1 de maio de 2011

NBA Jam Tournament Edition

A bola é gira.
Desenvolvido por: Midway
Publicado por: Acclaim
Plataforma(s): Super Nintendo, Mega Drive, 32X, Game Boy, Game Gear, Sega Saturn, PlayStation, Atari Jaguar, Arcade
Lançamento: Algures em 1994 (EUA, EU)
Género(s): Desporto, Basketball
Modos de jogo: Modo Torneio e Vs. para um ou dois jogadores
Media: Cartucho de 24-megabit
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartucho
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o duas vezes, muitos confrontos a dois.

(Tempinho de treta para não adjectivá-lo de maneira ainda pior.)

Boom-shaka-laka! Provavelmente já ouviram esta onomatopeia alguma vez na vida mas não fazem ideia do que realmente significa. Ainda que saiba que era uma expressão muito comum no basketball durante os anos 90, também não sabia ao certo o que queria dizer mas após uma pequena pesquisa, o "boom" traduz-se no afundanço em si e o "shaka laka" no som que a bola faz no aro do cesto e posteriormente na rede. Sem dúvida, todos os dias aprendemos coisas novas, ainda que muitas das vezes nem sequer damos conta disso. Mas esta conversa toda serve apenas para apresentar o jogo de hoje, que como já devem suspeitar é de basketball e famoso por isso. Este exemplar, é daqueles que chegou até à minha colecção por motivos que me são alheios. Por sorte, está completo e em óptimo estado.


Mais um autocolante, ainda por cima torto!
Sem grandes rodeios, NBA Jam Tournament Edition é um simples jogo de basketball que não passa de um port de arcada, muito na onda de Arch Rivals e Street Hoopz. É um excelente port, no entanto. Tornou-se famoso por se afastar das regras convencionais do basketball e aposta em algo mais simplista e até um bocado agressivo, onde as equipas são compostas por apenas dois elementos, como se se tratasse de um jogo de rua, onde as únicas regras que permanecem são goaltending e as dos 24 segundos. De resto vale tudo para ganhar. Contudo não foi apenas isto que o tornou famoso e único mas também uma certa dose de ficção que permite aos jogadores fazer afundanços e jogadas impossíveis na vida real, criando assim um espectáculo sem precedentes. Sim, NBA Jam é isto lá bem no fundo.

Manual, papelada e cartucho.
E o que esperar de NBA Jam na parte visual? Algo bastante agradável aos olhos, onde a acção se resume aos courts, com um bom nível de detalhe e pormenores a condizer. Na parte que mexe, ou seja, jogadores, bola e afins, contamos com sprites com um tamanho razoável e que facilmente distinguimos com sendo jogadores famosos daquela época, mexendo-se com uma excelente fluidez e dotados de óptimas animações. A Midway voltou a apostar na digitalização do grafismo conferindo-lhe um aspecto mais realista, algo que já tínhamos visto em Mortal Kombat, a título de exemplo.

Este até vai doer.
A parte sonora conta com pouca música, algo que a meu ver não tem grande impacto num jogo deste tipo, visto o único sítio apropriado para ter uma faixa a tocar são mesmo os menus. É o que acontece neste jogo. Durante a acção, o que importa é mesmo o som do jogo e esse cumpre a sua função a 100%, com bons efeitos sonoros e um comentador de serviço, sempre pronto a mandar umas jardas sempre que ocorre uma jogada do outro mundo ou um daqueles lançamentos milagrosos. Tende a repetir-se um pouco mas não é de estranhar dada a capacidade do cartucho. No entanto as vozes são crystal clear e nada melhor do que um bom comentário para incentivar a malta.

He's on fire!
A jogabilidade em NBA Jam, para a quantificar num só adjectivo diria que é viciante. Quando se começa a jogar, em especial a dois é difícil pousar o comando pois de tão simples que é, perde-se noção das horas. Basicamente resume-se a correr, lançar e com frequência tentar tomar posse e bola sendo para isso necessário por vezes agredir o adversário. Não havendo faltas, não há nada a temer e vale mesmo tudo para controlar o jogo. Esta Tournament Edition é uma espécie de actualização da primeira versão onde contamos com o roster de 1994, com novas duplas de jogadores, ainda que as equipas sejam compostas por três (cinco, para a equipa de rookies do draft de 1994 da NBA). A razão disto é porque esta versão também introduz níveis de fatiga o que obriga a gerir bem o tempo em campo. Por outro lado existe também um modo Tournament que desliga as ajudas do computador bem como hotspots em campo, que nos permitem certos afundanços especiais e lançamentos garantidos.

Mais um desafio às leis da física.
Tal como o anterior, inclui equipas secretas com personagens tais como Bill Clinton, mascotes de algumas equipas, outras celebridades e até programadores. Easter Eggs é coisa que não falta neste jogo bem como curiosidades e rumores. Alguns deles passam pela inclusão de personagens de Mortal Kombat, ainda que não estejam presentes em todas as versões do jogo, devido à controvérsia que MK criou e a NBA não querer confusões. As equipas variam de versão para versão e de consola para consola, por diversos motivos, sendo o principal questões legais e de licenciamento do nome de certos jogadores. Não é de admirar não vermos Michael Jordan. Referente ao jogo original, Dražen Petrović tinha sido incluído na versão de arcada mas visto ter falecido entre a conversão para consolas, foi excluído. Contudo há relatos deste "assombrar" o jogo pois o comentador em certas alturas diz o seu nome. Creepy stuff, mas sem dúvida divertido. E só assim para terminar esta parte de curiosidades, Mark Turmell, criador de NBA Jam e assumido fã dos Detroit Pistons afirmou publicamente que o código de jogo inclui uma linha para que num jogo Pistons X Bulls, este últimos não tenham vantagem nos lançamentos, mesmo no final do jogo. Eu sempre desconfiei que há jogos que fazem batota...

Divertido, frenético e altamente viciante, NBA Jam Tournament Edition tem tudo o que é preciso num jogo de desporto. Sem complicações nem compromissos é sem dúvida um JOGALHÃO DE FORÇA!

Espadas e pancadaria na N64, amanhã e aqui. :)

MURRALHÕES DE FORÇA:
 

Sem comentários:

Enviar um comentário