14 de fevereiro de 2019

Fighters Destiny

Não é das melhores covers de sempre...
Desenvolvido por: Genki
Publicado por: Ocean Software (EUA), Infogrames (EU), Imagineer (JP)
Plataforma: Nintendo 64
Lançamento: 31-01-1998 (EUA), 01-03-1998 (EU), 11-12-1998 (JP)
Género: 3D Fighting
Modos de jogo: Diversos modos para um ou dois jogadores
Media: Cartucho de 96-megabit
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Pak, Compatível com Rumble Pak.
Outros nomes: Fighting Cup (JP)
Estado: Completo.
Condição: Aceitável, a caixa e o manual sofreram com os anos
Viciómetro: Acabei-o diversas vezes, tendo desbloqueado tudo.

(Fun fact: "Socorram-me em Marrocos" escrito ao contrário é exactamente a mesma coisa.)

Tudo em espanhol.
Cada jogo que entra na colecção podia ter uma história mas nem sempre isso acontece. Simplesmente compramos o dito quando sai ou numa promo mais tarde e é isso. Vai para a estante ou para o armário até ser jogado. Mas outros têm histórias para serem contadas. O jogo que apresento aqui hoje faz parte desse clube. Comecei por adquiri-lo algures em 1998 pouco depois de ter saído, tendo em conta o que via e lia nas revistas das especialidade. O hype era elevado e rapidamente quis meter as mãos nele pelo que falei com o meu contacto na Concentra que prontamente me arranjou o jogo, coisa que na altura me custou o equivalente a 50€. Um bom negócio considerando os preços da época. Joguei até à exaustão e meti na cabeça que deixei de gostar do jogo, sabe-se lá porquê, numa daquelas diarreias mentais que por vezes ocorrem. Um amigo meu queria o jogo e vendi-o ao mesmo preço não tendo tido prejuízo. Anos mais tarde vi que tinha feito borrada pois sempre adorei aquele jogo mas agora não havia volta a dar. Porém, algures no final do ano de 2017, o jogo voltou a surgir-me no caminho, e ainda que este exemplar não esteja na condição impecável que o meu original estava, não podia fazer vista grossa. Levei-o para casa e dei-lhe um bom lar ao pé dos outros todos. Foi adquirido no local do costume, a Play N' Play, por 19.95€.


Manual, papelada e cartucho.
Fighters Destiny é dos poucos jogos de luta da N64 que vale realmente a pena ter na colecção pois a oferta não foi muita mas a qualidade também não. Se tiver de fazer um top3 do género penso que os que tenho, Mace - The Dark Age e Killer Instinct Gold, juntamente com Fighter's Destiny são os únicos que merecem atenção. Este jogo surgiu numa altura em que o género estava ao rubro e jogos como Tekken e Virtua Fighter faziam inveja a todos os utilizadores da N64, que não tinham muito por onde escolher e o que havia não era assim tão bom. Como todos os bons jogos de luta, a história gira em redor de um torneio onde os melhores de todo o mundo se juntam para escaramuças a ver quem é o supremo lutador. Mas embora isto seja tudo normal neste género, Fighters Destiny elevou a fasquia e destacou-se de todos os outros jogos de luta. E ainda hoje não há nada que seja minimamente parecido, o que só por si é de estranhar.

Há sempre um ninja!
Graficamente não estamos perante uma demonstração de poder mas o que se pode ver em movimento não é mau de todo. As personagens têm o seu q.b. de detalhe e boas animações, considerando que são todas muito distintas umas das outras e com variados estilos de luta.  Temos desde as mais ágeis e magrinhas às mais massudas e até gorduchas. Até uma vaca temos, imagine-se! Os cenários são um bocado para o aborrecido em termos visuais, com temas alusivos a cada um dos lutadores mas contam com uma palete de cores decente e alguns efeitos visuais interessantes. A acção é bastante sólida com uma frame rate estável ainda que haja um bocadinho de slowdown ocasionalmente em certas partes. Gostei bastante do design do UI no geral e que também é usado durante os combates.

Não, esta não liga ao Solid Snake.
Embora não seja um dos pontos fortes de Fighters Destiny, a música enquadra-se bem na acção com diversos temas sem que nenhum seja particularmente memorável. O que realmente nos fica na memória é o facto do jogo ter um announcer que constantemente vai comentando os combates, de acordo com os nossos movimentos para além de ter a função de anunciar os mesmos. Pode tornar-se repetitivo para alguns mas confesso que gosto disto e torna a acção bem dinâmica e diferente de todos os outros jogos. Cada lutador tem também imensos efeitos sonoros, desde gritos a grunhidos, alguns bem cómicos e o som no geral funciona muito bem, com alguns efeitos interessantes em certos cenários que são interiores e fazem eco.

Desta talvez não escapes.
Onde Fighters Destiny se distingue de todos os jogos de luta é na sua mecânica. A base é a mesma que em outros jogos de luta onde temos dois lutadores, barras de vida, tempo e afins mas as coisas não se processam exactamente da mesma forma. Em vez de termos de derrotar o oponente ao infligir dano, aqui temos um sistema de pontuação por estrelas. O objectivo é conseguirmos o número de estrelas necessário para passar ao próximo combate. Para tal podemos usar uma panóplia diversa de ataques com diferentes resultados e que nos atribuem diferentes números de estrelas. À nossa disposição temos murros, pontapés, grapples, ataques knockdown e specials, que utilizamos estrategicamente para conseguirmos a vitória. Um ataque knockdown vale 3 estrelas, um special vale 4, um throwdown vale 2, um counter vale 3, um ringout vale 1 e se for o juiz a decidir após o tempo acabar vale 1. Isto torna Fighter's Destiny num jogo altamente metódico e divertido.

Os specials são sempre fixes.
Obviamente podemos abordar as coisas de diferentes maneiras. Ao conseguirmos tirar a barra de vida ao adversário, este fica em Piyori condition, ou seja, a ver estrelas, tonto e aqui podemos tentar usar um special para maior pontuação. Nesta condição também é impossível sair dos grapples ou contra atacar os mesmos, algo que normalmente é quase sempre possível, pois aparece uma barra de tempo para nos indicar tal. Mas mesmo nesta condição é possível esquivar ataques normais e até recuperar vida, o que por vezes origina reviravoltas mirabolantes. Algo que adoro é o ringue ser elevado, o que nos permite pendurar-nos na borda durante algum tempo e até puxar o adversário para fora se este não tiver atenção. E também nos permite muitas vezes evitar o ring out se estivermos na posição certa e formos atirados borda fora. As possibilidades neste jogo são imensas.

Temos sempre direito a isto.
Em termos de modos, temos o tradicional Arcade com o respectivo boss final um Vs. para batermos nos amigos, Training para aperfeiçoarmos as nossas skills, Record Attack e Master Challenge. Nestes modos vamos poder desbloquear os cinco lutadores secretos onde temos Boro (o boss do Arcade Mode), Robert (o robot do Training Mode), Master (o mestre do Master Challenge), Ushi e Joker. Estes dois últimos são provavelmente os mais difíceis de desbloquear pois Ushi, literalmente a vaca, aparece no Rodeo Mode e temos de aguentar 1 minuto sem sermos derrotados para a conseguirmos desbloquear. Parece fácil mas não é. Já Joker só desbloqueia se derrotarmos 100 adversários no Survival Mode. O Master Challenge Mode oferece ainda a possibilidade de conseguirmos novos movimentos e assim podermos personalizar a nossa personagem, podendo esta ser guardada no Memory Pak e usada nos outros modos de jogo.

Muuuuu!
Fighters Destiny é sem dúvida um excelente jogo de luta na N64 e também um dos mais surpreendentes dentro do género para a sua época. Teve direito a uma sequela que não saiu na Europa mas este original há-de ter sempre o seu lugar de destaque pela inovação que trouxe. Assim sendo, é sem dúvida alguma um JOGALHÃO DE FORÇA!

Próximo jogo: gladiadores e sangue na PS2.

MURRALHÕES DE FORÇA: 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário