porque 50% do jogo já estava feito mas depois esse projecto foi lançado às urtigas e visto que a PS2 estava aí, lá o lançaram nesta nova plataforma. E o resultado não podia ter sido melhor. O argumento é típico deste género de coisas, Akechi Samanosuke é um samurai que tem por missão salvar a Princesa Yuki do clã Saitou e consequentemente derrotar o senhor da guerra, Oda Nobunaga, que ressuscitou graças a um pacto que fez com os Yokai (demónios, portanto). História tipicamente cliché mas que serve perfeitamente.

Vai que ela depois vai lá ter.
Quando foi lançado, Onimusha - Warlords causou grande impacto não só pelos seus visuais bonitos e luxuosos mas também pela personagem em si, que para muitos facilmente reconheceram o actor Takeshi Kaneshiro e não o Samanosuke. De facto o trabalho aqui feito é de alto nível. Por outro lado, aproveitou-se o facto de ser uma máquina mais potente do que aquela à qual estava destinado para dar vida ao ambiente, o que resultou numa experiência fantástica. Poderão pensar que é um Resident Evil com samurais mas de facto não é, ainda que se assemelhe ao já aqui exposto Ronin Blade, existem muitas diferenças que fazem deste jogo um "pai" dos Ninja Gaiden modernos.

Em termos de som, a banda sonora é excelente e perfeitamente adaptada aos diversos ambientes pelos quais fazemos a nossa passagem. No que toca a efeitos e afins, tudo funciona que é um mimo, desde a brisa ao entardecer (isto até soa demasiado poético mas é verdade), à água a correr nos riachos e lagos, até ao bater do metal das espadas e demais armas. O único defeito são os diálogos um bocado forçados e com situações por vezes ridículas, isto a meu ver, devido à porcaria da dobragem em Inglês. Quando hão-de perder a mania de dobrar as vozes e deixar as originais em Japonês com legendas? Nunca, a demanda continua...

Eu bem disse que ela ia lá ter.
A nível de jogabilidade penso que não podia ser melhor. O jogo corre a uns fabulosos 60 frames por segundo, dando uma velocidade incrível à acção. Por outro lado, todos os movimentos da nossa personagem, bem como, os das outras são fluidos e precisos não havendo solavancos de espécie alguma. E agora, perguntam-se, porque raio eu chamei "pai" dos Ninja Gaiden modernos a este jogo? É simples, começamos com uma espada, vamos apanhando outras armas sem serem somente espadas. Evoluímos essas armas. Usamos orbs que são deixadas pelos inimigos para o fazer e claro, podemos ainda usar armas secundárias e ainda ataques especiais com elementos como fogo, água, electricidade e gelo. Notam semelhanças? Nem é preciso dizer mais nada. Obviamente existem mais semelhanças ainda como alguns puzzles para passar certas áreas, o ambiente em si e até inimigos mas tal como disse, não é preciso dizer MESMO mais nada.

Bois com machados...
Onimusha - Warlords é um daqueles jogos que deviam jogar se gostam deste género onde as espadas são a arma do dia. Não é difícil, não é frustrante, tem as doses indicadas de acção e divertimento, que fazem de qualquer jogo, um bom jogo. E é assim que todos deveriam ser mas infelizmente não são. Hoje em dia não será certamente fácil de achar mas caso consigam não hesitem em "alimentar" a vossa PS2 com este JOGALHÃO DE FORÇA, pois ela irá agradecer. E vocês também depois de o terminarem! :)

Mais um jogo, de força, em breve.

MURRALHÕES DE FORÇA:
 

Sem comentários:

Enviar um comentário