28 de fevereiro de 2019

Ever Oasis

A cover art é apelativa.
Desenvolvido por: Grezzo
Publicado por: Nintendo
Director: Koichi Ishii
Produtor(es): Koichi Ishii, Toyokazu Nonaka, Toshiharu Izuno
Designer(s): Hiroyuki Kuwata, Kyouji Koizumi, Junichi Shinomiya
Artista(s): Yoshinori Shizuma, Yuichiro Takao
Argumentista(s): Katsumi Kuga, Shuntaro Tahara, Momoka Iseki, Shino Nakamura
Compositor: Sebastian Schwartz
Plataforma: Nintendo 3DS
Lançamento: 23-05-2017 (EU/EUA), 13-07-2017 (JP)
Género(s): Acção, Aventura, Role Playing Game
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Funcionalidades: Compatível com o modo 3D
Media: Cartão de jogo
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez com cerca de 40 horas de jogo mas ainda estou a fazer algumas side quests que aparecem depois do final.

(A partir de agora o ritmo vai abrandar pois tenho a lista de jogos físicos em dia. Resta-me pegar nos que faltam jogar, analisar alguns digitais e até da NES/SNES Mini)

Estes raramente têm autocolantes.
A Nintendo 3DS pode estar no seu final de vida mas o seu catálogo de jogos é deveras um dos mais consistentes em termos de qualidade e onde actualmente se encontram imensos RPGs nas suas mais diversas variantes. Grande parte dos jogos mais recentes foram quase todos dentro deste género o que prova que a consola é óptima não só por ser portátil mas também por oferecer um leque variado dentro do género. E se explorarmos bem as coisas, encontramos algumas surpresas como foi o caso do jogo que apresento aqui hoje. Este exemplar foi adquirido algures em Janeiro de 2019, na Toys 'R Us do Almada Fórum, por 20€.


Papelada e cartão de jogo.
Ever Oasis é um jogo que desde cedo me chamou à atenção pelo seu estilo visual e também pelo simples facto de ter tido direito a uma demo, o que me levou a experimentar o mesmo e a ter ficado deveras surpreendido com o bastante que joguei. Sim, a demo tem bastante conteúdo, à semelhança de outras na 3DS. A história gira em torno de Tethu (ou Tethi se decidirem escolher o sexo feminino), um jovem Seedling que vive juntamente com o seu irmão num pequeno oásis. Certo dia, este é atacado pelo Caos e Tethu é forçado a fugir, para conseguir sobreviver acabando por encontrar Esna, um Water Spirit. Ambos decidem então criar um novo oásis para albergar quem lá queira viver e assim conseguirem combater o Caos e saber o destino do irmão de Tethu.

Muita areia vamos ver.
Em termos visuais, Ever Oasis opta por um estilo chibi onde as personagens são todas pequeninas e com um aspecto bastante engraçado o que lhe confere um estilo muito característico e agradável. O grafismo é muito bom com imensos locais a explorar e cada qual com o seu look distinto, onde podemos explorar o deserto, grutas e até um floresta, e apreciar assim pequenos detalhes e pormenores visíveis por todo o lado. As animações das personagens e inimigos são também bastante competentes e fluídas onde tudo mantém uma performance decente e sem problemas técnicos nenhuns. Alguns inimigos têm também dimensões consideráveis, sobretudo os bosses como era de esperar. O jogo apresenta ainda uma palete de cores bastante agradável, fruto também do ciclo dia/noite que podemos constatar ao longo do mesmo. O efeito 3D porém não é das melhores coisas que me lembro de ter visto com pouca profundidade e sem nada que justifique apreciar o mesmo por muito tempo.

A música em Ever Oasis é algo que apreciei imenso pois os temas são bastante catchy e variados consoante os locais onde se podem ouvir, invocando outros jogos do género mais antigos. E há bastantes faixas para ouvir embora algumas sejam mais recorrentes do que outras, sobretudo as do oásis que vamos ouvir vezes sem conta. Os efeitos sonoros são no geral bastante bons, com imensa variedade e sem se tornarem aborrecidos ou repetitivos.

Estes besouros são chatinhos.
A mecânica de Ever Oasis é bastante única no seu todo mas vai buscar elementos a outros jogos do género como por exeplo The Legend of Zelda mas mais ainda a jogos da série Mana. Isto deve-se em grande parte ao facto de Koichi Ishii ser o homem a tomar as rédeas deste jogo e é algo que se nota desde logo. O ambiente do jogo é muito evocativo dessa saga, onde para além dos Seedlings temos ainda outras raças como os Drauk, os Serkah e os Lagora, cada qual com os seus atributos e habilidades em combate. A nossa equipa é sempre composta por três elementos, como em Secret of Mana, onde podemos sempre escolher quem nos acompanha mas Tethu está sempre na equipa. O combate é em tempo real, onde podemos usar habilidades específicas de cada personagem, atacar e fazer dodge de ataques inimigos, sendo que o XP acumulado serve para evoluirmos as personagens sempre que voltemos ao oásis. E podemos ainda controlar qualquer personagem bem como utilizar o lock-on para termos os inimigos debaixo de olho e a nossa equipa atacar esse inimigo específico.

Há guita para recolher!
A exploração tem um misto de Zelda com Mana, onde as dungeons estão apinhadas de inimigos, itens e puzzles a resolver, com os devidos bosses no final de cada uma. Derrotar inimigos também nos recompensa com itens diversos que depois servem para diferentes propósitos. Estes prendem-se sobretudo com o oásis, que podemos ir também evoluindo, ao receber novos residentes, sendo que cada um deles tem side quests para fazermos e assim os convencermos a ficar. Os Seedlings são os únicos que podem depois ter os seus negócios sob a forma de lojas, que por si só também evoluem ao venderem artigos. Estes dependem de nós pois somos a sua única fonte de material embora a dada altura possamos enviar equipas com personagens que não estejam a ser usadas para zonas específicas do mundo, para recolher itens seja a explorar ou a combater. Alguns residentes só aparecem segundo condições específicas como por exemplo ter uma determinada loja, ou dar um festival com um tema específico dos vários que existem. Tudo isto se vai processando a bom passo e de forma a podermos aprender as sub-mecânicas por detrás dos mesmos.

Vamos conversar muito com todos.
Podemos também expandir o oásis à medida que atingimos determinadas metas, bem como sintetizar itens diversos, armas e equipamento se tivermos os materiais e dewadems (o dinheiro neste jogo) necessários. O dinheiro consegue-se com os negócios e algumas side quests e serve também para manter esta economia. Ainda existe um jardim onde podemos plantar ou ter Seedlings a plantar sementes, que compramos a mercadores que andam pelo jogo dentro dos settlements das outras raças e assim ter materiais extra. Isto é quase como ter um jogo dentro de outro jogo pois aqui temos a vertente estratégica e de simulação enquanto em combate temos a vertente RPG. É de notar que todos os habitantes evoluem, seja a combater ou a trabalhar nas suas lojas, até ao nível 30 que é o máximo, desbloqueando assim novas habilidades de combate e exploração bem como subindo os seus atributos. Apenas os Seedlings podem equipar armas e indumentárias, sendo que as outras raças não dão para mexer nesses parâmetros, o que achei um pouco estranho. As indumentárias infelizmente são apenas cosméticas embora por vezes dêem a entender que fazem algo.

They see me rollin'... ok, já percebemos.
Para além das diversas dungeons que temos para desbravar existem ainda três labirintos em locais distintos, que podem ser acedidos com umas placas que vamos apanhando ao longo do jogo e existem em três variantes: bronze, prata e ouro. Estas podem ser combinadas ao nosso gosto e ditam o nível e tipo de inimigos (sendo que alguns deles são também exclusivos destas zonas) que podemos encontrar dentro desses labirintos que são gerados aleatoriamente e incluem materiais exclusivos que não se encontram em mais lado nenhum do jogo e permitem aceder às melhores armas e equipamentos. A dificuldade aqui é também elevada se usarem por exemplo três placas de ouro pelo que convém ter uma equipa evoluída e trazer personagens que inflijam mais dano em certos tipos de inimigos pois cada raça tem esse atributo incorporado.

De noite, os inimigos são mais fortes.
Ever Oasis é sem dúvida um excelente jogo dentro do género e uma hidden gem no catálogo da 3DS que sugiro que joguem se forem fãs deste tipo de jogos. A sua mecânica é tão aprofundada que vão querer tentar fazer tudo e explorar tudo, mesmo depois de terem concluído a história pois certas coisas só aparecem após isso. E com isto temos aqui mais um JOGALHÃO DE FORÇA!

Próximo jogo: ...bom, ainda não sei, logo se vê se não será algo na NES Mini.



MURRALHÕES DE FORÇA: 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário