27 de dezembro de 2012

Assassin's Creed - Bloodlines


Capa simples e eficaz.
Desenvolvido por: Ubisoft Montreal, Griptonite Games
Plataforma: PlayStation Portable
Lançamento: 17-11-2009 (EUA), 20-11-2009 (EU), 23-12-2009 (JP)
Género: Acção, Aventura, Open World, Stealth
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Universal Media Disc (1.5GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Stick (576KB mínimo), Conectividade com Assassin's Creed II na PS3
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez a 100%.


(Esta é a última análise de 2012!)

Atrás, same thing.
Já todos conhecemos a saga Assassin's Creed que há bem pouco tempo começou (2007 portanto) e já se espalhou por toda a parte, desde a PS3/Xbox360, PC, passando pelas portáteis e até mesmo telemóveis e tablets, não dispensando um ou outro livro baseado nisto tudo e também algumas short stories sob a forma de curtas metragens ou animação. Isto é o mesmo que dizer que só não conhece Assassin's Creed quem não quer ou não se interessa por videojogos. Este meu exemplar foi adquirido algures em Outubro, na Fnac do Almada Fórum e custou 7 euros. Na GAME era o mesmo preço mas usado... go figure.

19 de dezembro de 2012

Sorcery


Já vi capas melhores.
Desenvolvido por: The Workshop, SCE Santa Monica Studio
Publicado por: Sony Computer Entertainment
Motor gráfico: Unreal Engine 3 
Plataforma: PlayStation 3
Lançamento: 22-05-2012 (EUA), 23-05-2012 (EU), 14-06-2012 (JP) 
Género: Acção, Aventura 
Modos de jogo: Modo história para um jogador 
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB) 
Funcionalidades: Instalação no disco rígido (1.9GB), Gravação de progresso no disco rígido, Necessário Comando PlayStation Move e Navigation Controller/DualShock3, Compatível com Função de Vibração, HD 720p
Estado: Completo 
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o duas vezes e chega pois já está platinado.

(Mais uma vez deixo o apelo, Verão volta!)

Está nas mãos e não só!
Com o advento da Nintendo Wii, os motion controls ganharam um espaço muito importante neste mundo dos videojogos tal como o conhecemos. Alguns conseguiram verdadeiras proezas, outros verdadeiros desastres mas o facto é que vieram para ficar. Pessoalmente, prefiro o método tradicional sem grandes movimentações a não ser quando me exalto e desato a disparatar com a televisão, com o comando e até comigo mesmo. No entanto, já vários jogos com motion controls me passaram pelas mãos e alguns deles mudaram ligeiramente a minha opinião sobre esta matéria. O exemplar que trago até aqui hoje, embora não tenha sido um deles, serve muito bem para ilustrar este quadro. Chegou até à minha colecção porque vinha no bundle da PS3 que adquiri depois da minha quarta consola phat ter morrido. Foi mais para ter um comando Move extra e um Navigation Controller, coisas que dão sempre jeito para rail shooters a dois.

8 de dezembro de 2012

Gungrave Overdose


A capa do primeiro era melhor.
Desenvolvido por: Ikusabune Co., Ltd.
Publicado por: Red Entertainment (JP), Mastiff (EUA), Play It (EU)
Designer: Yasuhiro Nightow
Plataforma: PlayStation 2
Lançamento: 04-03-2044 (JP), 15-09-2004 (EUA), 07-10-2005 (EU)
Género: Third Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (79KB mínimo), Compatível com controlo analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração
Estado: Completo
Condição: Razoável, o suporte do DVD está ligeiramente partido, algumas marcas de uso
Viciómetro: Acabei-o uma vez e o masoquismo ficou-se por aí.

(Verão volta, estás perdoado!)

Em Franciú.
Corria o longínquo ano de 2003, quando me aterrou nas mãos um jogo que dava pelo nome de Gungrave. Traduzindo, um festim de tiros e destruição, ao longo de seis níveis onde o objectivo era somente vingança. Ora, mais do que suficiente para me convencer e preencher aquelas alturas onde não me apetece muito dar uso aos neurónios para resolver charadas ou seguir tramas densas e complexas. Após a experiência, queria mais e melhor, algo que para minha surpresa foi anunciado em 2004 mas só em 2005 viria a ser publicado na Europa. Deixei o tempo passar, fui jogando outras coisas, vi a série de animação japonesa que antecedia aos eventos do primeiro jogo e só agora em 2012 é que calhou a sequela do original chegar até mim. Um exemplar usado, pois novo é difícil encontrar, sobretudo a um preço decente, com a caixa e manual em Francês e oriundo do eBay pela quantia de 15 euros. Não foi o melhor negócio do mundo mas pouco ou nada interessa.

4 de dezembro de 2012

Yakuza - Dead Souls


Nice artwork!
Desenvolvido por: Sega 
Publicado por: Sega
Produtor: Toshihiro Nagoshi
Plataforma: PlayStation 3
Lançamento: 09-06-2011 (JP), 13-03-2012 (EUA), 16-03-2012 (EU)
Género(s): Acção, Aventura
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Blu-Ray
Funcionalidades: Instalação obrigatória no disco rígido (5GB), Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com função de vibração do DualShock3, HD 720p, 1080i, 1080p, Funcionalidades de rede
Outros nomes: 龍が如く OF THE END  ou algo como "Like a Dragon Of the End" (JP)
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o uma vez em Normal, com cerca de 50 e muitas horas de jogos e maioria das coisas feitas, o que inclui side quests, mini-jogos e afins.

(Frio e chuva, coisas que não combinam comigo.)

Está-lhes mesmo no sangue!
Há jogos que nos passam ao lado. Com a quantidade de oferta que temos hoje em dia, torna-se complicado jogar tudo aquilo que gostamos ou que nos possa parecer merecedor da nossa atenção. No meu caso, a saga Yakuza é uma das negligenciadas pois apesar de gostar do conceito nunca me agarrei a ela como deve ser. Isto até ao momento em que meteram lá zombies e aí a minha atenção voltou-se quase que de imediato para a mesma. É estranho mas é verdade, se tiver zombies eu vou investigar. E é assim que me iniciei nesta saga, descobrindo que os zombies são apenas a cobertura para algo com muito mais gosto lá bem no meio. O jogo em questão foi adquirido na Zavvi,, algures este Verão por cerca de 12 euros.

10 de novembro de 2012

Ninja Gaiden 3 [Collector's Edition]


As respectivas frentes.
Desenvolvido por: Team Ninja 
Publicado por: Tecmo Koei
Director: Fumihiko Yasuda, Yosuke Hayashi
Argumentista: Masato Kato
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360
Lançamento: 20-03-2012 (EUA), 22-03-2012 (EU/JP)
Género(s): Acção, Aventura, Hack 'n Slash
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Modo Multiplayer entre 2 a 8 jogadores
Media: Blu-Ray
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido (6MB), Compatível com função de vibração do DualShock3, HD 720p, Compatível com PlayStation Move, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o duas vezes, em Normal e Hard, algumas horas em Co-Op online.

(Qualquer erro ou irregularidade na escrita que detectem, é favor contactar para se proceder à correcção. Seja neste post ou em qualquer outro.)

E as respectivas traseiras.
Se neste momento fosse pequenino e me perguntassem o que queria ser a minha resposta era muito curta e simples: ninja! Depois do riso seguir-se-ia a pergunta seguinte: mas porquê? A resposta seria um pouco mais comprida mas simples na mesma: são rápidos, são ágeis, são fortes, são mortais e andam por todo o lado. Ah, além disso dão cabo de tudo o que se atravesse à sua frente, seja animal ou máquina. E também são fixes! Perante uma resposta destas, obviamente a pessoa em questão, poderia tentar extrair algo mais concreto e concretizável: então e agora a sério, já pensaste em ser advogado ou político? Ao ouvir isto, depois de me rir diria: claro que não, quero ser ninja para dar cabo desses gajos que são os verdadeiros maus! E com isto trago hoje aqui mais um jogo com ninjas, maus e essas coisas todas. Trata-se de uma Collector's Edition que alberga não só o jogo mas também duas estatuetas bastante detalhadas das personagens principais, com direito a um diorama, um artbook não só com arte do jogo mas também com foco na história e nas personagens, um CD com a banda sonora e ainda um voucher com um código DLC da demo da versão Alpha de Dead or Alive 5. Tudo isto por cerca de 49 euros na Amazon.

25 de outubro de 2012

Asura's Wrath

Bonita artwork!
Desenvolvido por: Cyber Connect 2 
Publicado por: Capcom 
Director: Seiji Shimoda 
Produtor: Kazuhiro Tsuchiya 
Compositor: Kaoru Wada 
Motor gráfico: Unreal Engine 3 
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox 360 
Lançamento: 21-02-2012 (EUA), 23-02-2012 (JP), 24-02-2012 (EU) 
Género: Acção, Beat 'em up, Rail Shooter 
Modos de jogo: Modo história para um jogador 
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB) 
Funcionalidades: Instalação no disco rígido (1.1GB), Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Função de Vibração, HD 720p, DLC adicional 
Estado: Completo 
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o uma vez mas ainda hei-de lá voltar futuramente. 

(Chuva... bleh!)


Em todas as gerações de consolas surge de vez em quando um título que nos surpreende de tal forma que é difícil descrevê-lo. Talvez pela originalidade, ou talvez pela sua dose de loucura, o certo é que dá que falar pelos mais diversos motivos. Até hoje há pelo menos um ou dois em cada plataforma que me passou pelas mãos e, como não podia deixar de ser, chega agora a vez da PlayStation 3 ter um desses jogos. Este meu exemplar foi adquirido algures em Setembro, na GAME do Almada Fórum por cerca de 20 euros. Novo claro, fazendo uso de uns descontos acumulados.

14 de outubro de 2012

StarFox 64 3D


Uma capa bastante azul.
Desenvolvido por: Nintendo EAD, Q-Games
Publicado por: Nintendo
Compositor(es): Koji Kondo, Hajime Wakai, Satomi Terui
Plataforma: Nintendo 3DS
Lançamento: Físico - 14-07-2011 (JP), 09-09-2011 (EUA/EU), Digital - 04-10-2012 (EU), 18-10-2012 (EUA), 01-11-2012 (JP)
Género(s): Shoot 'em up, Rail-shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer Vs. até quatro jogadores.
Media: Cartão de jogo com 4GB
Funcionalidades: Multiplayer Single Card Play
Outros nomes: (スターフォックス64 3D Sutā Fokkusu Rokujūyon Surīdī)
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o duas vezes nos dois modos de jogo e experimentei o multiplayer duas vezes.

(Nada a declarar, excepto um jogo novo no GameBoy!)

Pelo menos já não leva autocolantes!
Depois de ter inventado um gorila teimoso, um canalizador destemido e um elfo heróico, Shigeru Miyamoto parecia não ter mais nada por onde puxar nos confins da sua aparentemente ilimitada imaginação. Contudo, e para não nos deixar de surpreender, lá arranjou mais uma personagem para adicionar a este espólio. Surgida por via das suas vivências, nomeadamente inspirada num santuário de um Deus raposa (isto só mesmo no Japão) e no seu gosto pela série Thunderbirds, eis que Fox McCloud e a sua equipa StarFox, fazem a sua estreia. E com isto surgiram também uma série de jogos ao longo destes anos todos, mas o que trago aqui hoje é um remake do conhecido jogo de N64. Este exemplar ficou-me por cerca de 20 euros no Jumbo do Almada Fórum. Ou se enganaram a marcar o preço ou tinham muitos em stock. O certo é que agora não há lá nenhum.

6 de outubro de 2012

Resident Evil - Operation Raccoon City



Free DLC, dizem eles...
Desenvolvido por: Slant Six Games, Capcom
Publicado por: Capcom
Director: Adam Bullied
Produtor: Masachika Kawata
Compositor: Shusaku Uchiyama
Motor gráfico: Hexane Engine
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox 360, PC
Lançamento: 20-03-2012 (EUA), 23-03-2012 (EU), 26-04-2012 (JP)
Género: Third Person Shooter
Modos de jogo: Modo campanha offline para um jogador e online co-op para até 4 jogadores, modos multiplayer para até 8 jogadores.
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido (7.2MB), Compatível com Função de Vibração, HD 720p, DLC adicional
Outros nomes: Biohazard - Operation Raccoon City (バイオハザード オペレーション・ラクーンシティ)
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Joguei-o muitas horas, acabei-o umas quatro vezes evoluindo todas as personagens, armas e afins.

(Outono... bleh!)

Autocolantes, long time no see.
Remakes, reboots e spin-offs, tudo palavrões que são comuns no imaginário dos gamers actuais. Também denotam um bocado de falta de imaginação para alguns. Mas no meio disto tudo, damos sempre as boas vindas (ou tentamos dar), a estes novos projectos pois não deixam de ser novos jogos. E se existe um remake mais que aguardado, é o de Resident Evil 2, um dos melhores jogos de sempre, na minha modesta opinião, que tarda em sair. Até que isso aconteça, o mais parecido que temos é um jogo de Wii e PS3, conhecido por Darkside Chronicles (já aqui analisado) e o jogo que trago até aqui hoje. Este último foi adquirido em Junho, por cerca de 30 euros, na Fnac do Almada Fórum. É verdade, comprei cá um jogo, por mais incrível que isso possa parecer mas foi só porque estava mais barato do que online, nessa altura.

20 de setembro de 2012

Shinobi


Aí está o badass de serviço!
Desenvolvido por: Griptonite Games
Publicado por: Sega
Compositor(es): Norihiko Hibino, Yoshitaka Suzuki, Takahiro Izutani, Hiroshi Kawaguchi
Plataforma: Nintendo 3DS
Lançamento: 11-11-2011 (EU), 15-11-2011 (EUA), 17-11-2011 (JP)
Género(s): Acção, Aventura, Hack 'n Slash
Modos de jogo: Modo história para um jogador, outros modos extra para um jogador.
Media: Cartão de jogo com 4GB
Funcionalidades: Compatível com StreetPass para troca de Challenge Maps.
Outros nomes: Shinobi 3D (JP)
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o duas vezes em Normal. Ainda jogo ocasionalmente em Free Play os níveis que mais gosto.

(Olha o Verão a chegar ao fim... T_T)

Quem é visitante aqui do meu espaço, já sabe que há duas coisas que adoro em videojogos: zombies e ninjas. Quando não escrevo acerca de um, escrevo acerca de outro e por aí adiante. E se as duas coisas aparecessem misturadas? Irá acontecer num futuro próximo... (Yaiba!) Bom, enquanto isso não acontece, vamos lá pegar em mais um jogo que aqui tenho, há já uns valentes meses e esmiuçá-lo um pouco. Tem ninjas, montes deles mas o nosso é o melhor de todos. Zombies não tem mas não faz mal, pois tem ninjas. Comprei-o numa loja online, algures este ano e custou-me à volta dos 10 euros, mais coisa menos coisa.

27 de agosto de 2012

Binary Domain


Esta capa lembra-me algo...
Desenvolvido por: Yakuza Studio
Publicado por: Sega
Director(es): Toshihiro Nagoshi, Daisuke Sato
Produtor(es): Masayoshi Kikuchi, Jun Yoshino
Designer: Hiroyuki Sakamoto
Compositor: Mitsuharu Fukuyama
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC
Lançamento: 16-02-2012 (JP), 23-02-2012 (EU), 24-02-2012 (EUA)
Género: Third Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer online até 10 jogadores
Media: BluRay
Funcionalidades: Instalação obrigatória no disco rígido (3760MB no mínimo), Gravação de progresso no disco rígido da consola, Suporte HD 720p, 1080i, 1080p, Compatível com DualShock 3, Compatível com Sixaxis, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o três vezes nas várias dificuldades.

(Isto hoje não é dia de Verão...)

Sábias palavras.
Confesso que nunca fui fã da Sega. Numa época em que éramos quase que obrigados a escolher uma das partes, optei pela Nintendo sem pensar duas vezes. A Sega não tinha nem consolas nem jogos que me atraíssem o suficiente para lhe ser fiel seguidor. Obviamente isso teve um custo que se reflectiu em não ter coleccionado alguns dos seus melhores exclusivos. Mas nada que hoje em dia não se comece a fazer, devagarinho. Actualmente gosto bastante da Sega, como editora e produtora, embora infelizmente, não façam mais consolas. O certo é que também os seus jogos não são blockbusters e rapidamente baixam de preço, o que não é de todo bom para a empresa mas é de certo modo bom para quem os quer jogar. Eu pelo menos não me queixo, desde que continuem a lançar jogos, coisa que tem vindo a acontecer. Isto leva-nos ao jogo que trago até aqui hoje, um título que passou ao lado de muito boa gente e que merecia um pouco mais de destaque. Este exemplar, adquirido online um mês depois do lançamento, ficou-me por cerca de 26 euros.

25 de julho de 2012

Sin & Punishment - Successor of the Skies


Cover art interessante.
Desenvolvido por: Treasure
Publicado por: Nintendo
Director: Atsutomo Nakagawa
Produtor(es): Masato Maegawa, Hitoshi Yamagami
Compositor: Norio Hanzawa
Plataforma: Nintendo Wii
Lançamento: 29-10-2009 (JP), 07-05-2010 (EU), 27-06-2010 (EUA)
Género: Shoot 'em up, On-Rail Shooter
Modos de jogo: Modo história para um ou dois jogadores
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: 3 slots para gravação de progresso na memória interna da Wii, Compatível com Wii Remote e Nunchuk, Classic Controller, Wii Zapper e GameCube Controller
Outros nomes: Sin & Punishment - Star Successor (EUA), Sin & Punishment: Sora no Kōkeisha (罪と罰 ~宇宙の後継者~ Tsumi to Batsu: Sora no Kōkeisha) (JP)
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez com o Isa Jo (ou seja em Normal). Falta acabar com a Kachi (Easy).

(Está calor.)

Bastante informativa, esta traseira.
Desde miúdo que os shoot 'em ups me fascinaram, desde a sua simplicidade de controlo até à sua dificuldade levada ao extremo, algo que se acentua num dos seus derivados conhecido por bullet hell. Como naquela época os exemplares existentes em consola eram pouco atractivos, era nas arcadas que matava o bichinho. Com os anos seguiram-se outros géneros como por exemplo os on-rail shooters, igualmente simples e viciantes, ainda que não tão difíceis, que entretinham durante os intervalos das aulas ou durante a hora de almoço. Hoje em dia em vez de gastar moedas nas máquinas, prefiro investir esse dinheiro em jogos para ter em casa e jogá-los quando bem me apetecer. Mas penso que, se são visitantes habituais, já tinham dado conta disso (Capitão Óbvio to the rescue). E com esta introdução nostálgica passemos ao que interessa: o jogo de hoje. Este acabou invariavelmente por vir parar à colecção por dois motivos sendo um deles os 20 euros que custou e o outro a minha curiosidade nesta pequena série que começou na Nintendo 64 mas nunca foi lançada fora do Japão. Aliás isso só aconteceu depois da Wii ter saído, uma vez que se encontra o primeiro título à venda no Wii Shop Channel.

22 de junho de 2012

Resident Evil Revelations


Dois olhos observadores...
Desenvolvido por: Capcom, Tose
Publicado por: Nintendo
Director: Koushi Nakanishi
Produtor(es): Masachika Kawata, Takayuki Hama
Argumentista: Dai Satou 
Motor gráfico: MT Framework Mobile
Plataforma: Nintendo 3DS
Lançamento: 26-01-2012 (JP), 27-01-2012 (EU), 07-02-2012 (EUA)
Género: Survival Horror
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Raid Mode Co-Op para dois jogadores (local e online)
Media: Cartão de jogo com 4GB
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartão de jogo (2 Slots), Compatível com função StreetPass para troca de Missions, Compatível com Circle Pad Pro
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o três vezes em cada dificuldade e completei o Raid Mode com a pontuação máxima. Muitas horas despendidas online.

(Summer's here!)

Sem screenshots para manter o suspense.
Os anos vão passando mas há sagas que continuam a dar cartas neste mundo dos videojogos sem abrandamento aparente. É o caso de Resident Evil, que desde 1996 se mantém no activo, tendo estendido os seus tentáculos às mais diversas plataformas. E para se manter actual chegou à mais recente portátil da Nintendo em todo o seu esplendor, procurando uma abordagem mais clássica mas sem descurar o seu novo estilo, uma fórmula que, a meu ver, resultou muito bem. Mas já lá vamos. Este exemplar foi adquirido, invariavelmente, numa loja online pouco depois do seu lançamento por cerca de 30 euros, mais coisa, menos coisa. A caixa de cartão foi-me oferecida por um amigo posteriormente.

24 de maio de 2012

Aliens - Infestation


Boa cover art! :D
Desenvolvido por: WayFoward, Gearbox Software
Publicado por: Sega
Director: Adam Tierney
Produtor: Randall S. Pitchford II
Designer: Adam Tierney
Artista: Chris Bachalo
Plataforma: Nintendo DS
Lançamento: 30-09-2011 (EU), 11-10-2011 (EUA)
Género: Acção, Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Cartão de jogo com 256Mbit
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartão de jogo (2 Slots)
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o duas vezes sem perder nenhum Marine.

(Hoje que devia estar bom para a praia, está vento.)

Game Over man!
Agora que a data de estreia do Prometheus se aproxima, começa a crescer a pica - conhecida hoje em dia pela expressão hype - relativamente a tudo o que é relacionado com a saga Alien, que é para mim um dos maiores clássicos de sempre no campo da ficção científica. E é certo que existem diversas maneiras de atenuar esta pica até o filme estrear, sendo que a mais comum é mesmo ver os filmes antigos. A outra remete-se para o patamar dos videojogos onde existem N títulos alusivos à saga, uns bons, outros menos bons e ainda spin-offs e afins. O jogo que trago aqui hoje é uma espécie de continuação do segundo filme sem contudo ter nada a ver com o futuro Aliens - Colonial Marines, a verdadeira sequela. Este exemplar ficou-me por cerca de 8 euros e mais qualquer coisa, numa loja online, em Abril deste ano.

21 de maio de 2012

Dead Island

Nice artwork!
Desenvolvido por: Techland
Publicado por: Deep Silver
Compositor(es): Pawel Blaszczak, Giles Lamb
Motor gráfico: Chrome Engine 5
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC
Lançamento: 06-10-2011 (EUA), 09-20-2011 (EU), 20-11-2011 (JP)
Género: Survival Horror, Open-world First  Person Shooter, Role Playing Game, Sandbox
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer online co-op até 4 jogadores
Media: BluRay
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido da consola (5MB mínimo), Suporte HD 720p, Compatível com DualShock 3, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o duas vezes, muitas horas de jogo.

(Por diversos motivos, nomeadamente spam e comentários sem nexo, decidi que só utilizadores registados ou com Open ID podem comentar.)

Hoje em dia existem imensos factores decisivos que nos ajudam na hora de comprar um novo jogo para a nossa colecção. Um deles é sem dúvida o marketing em torno do mesmo, que quando é utilizado de forma inteligente, resulta. Por outro lado existe o factor eyecandy que também pode surtir algum efeito na população em geral mantendo o grande bolo em segredo até ao dia D. No caso do jogo que trago até aqui hoje, o factor eyecandy começou neste excelente vídeo que deixou meio mundo boquiaberto, sobretudo pela qualidade visual e pela premissa em si, que neste caso também foi abordada de uma forma brutal. O marketing seguiu-se logo após. Poderá não ter convencido todos mas a mim convenceu-me e nem foi pelo vídeo. Este exemplar foi adquirido numa loja online, como é hábito, por 20 e poucos euros.

18 de maio de 2012

Final Fantasy II


Cor-de-rosinha!
Desenvolvido por: Square, Tose
Publicado por: Square Enix
Director: Hironobu Sakaguchi
Produtor: Masafumi Miyamoto
Designer(s): Hiromichi Tanaka, Akitoshi Kawazu, Koichi Ishii
Artista(s): Yoshitaka Amano
Argumentista(s): Kenji Terada, Hironobu Sakaguchi
Compositor(es): Nobuo Uematsu
Plataforma(s): PlayStation Portable e muitas outras
Lançamento: 07-06-2007 (JP), 24-07-2007 (EUA), 08-02-2008 (EU)
Género: Role Playing Game
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Universal Media Disc (1.5GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Stick
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez mas não fui perder tempo nas dungeons extra.

(Praia e mais praia.)

Mais cor-de-rosinha!
Na sequência da última análise, eis que trago até aqui mais um jogo desta longa saga que dá pelo nome de Final Fantasy e parece não ter final à vista, ainda que os jogos não mantenham continuidade entre si, excepto dois casos pontuais devido ao sucesso ou algo parecido dos títulos anteriores. No que concerne a este exemplar, foi adquirido na mesma altura do primeiro, pela mesma quantia de 8 euros e, obviamente, na mesma loja online.

4 de maio de 2012

Final Fantasy


Sempre é melhor que os "Essentials".
Desenvolvido por: Square, Tose
Publicado por: Square Enix
Designer(s): Hironobu Sakaguchi, Hiromichi Tanaka, Akitoshi Kawazu, Koichi Ishii
Artista(s): Yoshitaka Amano
Argumentista(s): Kenji Terada, Hironobu Sakaguchi
Compositor(es): Nobuo Uematsu
Plataforma(s): PlayStation Portable e muitas outras
Lançamento: 19-04-2007 (JP), 26-06-2007 (EUA), 08-02-2008 (EU)
Género: Role Playing Game
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Universal Media Disc (1.5GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Stick
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez, tendo feito quase tudo.

(Quero uma PS3 nova!)

Nada de grandes detalhes.
Existem jogos que envelhecem mal, devido a diversos factores. Um dos mais recorrentes é sem dúvida a jogabilidade e a própria mecânica de jogo, que se tornou obsoleta devido às constantes actualizações da mesma. O jogo que aqui trago hoje é para muito um exemplo disso pois trata-se do primeiro de uma extensa saga com mais de vinte anos. Mas na minha opinião, creio que até envelheceu bem e consegue ser melhor do que muita coisa que se faz hoje em dia. Este exemplar foi adquirido algures em 2011, numa loja online tendo custado cerca de 8 euros. Trata-se contudo da versão americana mas não há diferenças a assinalar, excepto o packaging ser diferente.

25 de abril de 2012

YLOD - O terror das PS3

Tanto jogo que passou por aqui...
Pois é meus amigos, estava eu descansadinho da vida a jogar mais uma partida de Zombies online no Call of Duty - Black Ops quando de repente o jogo começa a comportar-se de modo estranho (como se tivesse a ligação prestes a cair) e subitamente a PS3 desliga-se. Pensei eu, "bom, crashou e fez hard reset, já tinha acontecido anteriormente numa rara ocasião". Mas rapidamente essa suspeita caiu por terra pois a luz vermelha ficou a piscar intermitentemente, algo que nunca tinha visto. Lá carreguei no botão do power e aquilo parou de piscar. Desliguei-a da corrente, voltei a ligar e power on. Piscou verde, azul e... amarelo, voltando ao vermelho intermitente. Sabia que isto era muito mau sinal e logo me apressei a tirar o disco da consola, recorrendo a um método comum para utilizar os dissipadores de calor ao máximo, expulsando não só disco da consola como também poeira. Consultei uns quantos fóruns da especialidade, incluindo o oficial da Sony e o veredicto era apenas um: Yellow Light of Dead (YLOD), o equivalente ao Red Ring of Death (RROD) da Xbox360.

A solução? Bom, uma vez que é a terceira consola desde 2007, a garantia já era há muito e o arranjo pelo que li, fica por 180€, algo que considero absurdo pois a consola nunca irá ficar a 100% segundo alguns testemunhos. E pelo preço mais vale investir numa slim nova, algo que farei a longo prazo pois agora vou mesmo ficar alguns tempos sem tocar em nada de PS3. Esta, quando tiver outra, vai ser submetida a uma "cirurgia" para resolver o problema e ficar a conhecer as entranhas do bicho em maior profundidade.

E é isto. :\

20 de abril de 2012

Grand Theft Auto - Vice City Stories


Capas Platinum... ergh!
Desenvolvido por: Rockstar Leeds, Rockstar North
Publicado por: Rockstar Games
Plataforma(s): PlayStation Portable, PlayStation 2
Lançamento: 31-10-2006 (EUA), 03-11-2006 (EU), 06-12-2007 (JP)
Género: Acção, Aventura, Sandbox
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer via Ad-Hoc para seis jogadores
Media: Universal Media Disc (1.5GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Stick, Compatível com Wireless para entre 2 a 6 jogadores, Banda sonora personalizável
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o uma vez e nunca mais vou jogá-lo.

(Esta Primavera mais parece Inverno...)

Atrás tem melhor aspecto.
Quando a PlayStation Portable veio ao mundo, as promessas de jogatana portátil eram mais do que muitas, com imensas editoras e estúdios a tentarem mostrar o que a pequena máquina da Sony era capaz de fazer. Era normal ficar empolgado com o anúncio de certos jogos, nomeadamente sagas que seguia desde a primeira PlayStation, pois a PSP tinha tudo para que resultassem. No entanto, embora esteja bem recheada de bons títulos, nem todos atingiram o patamar desejado por diversas razões sendo uma delas a ambição. Mas já elaboro esta ideia mais adiante. Este exemplar, em versão Platinum, chegou-me à colecção na mesma altura que o Dracula X Chronicles (também para PSP), visto ter sido fruto de uma promoção na altura de dois jogos por 25 euros. Este veio por acréscimo e pelo facto de não haver nada na lista de jogos que me interessasse.

19 de abril de 2012

Jogalhões de Força - O 3º aniversário!

Este ano apertámos os cordões à bolsa!
Quando há 3 anos atrás arranquei com este projecto nunca pensei que chegasse tão longe até porque quando as coisas são one man army, dificilmente chegam ao final, se é que se pode dizer que há um final. O certo é que volvidos 3 anos disto, a coisa continua sobre rodas tendo o ano de 2011 sido um dos mais produtivos de sempre pois consegui a proeza de escrever 270 análises, isto já para não contabilizar o número de fotos tiradas e ainda a incessante procura por bons screenshots e demais arranjos. Mas o resultado está à vista e o projecto continua pois os jogos continuam a chegar e não têm fim aparente. 

Creio que o objectivo principal, mostrar a colecção ao mundo, tem sido levado a sério e isso reflecte-se pelo número de visitas e por alguns habituais seguidores que vão dando feedback. Desde já, os meus agradecimentos pelo apoio. Não quero contudo esquecer os contribuintes e doadores, que têm ajudado a colecção a crescer pois nem sempre sou eu que compro as coisas e algumas são me oferecidas ou doadas por quem tem conhecimento do meu passatempo. Um agradecimento especial a todos.

E é isto, o JOGALHÕES DE FORÇA está de parabéns e continua em grande, com mais uma análise, já amanhã! :)


13 de abril de 2012

The Legend of Zelda - Skyward Sword [Limited Edition Pack]


As respectivas caixas, bem douradinhas.
Desenvolvido por: Nintendo EAD, Monolith Soft
Publicado por: Nintendo
Director: Hidemaro Fujibayashi
Produtor(es): Eiji Aonuma, Shigeru Miyamoto, Satoru Iwata
Designer: Yoshiyuki Oyama
Compositores: Hajime Wakai, Shiho Fujii, Mahito Yokota, Takeshi Hama, Koji Kondo
Plataforma: Nintendo Wii
Lançamento: 18-11-2011 (EU), 20-11-2011 (EUA), 23-11-2011 (JP)
Género: Action Role Playing Game
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: 3 slots para gravação de progresso na memória interna da Wii, Compatível apenas com o Wii Motion Plus ou Wii Remote com Wii Motion Plus integrado
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o uma vez fazendo tudo o que havia para fazer mas não apanhei as Pieces of Heart todas (falhei 3 e não tive pachorra).

(Este tempo não dá com nada...)

Atrás, menos douradas e com mais texto.
Quando há cerca de 25 anos atrás Shigeru Miyamoto via lançada na Nintendo Entertainment System uma das suas muitas obras, fruto da sua imaginação sem limites, estava longe de imaginar que esta iria dar origem a uma das mais icónicas sagas de sempre no mundo dos videojogos. E não me refiro a Super Mario Bros. mas sim a The Legend of Zelda, um dos jogos que fez muito boa gente perder, no bom sentido, horas da sua infância, da sua adolescência, enfim horas de vida, em busca do Triforce e da princesa que dá o seu nome ao jogo. Muitos anos após este começo, inúmeros jogos foram produzidos, sempre com ideias frescas, surpresas e outros tantos devaneios oriundos do génio de um japonês sonhador que vai buscar as suas ideias às brincadeiras que tinha enquanto criança. O facto é que jogo após jogo, continua a deixar-nos presos ao ecrã da televisão e o mais recente, este que trago até aqui hoje, não é excepção. O exemplar em questão foi um dos presentes que recebi no Natal de 2011, pela mão da minha irmã que tem ajudado neste meu passatempo e que tão bem conhece os meus gostos. Como se isso não bastasse, presenteou-me com o Limited Edition Pack, que traz para além do jogo, um Wii Remote dourado, já com o Wii Motion Plus integrado, um CD de música comemorativo dos 25 anos intitulado The Legend of Zelda - 25th Anniversary Special Orchestra CD e um pequeno booklet alusivo à data com comentários dos criadores, compositores e afins.

5 de abril de 2012

Dead Space 2 [Collector's Edition]


Ao vivo a capa é bem melhor.
Desenvolvido por: Visceral Games
Publicado por: Electronic Arts
Compositor: Jason Graves
Motor gráfico: Visceral Engine
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC
Lançamento: 25-01-2011 (EUA), 28-01-2011 (EU)
Género: Survival Horror, Third Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer online até 8 jogadores
Media: BluRay
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido da consola (3.8MB mínimo), Suporte HD 720p, 1080i, Compatível com DualShock 3, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o quatro vezes.

(Nada de novo a norte. Ou a sul.)

Na foto não brilha.
Ao contrário do que seria de esperar, o post de hoje não é nenhuma análise, breve ou longa, pois o jogo em questão já foi analisado e exposto, não existindo diferença alguma no mesmo (o código de disco é exactamente o mesmo que na Limited Edition). Em vez disso, trago até aqui uma edição especial que veio parar à colecção apenas por mero acaso e por tê-la encontrado a €14.90. E o porquê de a ter comprado se já tinha o jogo? É uma edição de coleccionador e estava barata, dois motivos fortíssimos para não se ignorar tal oportunidade. Bom, passemos então às diferenças/extras que esta edição oferece.


30 de março de 2012

Tennis


A capa original.
Desenvolvido por: Nintendo R&D1
Publicado por: Intelligent Systems
Plataforma(s): Game Boy , Nintendo Entertainment System, Virtual Console
Lançamento: 29-05-1989 (JP), 01-08-1989 (EUA), Algures em 1990 (EU)
Género: Ténis
Modos de jogo: Modo torneio para um jogador, Modo Vs. para dois jogadores
Media: Cartucho de 0.25-megabit
Funcionalidades: Compatível com Game Link
Estado: Incompleto (sem caixa nem manual)
Condição: Mediana, o autocolante apresenta descoloração.
Viciómetro: Joguei-o muitas vezes no passado sem nunca o ter terminado.

(Esta chuvinha não dá com nada...)

O cartucho na respectiva caixa protectora.
O Jogalhões Flash está de regresso para mais uma micro análise assim muito rápida uma vez que o jogo de hoje assim o justifica. Este exemplar apresenta-se em bom estado e foi-me cedido por um amigo que o tinha perdido algures lá para casa e como não tinha destino melhor a dar-lhe...

25 de março de 2012

Batman - Arkham City [Collector's Edition]


O morcegão na caixa.
Desenvolvido por: Rocksteady Studios 
Publicado por: Warner Bros. Interactive Entertainment/DC Entertainment, Square Enix (Japão)
Director: Sefton Hill
Argumentista: Paul Dini
Motor Gráfico: Unreal Engine 3
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC
Lançamento: 18-10-2011 (EUA), 21-10-2011 (EU), 23-11-2011 (JP)
Género(s): Acção, Beat 'em up, Stealth 'em up
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Challenge Rooms
Media: Blu-Ray
Funcionalidades: Instalação obrigatória no disco rígido (1634MB no mínimo), Compatível com sensor de movimento do Sixaxis, Compatível com função de vibração do DualShock3, HD 720p, Compatível com 3D, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o duas vezes, em Normal e depois no New Game+ que é o mesmo que dizer em Hard. As Challenges, completei apenas as de combate ficando o resto por se ir fazendo.

(Primavera... venha mas é o Verão rapidinho!)

E a gata na parte de trás.
Bob Kane, um nome que para muitos pode não significar nada mas que para mim é sinónimo de um dos maiores super heróis de sempre. Adivinharam? Sim, é o Batman, um dos poucos que não tem super poderes e serve-se apenas da sua inteligência, físico e claro, dinheiro, para conseguir combater o crime na famosa (e fictícia) Gotham City. Obviamente, quando Bob Kane criou esta personagem que se intitula como o maior detective do mundo, nunca pensou que ainda hoje a mesma fosse uma das mais actuais e possivelmente uma das favoritas do público. Algo em que ele também não pensou foi que o sucesso da mesma personagem se reflectisse nos videojogos, depois de uma longa temporada de várias tentativas, algumas delas bem mázinhas. Bom, mas isso tudo é história e o que interessa é mesmo o jogo que aqui trago hoje. Este exemplar foi-me oferecido no Natal de 2011 e trata-se da Collector's Edition, que para além do jogo incluí uma estatueta em PVC da Kotobukiya, um artbook de capa dura, vários vouchers de DLC adicional que neste caso incluem fatos extra e um Challenge Room do Penguin e para finalizar, a banda sonora em formato digital. Apesar de ser uma edição interessante tem falhas. O jogo não tem caixa, vem dentro do artbook num suporte concebido para o efeito (no mínimo deveria vir num steelbook), a banda sonora é apenas alusiva ao jogo (e não a do jogo) sendo que também deveria vir em cópia física e ao contrário da edição americana, esta não traz o filme Batman - Gotham Knight. Enquanto não pude resolver estes "males" todos, arranjei uma caixa de plástico comum e arranjei uma capa a condizer com esta edição (frente, verso e inlay). Adiante...

9 de março de 2012

The House of the Dead - Overkill Extended Cut


Varla na capa? ME GUSTA!
Desenvolvido por: Headstrong Games
Publicado por: Sega
Plataforma: PlayStation 3
Lançamento: 25-10-2011 (EUA), 28-10-2011 (EU), 23-02-2012 (JP)
Género: On-rail Shooter
Modos de jogo: Modo História e Director's Cut para um ou dois jogadores, Mini-jogos para um até quatro jogadores
Media: Blu-Ray
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido (4.3MB mínimo), Suporte HD 720p, Compatível com 3D, Compatível com PlayStation Move e PlayStation Eye
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o várias vezes, é um jogo brutal.

(Mais jogos a caminho da colecção e possivelmente uma nova portátil!)

Este podia ser mais um post em estilo Jogalhões Flash mas decidi que assim não fosse pois apesar de ser um jogo que já aqui trouxe, inclui bastantes novidades e afins, passíveis de serem comentadas. Este titulo em questão, é uma actualização de um jogo que saiu para a Nintendo Wii em 2009, sendo também um dos mais divertidos e sangrentos que se pode ter na colecção. Esta versão HD para PlayStation 3 inclui diversas novidades, as quais irei aprofundar mais à frente. O certo é que mal se abre a caixa, deparamo-nos logo com dois pares de óculos 3D, daqueles com lentes azuis e vermelhas, mesmo à antiga! A edição em questão, para não fugir muito à regra que adoptei, foi adquirida online por cerca de 16 euros, mais cêntimo, menos cêntimo.

20 de fevereiro de 2012

Super Mario Advance


Cover art da caixa que não tenho.
Desenvolvido por: Nintendo EAD
Publicado por: Nintendo
Plataforma: Game Boy Advance
Lançamento: Março de 2001 (JP), 11-06-2001 (EUA), 22-06-2001 (EU)
Género: Plataformas
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer para até 4 jogadores
Media: Cartucho de 32-megabit
Funcionalidades: Gravação de progresso no cartucho
Estado: Incompleto (sem caixa nem manual)
Condição: Boa mas apresenta marcas de uso no autocolante
Viciómetro: Acabei-o uma vez mas não tenciono voltar a pegar-lhe.

(Estou farto do Inverno...)

O cartucho solitário.
Os jogos de plataformas sempre fizeram as delícias de todos os fãs de videojogos, quer pela sua simplicidade como também pela genialidade que muitas vezes demonstram ter. E se analisarmos bem as coisas, é um género que fica bem em qualquer consola, seja nas "potentes" caseiras bem como nas portáteis menos poderosas mas igualmente decentes. Porém nem todos os jogos deste género são excelentes, sobretudo quando se começa a repetir a fórmula, algo que desgasta a mesma bem como a paciência de que vai jogar. O jogo que hoje trago até aqui é um claro exemplo disso e também de uma nítida falta de ideias aquando do lançamento de uma nova consola. Este exemplar foi-me cedido no início deste ano por um amigo, juntamente com outros jogos e ainda uma consola extra para a colecção.

1 de fevereiro de 2012

Call of Duty - Modern Warfare 3


Edição normal, teve de ser.
Desenvolvido por: Infinity Ward, Sledgehammer Games
Publicado por: Activision, Square Enix (JP)
Designer(s): Glen Schofield, Michael Condrey
Argumentista(s): Paul Haggis, Will Staples
Compositor: Brian Tyler
Motor Gráfico: MW3 Engine (IW Engine 5.0 não oficial)
Plataforma(s): PlayStation 3, Xbox360, PC
Lançamento: 08-11-2011 (EUA/EU)
Género(s): First Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Multiplayer local (2-4 jogadores) e online (2-18 jogadores)
Media: Blu-Ray
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido (50MB mínimo), Suporte HD 720p, 1080i e 1080p, DLC adicional com mapas extra para multiplayer
Estado: Completo
Condição: Impecável
Viciómetro: Acabei-o em todas as dificuldades, muitas horas de Special Ops, pouco tempo no online. Platina alcançada.

(Preciso de uma 3DS para jogar Resident Evil... ;_; )

É verdade, vendeu muito.
Nos tempos que correm, assiste-se a uma acesa guerra entre diversos títulos neste mundo dos videojogos, sejam eles RPG's, Third Person Shooters, desporto e claro FPS, entre muitos outros géneros. Obviamente uns destacam-se mais do que outros e têm portanto, mais notoriedade. Focando os FPS em particular, a competição é muito renhida, com standards cada vez mais elevados mas um desgaste também bastante acentuado devido à saturação de títulos deste género no mercado. Assim sendo, poderá tornar-se difícil eleger algo bom, ou até mesmo aconselhar a alguém o que jogar. O meu conselho? Experimentem todos os que puderem, falem bem ou mal depois. Isto tudo destina-se ao jogo que aqui trago hoje, fruto de uma linhagem já longa e sem final anunciado. Este exemplar foi adquirido online, algo que já é normal por estas bandas, pela módica quantia de 42€ mais alguns cêntimos. Comprá-lo em Portugal? Jamais...

26 de janeiro de 2012

Uncharted 3 - Drake's Deception

Teve de ser a edição normal...
Desenvolvido por: Naughty Dog
Publicado por: Sony Computer Entertainment
Director(es): Amy Hennig, (Director Criativo), Justin Richmond (Director)
Designer: Richard Lemarchand
Compositor(es): Greg Edmonson, Azam Ali, Clint Bajakian
Motor Gráfico: Naughty Dog Engine 3.0, Havok (física)
Plataforma: PlayStation 3
Lançamento: 28-10-2011 e 02-11-2011 (EU), 01-11-2011 (EUA), 02-11-2011 (JP)
Género(s): Acção, Aventura, Third Person Shooter
Modos de jogo: Modo história para um jogador, Modo multiplayer online co-op para entre 2 a 3 jogadores, Modo splitscreen co-op para 2 jogadores, Modo multiplayer online para até 10 jogadores
Media: Blu-Ray
Funcionalidades: Gravação de progresso no disco rígido, Compatível com Função de Vibração, Compatível com Sixaxis, Compatível com 3D, Suporte HD 720, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável.
Viciómetro: Acabei-o três vezes em Easy, Normal e Crushing. Algumas horinhas no co-op e online para conseguir platina.

(Muitos bons jogos virão neste 2012!)

A foto do costume.
2011 foi sem dúvida um ano recheado de surpresas no que diz respeito a videojogos, com imensos títulos espalhados pelas diversas consolas que se encontram à nossa disposição. Aliás, a tendência agora é para que seja cada vez mais assim, visto a indústria estar mais competitiva do que nunca e 2012 ficará marcado, também, por excelentes títulos que já se encontram na forja. Mas voltando a 2011, este ficou marcado por um título, o qual aqui trago hoje, que teve origem na PS3 em 2007 resultando assim numa brilhante trilogia para esta consola. Digo isto mas a vindoura PSVita já vai ter direito a um título desta saga, deixando assim a mesma de ser uma trilogia. Bom, isso pouco importa e indo directo aos factos, o jogo de hoje foi uma vez mais adquirido numa loja online, em Dezembro, por cerca de 30 euros pouco depois de ter sido lançado. O único senão é que sendo a versão inglesa não tem áudio em Português, algo que não me incomoda minimamente.