21 de janeiro de 2019

Ninja Assault

Porquê duas vezes o nome?!
Desenvolvido por: Namco, NOW Production
Publicado por: Namco
Compositor: Hiroto Sasaki
Plataforma(s): PlayStation 2
Lançamento: 09-09-2002 (JP), 04-10-2002 (EU), 18-11-2002 (EUA)
Género: Rail Shooter
Modos de jogo: Modo história e outros modos de jogo para um ou dois jogadores
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (48KB mínimo), Compatível com controlo analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração, Compatível com G-Con45, Compatível com G-Con2
Estado: Completo
Condição: Boa
Viciómetro: Acabei-o umas quatro vezes, é um jogo bem curto.


(Está sol... até não estar.)

Em espanholês!
Neste mês corrente já falei de ninjas por estas bandas. Mas como gosto tanto de ninjas vou voltar a tocar no tema pois nunca é demais falar de ninjas. Já todos sabemos que são furtivos, que usam as sombras a seu favor, que têm armas e gadgets artesanais que resultam em situações caricatas ou completamente loucas mas o que não sabemos, ou pelo menos não imaginamos é que também usam pistolas. Exacto, pistolas. Não, não estou no gozo, os ninjas também usam pistolas. Pelo menos no jogo que trago até aqui hoje. Este exemplar veio da Play N' Play, algures entre Janeiro e Fevereiro de 2018 mas não me recordo do preço pois não sei o que é feito do recibo.


Manual e shurik... erm, disco.
Ninja Assault é um jogo arcade na mesma onda de Virtua Cop mas onde, desta vez, a temática foi deitada pela janela pois nada interessa. Podia ser com polícias, detectives ou outra coisa parecida mas em vez disso optou-se por, sim adivinharam, ninjas! Ninjas com pistolas, porque nenhum ser humano normal poderia disparar shurikens à mesma velocidade. Nem mesmo aquele que são ninjas. A trama também pouco interessa mas existem um vilão, neste caso o shogun Kigai que invariavelmente raptou alguém, neste caso a princesa Koto e cabe aos nossos três heróis, Guren, Gunjo e Aoi, pegarem nas suas pistolas e serem os melhores ninjas de sempre.

Eles têm espadas, nós... pistolas.
Visualmente este Ninja Assault não é de todo um jogo bonito. Tendo em conta que o original saiu dois anos antes nas arcadas, seria de esperar que este por tivesse recebido um upgrade neste departamento mas isso não foi de todo efectuado. Assim temos modelos tridimensionais um bocado abaixo do esperado na PS2, onde a geometria dos cenários também sofre do mesmo mal e com texturas de baixa resolução e cores bastante esbatidas em certas áreas. Porém a performance do jogo é excelente, sempre a 60 frames sem quebras que tenha dado conta e sempre com acção a rodos. As cutscenes usam o motor de jogo em tempo real portanto já sabem o que esperar.

Estes até dançam!
Confesso que gostei da banda sonora deste jogo embora esta nada tenha a ver com o ambiente do mesmo. Optou-se por uma selecção de faixas com uma batida techno bastante acentuada, que combina na perfeição com a acção mas que como já referi não têm nada a ver com o ambiente do jogo. É uma mistura estranha mas que resulta. Os efeitos sonoros são bastante bons dentro daquilo que fazem, com imensos tiros, gritos e grunhidos a acompanhar tudo o resto. Fraco é o voice-acting em inglês mas se analisarmos a coisa a fundo, até tem um certo charme pela pirosice que consegue transmitir.

É grande mas não é grande coisa.
Ninja Assault joga-se tal e qual a sua versão de arcade: basta apontar a pistola ao ecrã e disparar, fazendo reload na altura apropriada e também usando magia quando as coisas assim o ditam. E é compatível com ambas as G-Con que podem ser utilizadas na PS2. Mas e então para quem não tem as pistolas ou simplesmente não tem uma televisão compatível? Joga-se com o DualShock2 e deixem que vos diga que até é bastante fácil de até divertido, de certo modo, jogar assim. Basicamente temos de apontar uma mira aos inimigos, tal como noutros jogos do género nestes termos mas temos lock on, o que nos permite fixar cada inimigo para disparos precisos. Isto torna o jogo bastante mais fácil, na minha opinião. Por outro lado, a jogar desta forma podemos disparar e fazer reload em simultâneo, ao carregar nos dois botões para o efeito, permitindo assim disparar sem pausas, algo que nos bosses dá imenso jeito.

Pausa para relaxar...
O jogo apresenta vários modos que podem ser jogados a um ou dois de onde temos o modo Arcade puro, tal como na versão original e ainda Guren Chapter, Gunjo Chapter e Aoi Chapter, sendo que estes nos permitem jogar com estas personagens que têm parâmetros de ataque e defesa diferentes, bem como alguns níveis exclusivos. Existem ainda os Bonus Games, onde podemos testar a nossa pontaria no Mission Mode, com munição bastante limitada e ainda o Training Mode que divide em mini-jogos para um ou dois jogadores na busca do melhor resultado.

Se gostam de on rail shooters, Ninja Assault é um bom jogo dentro do género com conteúdo q.b. para ser jogado várias vezes e assim de vez em quando se já tiverem fartos dos jogos mais famosos. Como tal, é sem dúvida um JOGALHÃO DE FORÇA!

Próximo jogo: mais... sim, ninjas! Na 3DS.

MURRALHÕES DE FORÇA:
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário