11 de maio de 2011

Grand Theft Auto - San Andreas

Autocolante foleiro à frente...
Desenvolvido por: Rockstar North
Publicado por: Rockstar Games
Motor Gráfico: RenderWare
Plataforma(s): PlayStation 2, Xbox, PC, Mac
Lançamento: 26-10-2004 (EUA), 29-10-2004 (EU), 25-01-2007 (JP)
Género(s): Acção, Aventura, Sandbox
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (KB mínimo), Compatível com comando analógico: todos os botões, Compatível com Função de Vibração
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez mas foram muitas horas de jogo a fazer tudo o resto.

(Hoje foi dia de piscina!)

Em Português, quem diria.
Jogos controversos sempre existiram e não são novidade para ninguém. Desde muito cedo que se tentaram tornar os jogos mais sérios e mais adultos, recorrendo a temas considerados tabu por muitos ou simplesmente que não eram vistos com bons olhos. Isto já vem desde o tempo do Spectrum, passando depois para as consolas, onde diversos títulos foram severamente modificados, sobretudo nas consolas Nintendo por tocarem em temas considerados proibidos e que denegriam a imagem da empresa por correrem nas suas consolas. Mas os tempos evoluíram e este tipo de jogos pôde finalmente ver a luz do dia em todo o seu esplendor, provocando todo o tipo de reacções nas pessoas, boas e más, diga-se mas também sendo alvo de ataques conservadores por incitarem a todo o tipo de violência. Pessoalmente acho isto uma idiotice pegada pois joguei todo o género de jogos violentos e não me tornei num serial killer nem nada do estilo, logo são argumentos sem fundamento. Uma pessoa bem formada sabe separar as águas. Mas para não me alargar muito no tema, visto dar para escrever muito, o jogo de hoje faz parte do catálogo controverso e foi-me oferecido por um familiar próximo, provavelmente mãe ou irmã, não me recordo ao certo.


Manual, mapa e DVD.
Grand Theft Auto - San Andreas é o terceiro título desta série a aterrar na PlayStation 2, trazendo tudo aquilo que os anteriores tinham de bom mas numa quantidade industrial, perdoem-me a expressão. Se GTA III e GTA Vice City eram grandes, este é colossal pois não são uma, nem duas cidades mas sim três! Fora o meio rural circundante. Mas já lá vamos, primeiro temos de ter um pouco de background. Após ter vivido durante cinco anos em Liberty City, Carl "CJ" Johnson regressa a Los Santos em 1992 para o funeral da sua mãe. Mas como um mal nunca vem só, dá de caras com dois velhos conhecidos, os agentes Frank Tenpenny e Eddie Pulaski, com quem já teve uns contratempos no passado. Sem grande surpresa, os dois agentes acusam-no de ter morto um dos seus colegas e depois de um passeio de carro deixam-no num bairro de um gang rival. Após regressar ao seu território, CJ é confrontado pelo seu irmão Sean "Sweet" Johnson, que o acusa da morte da mãe e de outro irmão comum. Sem grande volta a dar, CJ começa por tentar reconquistar a confiança do irmão e vai procurar vingar-se dos dois polícias que mais uma vez lhe complicaram a vida.

CJ sobrevoa a cidade.
Não se afastando muito dos títulos anteriores, San Andreas apresenta-se com um visual cuidado, não primando pela qualidade visual mas atentando especialmente nos detalhes e nos pequenos pormenores que compõem uma cidade. Mas neste jogo temos três, cada qual com o seu ambiente e que tentam recriar Los Angeles (Los Santos), San Fierro (San Francisco) e Las Venturas (Las Vegas) da melhor forma possível. De facto, neste campo a missão foi cumprida com êxito pois cada cidade tem a sua individualidade, destacando-se umas das outras por diversos motivos. Como se não bastasse, a área circundante é preenchida por uma enorme parte rural onde existem pequenas cidades, relembrando as pequenas povoações que vemos nos filmes americanos, lá metidas no meio das montanhas ou do deserto. Ainda que não seja um deleite visual é um jogo bastante sólido neste campo, com excelentes animações no que concerne às personagens e uns modelos tridimensionais bem conseguidos. Com tanto objecto no ecrã, é impressionante o trabalho que se conseguiu alcançar pois tudo corre a uma velocidade mais do que aceitável. Os veículos também são facilmente reconhecidos visto serem baseados em modelos reais e estando o mais detalhados possível.

Mas também gosta de jogging pelas ruas.
A parte sonora da série GTA é conhecida pela sua ampla selecção musical que se divide em diversos estilos, tentando conquistar todos os gostos, algo que sem dúvida consegue. Imensos artistas e grupos conhecidos fazem parte das diversas rádios que emitem directamente das três cidades, não só com música mas também programas pelo meio onde diversos debates têm lugar dando azo às discussões mais caricatas e cómicas entre os intervenientes. Para acompanhar este ponto, o voice-acting de San Andreas é excelente, com imenso diálogo entre as personagens, pois estas são mais do que muitas e com algumas vozes conhecidas como a de Samuel L. Jackson que conferem um toque especial à coisa. Ainda assim, a utilização da voz não se fica só pelos diálogos pois CJ está constantemente a falar, reagindo assim a diversos acontecimentos seja durante um passeio calmo pelas ruas de uma cidade, como num confronto contra um gang rival. Diria que neste campo, GTA é impecável.

Apesar de ser outro título na série, San Andreas não modificou muito a jogabilidade que cativou os jogadores nos títulos que o antecederam. A maioria dos movimentos básicos continuam todos na mesma bem como o sistema de missões (e este tem imensas) mas como não poderia deixar de ser, novidades foram introduzidas em catadupa. E por onde começar a não ser pela nossa própria personagem? CJ parece uma personagem de The Sims, pois pode engordar, emagrecer, treinar nos ginásios e outros locais onde aprende alguns estilos de luta, bem como evoluir as suas capacidades sociais e motoras como individuo. Isto quer dizer que, para conduzirmos, seja que veiculo for (desde bicicletas, motas, carros, barcos, aviões e helicópteros), temos de ter a licença adequada. Como se não bastasse, para cada tipo de veículo CJ vai evoluindo a sua aptidão como condutor. O mesmo se aplica ao uso de armas, nomeadamente armas de fogo, que com a utilização lhe permitem ter mais pontaria e até correr enquanto dispara. Por outro lado, o aspecto físico tem influência nas suas relações amorosas, que são cruciais no decorrer de certos eventos. No fundo tentou-se tornar o jogo mais RPG neste campo, algo que a meu ver resultou bem mas não agradou a todos.

Mas acima de tudo adora semear o terror!
Ainda no campo das novidades, CJ pode conduzir assaltos a residências, envolver-se em guerras contra gangues rivais para tomar posse do território e ainda modificar carros para as imensas corridas espalhadas pelas três cidades. Se pretenderem uma abordagem mais calma, podemos visitar as namoradas de CJ, aumentando assim o nível da relação, ou simplesmente jogar os diversos mini-jogos que se encontram um pouco por todo o lado que vão desde basketball, snooker, a grandes apostas nos casinos de Las Venturas, no Black Jack ou em qualquer outro jogo que por lá encontram.

Uma das grandes controvérsias que este jogo gerou deveu-se a uma modificação intitulada "Hot Coffee" onde CJ pode envolver-se fisicamente com as suas conquistas, isto para ser politicamente correcto. No entanto isto não era algo acessível aos jogadores, a não ser que instalassem o mod, pelo que a versão de PC era a escolhida neste campo. Obviamente isto gerou muito burburinho o que levou a Rockstar a retirar todo este conteúdo não utilizado oficialmente nas versões mais recentes do jogo, quer no PC, quer nas consolas. Isto chegou mesmo a ir para tribunal e após resolverem o caso, os próprios consumidores podiam trocar os seus exemplares AO (Adults Only), pelas versões revistas e classificadas como M (Mature). Só histórias... :)

Para terminar só me resta dizer que Gran Theft Auto - San Andreas é um excelente jogo caso gostem de andar a fazer patifarias para desanuviar um bocadinho da realidade ou caso estejam fartos de serem sempre os bonzinhos nos jogos. É um jogo grande, com muitas horas pela frente seja a fazer o que for. Como tal, é um JOGALHÃO DE FORÇA!

Corridas e carros, com fartura, amanhã! :)

MURRALHÕES DE FORÇA:
 

1 comentário:

  1. Esse jogo é maravilhoso,não sei como os produtores conseguiram colocar tudo isso em um DVD(4.7gb)

    ResponderEliminar